22 março 2017

Resenha: A Fúria - Diários do Vampiro


Autora: L. J. Smith
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 240
Ano: 2010
Avaliação☆☆☆☆

Sinopse: Ela foi avisada: amar um vampiro é perigoso demais. Mas o destino de Elena, apesar de assustador, atende aos seus desejos. Ao lado de Damon, ela terá que reaprender tudo enquanto um Outro Poder misterioso e sedutor a perturba e atrai.Damon agora tem sua escolhida ao seu lado. Sua busca por vingança terminou? Uma força sombria e terrível renasce para força-lo a fazer uma escolha.Stefan sabe que precisa por um fim ao pacto de vingança com Damon - por Elena, mas também por si mesmo. Quando o passado se impõe entre os três, ameaçando a destruir tudo que sua amada mais preza, chega a hora de se unir e esquecer as diferenças.

Elena está mais perdida do que nunca nesse terceiro livro da série Diários do Vampiro, pois devido ao que aconteceu no livro anterior, ela acaba entrando em processo de transição (algo que já era esperado quando trata-se de uma série sobre vampiros).

Ao acordar para a sua nova vida a jovem está completamente fora de si, não reconhece Stefan e ao ver ele e o irmão em um duelo, Elena fica do lado de Damon. Ela precisa protegê-lo nem que isso custe a vida do namorado, mas os dois acabam concordando que a briga entre eles pode esperar e decidem ajudar Elena nessa nova jornada. 
Toda a cidade pensa que a jovem faleceu, mas ela continua viva, bom pelo menos se você considerar um vampiro um ser vivo.

Quem ou o que a atacou no final do livro anterior? Com várias perguntas em mente Elena e seus amigos tentam descobrir quem é o Poder Misterioso que está na cidade e porque ele atacou Elena. 
O livro vai mostrando animais violentos, relacionamentos abalados e descobrimos que algumas coisas não aconteceram do jeito que imaginávamos.
Elena percebe que apesar de não ter tantos amigos quanto gostaria, os poucos que tem são verdadeiros e arriscariam suas vidas por ela. 

Os personagens secundários são bem trabalhados na medida do possível, vamos vendo segredos serem revelados e decisões sendo tomadas. Fiquei tão envolvida com a leitura que eu li o livro em apenas um único dia.
O final da história nos mostra alguém inesperado e que com certeza não imaginaríamos estar por trás de tudo isso, então fiquem atentos a qualquer movimento suspeito.

Apesar da série de livros e do seriado terem uma grande discrepância, vale muito a pena acompanhar os dois. 
A minha edição foi econômica, as folhos brancas me incomodam um pouco, mas deu para ler sem tantos problemas, porém encontrei alguns erros durante a leitura.

21 março 2017

Resenha: A Longa e Sombria Hora do Chá da Alma


Autor: Douglas Adams
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 224
Ano: 2016
Avaliação☆☆☆

Sinopse: Kate Schechter devia ter prestado atenção aos avisos que o universo tentava lhe dar. No aeroporto de Heathrow, prestes a embarcar para a Noruega, a americana pensa em todos os sinais que lhe diziam para não fazer aquela viagem. Ainda assim, ela não está nem um pouco preparada para a explosão do balcão de check-in, que destrói parte do terminal.
Enquanto isso, no norte de Londres, o detetive Dirk Gently está no fundo do poço: sem dinheiro, vive de bicos como quiromante numa tendinha. Refletindo sobre seu fracasso, ele lembra de repente que, na verdade, tem um cliente e está absurdamente atrasado para o encontro aquela manhã.
Porém, o investigador chega tarde demais. Sentindo-se culpado pela sina do homem, ele resolve mais uma vez fazer uso da interconexão de todas as coisas e vê uma ligação do seu caso com os estranhos eventos no aeroporto.
Abrindo caminho em meio aos elementos mais absurdos, Dirk se depara com uma máquina de refrigerante que aparece nos lugares mais improváveis, uma águia hostil que insiste em atacá-lo, um hospital sinistro para casos exóticos, horóscopos insultuosos e uma calculadora de I Ching.Neste delicioso livro que dá continuação à série de Dirk Gently, o leitor se surpreenderá ao observar como todas as peças do quebra-cabeça se encaixam para formar uma trama genial e hilária.

Nesse segundo livro da duologia de Dirk Gently descobrimos que o detetive não está levando uma vida nada fácil. Ele está praticamente no fundo do poço, sem dinheiro e sobrevivendo de pequenos trabalhos em uma tenda. Ao tentar finalmente levantar da cama após refletir sobre como sua vida anda miserável, ele acaba lembrando que está atrasado e seu cliente havia dito para que não se atrasasse. 

Ao chegar na casa do cliente, Dirk descobre que o mesmo foi assassinado ou forjou um suicídio altamente complicado para que a policia consiga explicar como aconteceu. Depois de algum tempo no local ele acaba encontrando um garoto no sótão, mas seu achado acaba rendendo a Dirk um nariz machucado. 

Cabe ao detetive descobrir - usando seus métodos holísticos - como o possível assassinato do cliente está ligado a uma explosão no aeroporto, com o sumiço de uma jovem chamada Kate, a uma geladeira, Thor, Odin e acontecimentos improváveis. 
O livro tem aquela pegada de coisas absurdas, improváveis e que vão se juntando ao decorrer da leitura fazendo com que o leitor vá ligando os pontos. No começo não conseguimos ver como todos aqueles acontecimentos estão ligados, mas depois de algum tempo conseguimos enxergar além e acompanhar o raciocínio do detetive. 

Diferente do livro anterior, esse não foi um livro que me agradou tanto quanto eu gostaria. Sou muito fã do autor, mas a história não estava funcionando tanto para mim como eu pensei. Demorei muito para terminar a leitura e apesar de estar acostumada com o estilo de escrita do autor, as coisas foram ficando enfadonhas ao decorrer da história. 
Foi uma leitura que teve seus pontos altos e baixos na narração, mas que no final foi razoável.

Geralmente é normal o leitor sentir-se confuso nos livros do autor, mas sempre consegui captar a essência e ficar maravilhada com a escrita, diferente do que aconteceu com esse.
No mais a diagramação está muito boa, não achei qualquer erro de português e a capa segue o mesmo estilo do livro anterior. 

Eu posso não ter ido para onde eu queria, mas acho que eu acabei onde precisava estar.

19 março 2017

Resenha: Sereias Também Caminham



Autora: Mirella Ferraz
Editora: Independente / Amazon
Número de Páginas: 35
Ano: 2014
Avaliação☆☆

Sinopse: Mirella Ferraz, a autora de “Sereias – O Segredo das Águas”, nos brinda com mais uma ode ao mar, nesse conto intitulado “Sereias também Caminham”. Aqui, misturando lendas e histórias reais da Inglaterra, Mirella Ferraz conta uma história de amor e ódio entre seres da terra e da água. Tudo começou quando uma Náiade (uma ninfa das águas doces) e um humano se apaixonaram...


Whintall é alguém que está apaixonado por um ser mítico, mas seus pais proíbem ele e seu irmão de ir ao lago perto de casa, onde reside uma náiade. O rapaz começa a escutar o canto da ninfa e fica alucinado. Ele precisa estar perto dela, mas eles nunca se encontram.

Então o rapaz começa a deixar alguns presentes para que ela ache, mas depois de um tempo ele acaba adoecendo e não consegue ir novamente ao lago deixar presentes para sua amada. É nesse momento que ela canta novamente para tentar atraí-lo/ajudá-lo. 
A história é curta, por isso acabamos lendo rapidamente. Mas, infelizmente apesar de gostar da escrita da autora essa história não me agradou nenhum pouco.

É um conto cheio de dor, romance e esperança, mas não foi interessante a ponto de me envolver com a história. 
A história é cheia de misticismo o que certamente é um ponto positivo, porém não foi tão interessante e nada do amor mostrado na história foi tocante ou inspirador, na verdade ficou bem enfadonho. Já havia lido algo da autora anteriormente que superou todas as minhas expectativas, mas essa história com certeza foi decepcionante. 

No mais é uma leitura que dá para ler em um único dia, não tenho o que reclamar da diagramação e a capa não é uma das melhores, mas para um conto está aceitável na medida do possível.