23 maio 2016

Resenha: Uma História Incomum sobre Livros e Magia


Autora: Lisa Papademetriou
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 192
Ano: 2016
Avaliação☆☆☆☆
Sinopse: Duas meninas encontram um livro mágico e cada uma se vê envolvida numa história que parece ser contada sozinha. Kai chega ao Texas para visitar sua tia-avó Lavinia – uma senhora extravagante, durona e fã de hip-hop. Do outro lado do mundo, no Paquistão, Leila deseja ser tratada como uma princesa pela família de seu pai e viver fortes emoções.
Elas só não fazem ideia de que seus mundos completamente diferentes estão prestes a se chocar graças a um enigmático livro em branco.
Quando Kai escreve no livro, suas palavras magicamente aparecem no exemplar de Leila. As meninas então percebem que O cadáver excêntrico reage a cada frase acrescentada – não importa se foi inspirada pelo ataque de um chihuahua ou por um mal-entendido com uma cabra – com um trecho da história de amor vivida por Ralph Flabbergast e Edwina Pickle mais de cinquenta anos antes.
Uma história incomum sobre livros e magia entrelaça essas três perspectivas – de Kai, Leila e Ralph – de uma forma divertida e emocionante. É uma narrativa mágica sobre o destino e os laços invisíveis que nos ligam uns aos outros.


Kai acaba de chegar no estado do Texas para visitar sua tia-avó Lavinia, uma mulher muito extravagante e bem diferente do que a garota está acostumada. Mas, nada disso importa porque a viagem mágica de Kai acabou de começar no momento que ela resolveu explorar a casa e acabou deparando-se com um livro, O Cadáver Excêntrico.

Do outro lado do mundo está Leila. Uma garota comum que sonha em viver uma aventura parecia com as que ela lê nos livros das Irmãs Amadas, mas o destino reserva para ela algo muito diferente, pois enquanto observa a biblioteca particular na casa do tio ela depara-se com um exemplar do livro O Cadáver Excêntrico.

O livro O Cadáver Excêntrico reage a cada frase acrescentada por Leila ou Kai, e as garotas começam a descobrir que a história vai surgindo aos poucos nas páginas que antes estavam em branco. A história que surge envolve Ralph e Edwina, mas isso vai muito mais além do que magia, pois a história de amor do casal aconteceu a mais de cinquenta anos atrás e não trata-se apenas de uma história nas páginas de um livro, e sim de algo muito real.

O livro tem uma premissa interessante e envolvente. A leitura foi prazerosa e apesar de ser uma história curta fiquei demorando na leitura para viajar um pouco no mistério que envolvia o livro e as duas garotas.
Apesar de ter gostado muito de como tudo está interligado com a vida de Kai e Leila, eu achei o final muito rápido e pouco trabalhado. Você imagina tanta coisa acontecendo e acaba acontecendo bem mais do que você imagina, mas é tudo de forma tão rápida que não pude nem assimilar direito o que aconteceu.

Os personagens são bem trabalhados na medida do possível, pois por ser um livro curto não dá para aprofundar-se muito nas coisas, mas isso não atrapalha em nada a leitura. É aquele tipo de livro para ler sem qualquer "compromisso" e apenas aproveitar a magia que envolve a história.
Apesar do final não ser tão trabalhado, não estraga a magia que o livro proporciona no decorrer da leitura.

A diagramação está muito linda, os capítulos intercalam entre as duas personagens principais e não achei qualquer erro de português. Inclusive a editora está de parabéns pelo trabalho feito no exemplar.

Mini-Opinião: Não me esqueça



Autora: Ali Cronin
Editora: Seguinte
Número de páginas: 16
Ano: 2013
Avaliação☆☆

Sinopse: Durante os preparativos para a viagem de férias com seus pais para a Espanha, Sarah descobre uma caixa repleta de recordações. Conforme ela relembra histórias de seus amigos, será que ela descobrirá que seus sentimentos por um deles é mais forte do que imaginava?



Nesse pequeno conto vemos mais um pouco do universo que envolve o livro Nada é Para Sempre e temos Sarah tentando arrumar seu quarto depois de receber um ultimato da sua mãe, caso contrário ela não iria viajar. Com isso a jovem acaba encontrando uma caixa repleta de recordações com antigas fotos que envolvem todos os seus amigos.

O conto aborda muito a amizade e os sentimentos que envolvem a personagem em questão. Como não li o primeiro livro da série não posso contar muito sobre o universo da mesma, mas de qualquer forma Sarah começa a perceber que está gostando bem mais do que deveria de um dos amigos.
É basicamente isso o conto todo! Ela relembrando algumas coisas e descobrindo um pouco mais sobre seus sentimentos, nada de muito interessante. 

Pode ser que ao não ter lido o primeiro livro da série eu possa não ter me envolvido tanto com os contos que eu li sobre a mesma, mas ainda sim acho que faltou mais profundidade na história. 
Sei que contos são curtos, mas não consegui me sentir motivada para ler o primeiro livro lendo esse conto, como já aconteceu com contros de outras séries.

De qualquer forma é uma leitura leve e curta, é uma pena que a mesma não tenha me agradado tanto quanto eu gostaria. 

20 maio 2016

Promoção: Open House - Cantar em Verso


O blog Cantar em Verso está de casa nova e por isso resolveu fazer uma promoção para reunir alguns blogs amigos para presentear seus leitores. Mas antes de garantir a sua participação conheça o novo blog, que está com layout novo e que terá algumas novidades em breve.

O prêmio

Box de trilogia Jogos Vorazes

Blogs participantes

18 maio 2016

Resenha: Grey


Autora: E.L. James
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 528
Ano: 2015
Avaliação☆☆
Sinopse: Na voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo.Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido.
Será que, com Ana, Christian conseguirá dissipar os horrores de sua infância que o assombram todas as noites? Ou seus desejos sexuais obscuros, sua compulsão por controle e a profunda aversão que sente por si mesmo vão afastar a garota e destruir a frágil esperança que ela lhe oferece?

Grey é o volume que conta a história do ponto de vista de Christian.
Nesse livro conhecemos um pouco mais afundo o personagem e apesar de toda a história ser narrada pela sua perspectiva, não senti tanta diferença. Apenas vi a história mais "curta e grossa", por assim dizer.

Christian precisa exercer controle sobre tudo e todos, mas nem sempre as coisas saem do jeito como ele gostaria quando conhece Anastasia Steele, uma jovem universitária que acaba mexendo com os sentimentos mais profundos do dominador.

Como muitas pessoas conhecem a história anterior na versão da Ana, vou me atear aos detalhes que estão apenas nesse volume, que é basicamente o modo como Christian reage aos acontecimentos e como algumas cenas acontecem no ponto de vista dele! Poucas coisas mudaram nesse livro na minha opinião e eu pensava que veria um mundo novo e tudo mais, porém foi um grande engano.

Christian continua sendo um perseguidor no meu ponto de vista e todas as cenas que são apresentadas aqui tem poucas coisas como acréscimo e uma delas é o palavreado. Eu nunca me incomodei com palavras de baixo calão em livros, muito pelo contrário, mas nesse livro o modo como os palavrões são colocados foi algo completamente torturante.

Claro que a mesma história sobre o ponto de vista de outro personagem as vezes "é um tiro no pé", mas ainda possuía algumas esperanças que desse tudo certo no final!
De qualquer forma achei a história ainda mais forçada que na versão da Ana, o Christian não é nenhum pouco interessante e mesmo tendo diversos problemas devido a sua infância complicada e tudo mais, eu não consegui ver o motivo de algumas atitudes dele.

Algumas passagens do livro eram narradas por um Christian ainda criança e cheio de problemas. Acho que por esse motivo consegui me manter na leitura e foi a chave para manter minha nota um pouco maior do que o esperado quando cheguei ao final do livro.

No mais foi uma leitura sem acréscimo nenhum, chata em sua grande maioria e que apesar de tudo li absurdamente rápido.
Vale lembrar que para quem não sabe a história é baseada em Crepúsculo, pois anteriormente a mesma era uma fanfic baseada nesse universo. Por isso você pode encontrar semelhanças entre os personagens.

De qualquer forma sugiro que para quem leu a resenha e goste do universo dê uma lida para tirar as próprias conclusões, pois apesar de não ter me agradado, a leitura pode vir a agradar você.