25 abril 2017

Resenha: O Grito que Ninguém Ouviu


Autora: Amanda Oliveira
Editora: Novo Século
Número de Páginas: 144
Ano: 2016
Avaliação☆☆☆

Sinopse: A maioria das pessoas, por mais diferentes que sejam, querem ter uma vida tranquila, realizar seus sonhos e, principalmente, ter o direito de escolher como viver, sem a interferência de acontecimentos dolorosos e violentos que batem à nossa porta todos os dias, seja através do noticiário da TV, seja nos cercando na esquina de uma rua qualquer. Este livro é um relato pessoal de Amanda Oliveira, uma jovem comum que, no auge de sua vida, experimentou a dor, o desespero e a solidão amarga que só quem vive conhece. Em questão de minutos, viu o seu belo mundo entrar em ruínas por conta da violência gratuita e de toda a negligência que sofreu. O intuito dessa história real não é oferecer ao leitor um manual de como superar adversidades ou traumas, tampouco uma receita de bolo para a felicidade; a vida é complexa demais e a reação de cada ser humano diante dos problemas é diferente. O objetivo, na verdade, é contar que é possível reconstruir a vida, mesmo quando tudo parece estar perdido, e inspirar cada pessoa a ser sempre o melhor que pode ser. No final, se abrirmos bem os olhos, poderemos aprender que perder é ganhar.

O livro apresenta a própria história da autora a partir de um trágico momento que mudou completamente a sua vida em questão de segundos.
Amanda foi alvejada enquanto sofria um assalto e nesse livro vamos acompanhando o relato das dificuldades sofridas durante e após o ocorrido.

Em uma narrativa curta e direta acompanhamos a história da autora, como ela se fechou para diversas oportunidades/situações, como seu sofrimento parecia aumentar a cada minuto e o que andava acontecendo ao seu redor após o ocorrido. Por ela tinha de passar por tudo aquilo? 

É um relato triste e carregado de dor, mas confesso que não me senti presa a leitura mesmo tendo empatia com a situação. Em alguns momentos eu desejava terminar logo o livro, a leitura estava chata e demorei meses para terminar de ler.
Não é um manual de superação, mas vamos vendo um ser humano superando suas adversidades depois de um acontecimento trágico. 
É aquela leitura que é "ok", mas sem nada de maravilhoso ou mágico.

A edição está bem trabalhada, não achei qualquer erro durante a leitura e a capa está condizente com a história, apesar de não ter gostado tanto.

23 abril 2017

Resenha: Reunião Sombria - Diários do Vampiro


Autora: L. J. Smith
Editora: Galera Record
Número de páginas: 256
Ano: 2010
Avaliação☆☆☆

Sinopse: Elena flutua em um misterioso limbo espiritual após se sacrificar para derrotar Katherine e salvar Stefan. Sua morte cobre Fell's Church de tristeza e desalento, mas é preciso seguir em frente. Bonnie, a melhor amiga, decide guardar o diário de Elena e ali registra os lentos sinais de recuperação da cidade, acompanhada de perto por Meredith e Matt. Mas sonhos perturbadores com a amiga morta estão prestes a mudar tudo... Pelos sonhos, Elena se comunica com Bonnie e avisa de um novo perigo a rondar a cidade. E só uma pessoa pode ajudá-los: Stefan. Mas o vampiro está desolado com a morte de Elena e tentando cumprir a promessa de permanecer ao lado de Damon. Os dois vagam sem rumo, sob a cruz de sua sina: a sede de sangue. Será que ele irá atender ao chamado inesperado que o colocará novamente no caminho de Elena - e daqueles que ela ama?

Nesse quarto livro da série vemos como alguns personagens ficaram com os acontecimentos do livro anterior. Nada irá voltar ao normal, mas eles precisam manter as aparências enquanto tentam seguir em frente e é nesse cenário que algo improvável, estranho e sinistro acontece. 

Bonnie tem um sonho com Elena, algo macabro e nada comum que faz com que a jovem fique bastante perturbada. Mas, aos poucos ela vai percebendo que não se trata apenas de um sonho, sua amiga está tentando comunicar-se com ela da melhor maneira possível, mas alguém mais poderoso que Elena tenta atrapalhar essa comunicação. 
Enquanto isso Meredith acaba tendo uma festa surpresa organizada por Caroline que tenta fazer de tudo para manter as aparências e fazer com que as coisas voltem ao "normal". Só que as garotas não esperavam ser atacadas por alguém. Será que esse alguém é o novo poder que está rondando a cidade, o poder sombrio que Elena estava tentando avisar Bonnie?

As garotas precisam da ajuda de alguém para lidar com esse novo poder sobrenatural e para isso terão de chamar Stefan. Mas, e se ele não for capaz de deter essa poderosa força?
Diferente dos volumes anteriores, nesse livro vamos acompanhando a história sendo narrada por Bonnie e não foi algo muito positivo, pois a personagem em questão é muito infantil em diversas situações e não amadureceu muito depois de tudo que passou.
Meredith por outro lado está se esforçando para ser forte, indo contra as dificuldades e lutando quando necessário. 

O livro tem uma história bem diferente do seriado em diversos aspectos e sinceramente nunca achei que fosse achar uma adaptação melhor do que a leitura. Nesse quesito o livro peca muito, pois vem cheio de seres poderosos, misticismo e algumas coisas que não esperávamos, mas não agrada tanto quanto os anteriores. Como se todas essas coisas fossem jogadas de qualquer jeito e a autora estivesse torcendo para dar certo. 
São várias pequenas reviravoltas e um final realmente inesperado, mas poderia ter sido uma história mais trabalhada. Aconteceu tanta coisa que não consegui ficar tão envolvida com a história, acho que poderia ter um pouco mais de profundidade. 

Pensei em desistir da série, mas pretendo ler pelo menos para terminar esse arco, depois eu vou saber se continuo ou não com os demais livros que envolvem toda essa saga. 

18 abril 2017

Resenha: Confissões de Uma Garota Excluída, Mal - Amada e (Um Pouco) Dramática


Autora: Thalita Rebouças
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 272
Ano: 2016
Avaliação

Sinopse: Tetê acaba de se mudar com a família toda para Copacabana, no Rio de Janeiro, para a casa dos avós. O lindo e espaçoso apartamento da Barra da Tijuca em que morava teve que ser vendido, pois com a crise o pai foi demitido, e o resultado é que a vida dela virou de cabeça para baixo. Além de perder a privacidade, tendo que dividir o espaço com cinco parentes malucos que brigam o tempo todo, ela perdeu todas as suas referências. A única coisa que a deixa feliz é cozinhar. E, claro, comer as delícias que faz.O lado bom foi se livrar do antigo colégio, no qual sofria bullying por causa de seu jeito peculiar. Sem contar sua desilusão amorosa... O problema é que ela está apavorada, porque agora tudo será novo e estranho, com o ensino médio, com a nova escola, e sem conhecer ninguém. E morre de medo de ser excluída ou de sofrer bullying novamente. Ela está bem mal, para dizer a verdade. Ou talvez seja um pouco de drama, porque já no primeiro dia as coisas parecem ser um pouco diferentes... Pelo jeito, tudo vai mudar, e para melhor.

Teanira (mais conhecida como Tetê), acaba de se mudar com a família para Copacabana, para a casa de seus avós. Devido a crise eles precisaram colocar o apartamento a venda, pois seu pai acabou perdendo o emprego.
Tetê está passando por um momento complicado fora essa mudança brusca, pois sempre sofreu Bullying na escola anterior por não se encaixar nos padrões e como se não bastasse isso seu relacionamento com os pais não é tão agradável. 

Logo no começo a mãe da personagem leva a filha ao psiquiatra, pois a garota não tem amigos ou namorado, seu comportamento é estranho e nada condizente com o que ela gostaria que a filha fosse. 
Vamos acompanhando a história de Tetê e percebendo que sua família é muito problemática, que ao invés de dar apoio apenas a critica sempre que possível. 

Tetê está em um novo colégio, tentando fazer amizades e isso não poderia ser mais desastroso, pois quem deveria ser o amigo dela não é nada construtivo e está ali apenas para um alívio cômico desnecessário ao invés de servir de fato para alguma coisa. A história desse livro poderia ser melhor abordada ao invés de passar por cima de tudo de um jeito debochado e sem noção.
O livro é voltado para o público juvenil e percebemos que a autora não teve nenhum cuidado ao abordar os temas de forma inteligente, apenas faz chacota de tudo e exagera nas situações a ponto de beirar ao ridículo. 

Ao invés de abordar os temas com seriedade resolveu construir um enredo cômico que não ajudou em nada na história. Fez tudo ir ficando cada vez pior. E as coisas só começam de fato a "melhorar" quando Tetê começa a se encaixar nos padrões; vemos personagens que poderiam ter um verdadeiro propósito profundo serem jogados na narrativa para ser a coisa mais fútil possível.
Parece que nada nesse livro foi feito para servir de ajuda para os jovens! Mostra apenas que se você se encaixar nos padrões impostos vai conseguir o ser levada a sério, respeitada e ter seu famoso "final feliz".

Fiquei muito decepcionada com a autora, esperava muito mais e já estava chateada com o título que é completamente sem noção antes mesmo de ler a obra. Como tiveram coragem de publicar algo desse nível?
Foi a primeira vez que eu li algo da autora e sinceramente não pretendo ler outra obra, e como diz uma frase famosa: teria sido melhor ter ido ver o filme do pelé.
No mais gostei da diagramação e da ilustração da capa.

Apenas para frisar que você pode ler o livro e não ver nenhum dos defeitos que eu vi ou ver mais coisas, opiniões nem sempre são iguais. Por isso leia caso queira tirar suas próprias conclusões.