21 setembro 2017

Lançamento: A Floresta Sombria - Suma de Letras


Sinopse: Depois de "O problema dos três corpos", a humanidade se prepara para a iminente invasão alienígena. A Organização Terra-Trissolaris — formada por habitantes da Terra que traíram seus iguais para se associar aos alienígenas — pode ter sido derrotada, mas a presença de partículas subatômicas, os sófons, revela todo o conhecimento da humanidade para os invasores, e as defesas terráqueas são um livro aberto para os trissolarianos.Nesse contexto, em que só a mente humana é segura, é montado o Projeto Barreiras: quatro pessoas serão encarregadas de pensar em uma estratégia para a salvação do mundo. A Barreira está completamente isolada, protegendo seus pensamentos do restante da humanidade, mas até que ponto é possível guardar um segredo?
Lançamento previsto para outubro. 
Esse livro é uma continuação de "O Problema dos Três Corpos"

20 setembro 2017

Lançamento: O Homem que Buscava sua Sombra



A Editora Companhia das Letras irá lançar o quinto livro da série Millennium agora em setembro. Os três primeiros livros da série foram escritos pelo autor sueco Stieg Larsson, porém o mesmo faleceu em 2004 antes que finalizasse o quarto livro. 
Então David Lagercrantz assumiu a responsabilidade de continuar a série. Em breve vocês irão ler a resenha da série aqui no blog.


Sinopse: Neste quinto volume, Lisbeth Salander precisa passar um curto período atrás das grades, num presídio que também abriga uma das maiores criminosas da Suécia, de alcunha Benito. Na cela ao lado, ela observa uma jovem muçulmana acusada de matar o irmão sofrer ameaças constantes da gangue racista de Benito, a “dona” do pavilhão.Mesmo sem ter acesso ao mundo exterior, Lisbeth dá um jeito de descobrir mais sobre as partes encobertas de sua infância traumática, depois que Holger Palmgren lhe apresenta pistas sobre um experimento pseudocientífico realizado com gêmeos. Claro que ela irá acionar o destemido jornalista Mikael Blomkvist para ajudá-la a desvendar esse mistério e a defender os desprotegidos, garantindo que os vilões paguem por seus crimes. Assim, a dupla está mais uma vez no cerne de um romance de tirar o fôlego, que aborda de modo fascinante muitas das graves questões que assombram o mundo hoje.

19 setembro 2017

Resenha: Deusa do Mar - Goddess


Autora: P.C. Cast
Editora: Novo Século
Número de páginas: 430
Ano: 2003
Avaliação: ☆☆☆

Sinopse: Na noite de seu vigésimo quinto aniversário, sozinha em seu apartamento, a Sargento da Força Aérea Christine Canady desejou uma coisa: um pouco de mágica em sua vida. Após beber muito champanhe, ela fez, de todas as coisas loucas, um ritual de invocação de uma deusa, esperando que aquilo de alguma maneira fizesse sua vida um pouco menos comum... Mas ela nunca acreditou que o feitiço fosse realmente funcionar! Quando seu avião militar cai no oceano, a missão de Chris no estrangeiro toma um rumo inesperado. Ela acorda para se encontrar em um tempo e lugar lendários onde a mágica governa a terra - ocupando o corpo da mítica sereia Ondina. Mas há perigo nas águas e a deusa Gaia transforma essa mulher militar e moderna em uma linda donzela para que ela possa procurar proteção em terra. Chris logo é resgatada (literalmente) por um cavaleiro de armadura brilhante. Ela deveria estar se apaixonando por esse sonho-tornado-realidade, mas ao invés disse ela deseja o mar e Dylan, o sexy tritão que roubou seu coração. 

Se existe algo que P.C. Cast sabe fazer muito bem nessa vida, é trabalhar com a mitologia. Em suas histórias ela sempre exalta a magia feminina com determinação, sabedoria e doçura. Em 2003 a autora lançou a série Goddess, onde ela trabalhou em um total de 8 livros, a concepção feminina dentro da mitologia grega e bretã, combinando lendas antigas e o mundo moderno em uma série maravilhosa. 

O primeiro livro da saga, Deusa do Mar, conta a história de Christine Canady, sargento da Força Aérea Americana que ao sofrer um acidente durante uma missão, é transportada para uma dimensão antiga, onde a serviço da Deusa Gaya, embarca em uma jornada para descobrir o seu verdadeiro proposito e encontrar o amor que tanto procura. As personagens sempre assumem o lugar de uma deidade especifica que assim como elas, precisa amadurecer. O encontro de duas almas em um só corpo, formando a ideia da Deusa dentro da mulher. 

Não sei se é porque é o primeiro livro da saga, mas eu senti que ficou algo faltando por aqui. Nesse primeiro livro, a autora foca na mitologia irlandesa, sobre a Deusa Gaya como referência junto ao Deus Lir. O interessante é que fica perceptível o quanto ela estudou "para não falar besteira", sobre o paganismo e as referências religiosas que ela colocou em ação na história. Tirando isso de lado, o que realmente ficou solto foi o arco da personagem principal. Na primeira metade Christine é determinada, forte, exuberante, sexy, inteligente. Na segunda metade ela começa a cair como uma "donzela em perigo" e na terceira, tudo se resume a uma história simples de romance. O interessante é ver como a autora constrói esse mesmo romance pela perspectiva feminina sem soar clichê ou até vaga demais. Então, por essa mesma dualidade dentro do livro, para o começo de uma saga, até que não foi exatamente ruim. 

Neste primeiro livro temos três personagens masculinos em destaque. Dois vilões e um mocinho. O nosso foco é Dylan, o tritão apaixonado. Minhas considerações sobre esse "mocinho" em questão, são bem fracas. Não sei se foi pela tradução da editora Novo Século ou se realmente, como já mencionei antes, foi a primeira tentativa dentro desse universo para a autora, mas ele é o clichezão do clichezão da literatura moderna "dessa onda romântica" - O diferencial é que ele fala COM a mulher e não PARA a mulher (afinal de contas é um personagem masculino criado por uma visão feminina). As cenas sexuais são bem explicitas e românticas, porém, (até hoje, mesmo depois de ter lido esse livro umas seis vezes), ainda não entendi muito bem como o ato sexual entre seres do mar funciona na visão da autora. (mais uma vez, pode ser culpa da tradução). 

Novamente, para um começo de saga e para nos dar uma ideia do que viria a seguir, Deusa do Mar é muito bom. Simples, mitologicamente didático, mantém um respeito sobre o paganismo, viciante e interativo. O melhor da saga? Não. Mas é impossível não se perder na magia dos oceanos descritos por P.C Cast, por isso, vale a pena conferir.