24 julho 2016

Resenha: Para Sempre Sua


Autora: Sylvia Day
Editora: Paralela
Número de páginas: 312
Ano: 2013
Avaliação☆☆☆☆☆

Sinopse: A partir do momento que conheci Gideon Cross, vi nele algo que precisava. Algo que não podia resistir. Eu vi a alma perigosa e danificada — muito parecida com a minha. Eu estava atraída por isso. Eu precisava dele, tanto quanto precisava que meu coração batesse.Ninguém sabe o quanto ele arriscou por mim. O quanto fui ameaçada, ou quão sombria e desesperada a sombra de nosso passado se tornaria.
Entrelaçados por nossos segredos, nós tentamos desafiar as probabilidades. Nós fizemos nossas próprias regras e nos rendemos completamente ao poder requintado da posse…


Nesse terceiro livro da série, Eva e Gideon tem que lidar com as consequências do que aconteceu no final do volume anterior, talvez ficar juntos no momento não seja uma boa ideia, pelo menos não onde outras pessoas podem vê-los. 
Com isso os dois se afastam para tentar colocar um plano em prática e quem sabe seguir com as suas vidas sem qualquer consequência drástica. 

Eva e Gideon contam seus segredos mais obscuros um para o outro e a cada dia que passa ficam mais e mais unidos, porém sempre que Eva sente-se insegura ela costuma fugir ou até mesmo deixar Gideon fora do controle, porque o moreno também não é muito bom quando o assunto envolve sentimentos.

Nesse livro temos a premissa de definir finalmente como será o relacionamento do casal e vemos o crescimento dos dois de acordo com o passar da história. 
Cary - amigo de Eva - também está com sérios problema de relacionamento, pois ele não consegue ficar apenas com uma pessoa e isso está complicando um pouco a vida do rapaz.

Também não poderia faltar um ex-namorado de Eva para deixar Gideon completamente possesso e uma mulher do passado de Gideon que promete deixar a vida do casal um verdadeiro inferno. Somando tudo isso com a mãe de Gideon se negando a aceitar Eva com o filho, temos um livro regado a intrigas, relacionamentos conturbados e muito sexo.

A autora segue com o mesmo estilo de narrativa e com certeza é uma leitura maravilhosa.
Anteriormente era para ser uma trilogia e esse seria o último livro, mas ainda bem que fizeram uma série para que algumas coisas pudessem ter um final adequado na história. 

Apesar de ter encontrado alguns erros na leitura, eu consegui ler sem problema nenhum, pois não foram tão graves assim. 
A diagramação segue o mesmo estilo do livro anterior e gostei muito da capa.

Quero encontrar você na minha casa todos os dias quando chegar, tomar café da manhã com você ao acordar, ajudar você a fechar o zíper do seu vestido de manhã e a abri-lo à noite.

19 julho 2016

Resenha: Anjo Mecânico - As Peças Infernais


Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Número de páginas: 392
Ano: 2012
Avaliação☆☆☆☆

Sinopse: Tessa Gray tem um anjinho mecânico pendurado no pescoço, um presente de família do qual nunca se separa. O tique-taque do pingente faz com que ela se sinta segura junto à lembrança dos pais, que já morreram. Mal sabe Tessa que esse barulhinho muito em breve vai se tornar o odioso som de um exército comandado por forças do Submundo. Com os Caçadores de Sombras e seu recém-descoberto poder sobrenatural, ela enfrentará uma guerra mortal entre os Nephilim e as máquinas do Magistrado, o novo comandante das trevas na Londres vitoriana.


Nesse primeiro volume da trilogia As Peças Infernais, conhecemos Tessa Gray. Uma jovem que está indo para Londres morar com o irmão, que é seu único parente vivo após a morte de sua tia. Mas, o que Tessa não sabia é que embarcaria em uma aventura, pois ao chegar em Londres ao invés de deparar-se com o irmão, duas mulheres vão recebê-la com um bilhete assinado pelo mesmo.

Tessa vai com "as irmãs sombrias" achando que elas a levariam para o irmão, mas as mulheres a levam para um local onde a tornam uma prisioneira que precisa fazer tudo que lhe é ordenado. Assim Tessa descobre que tem um estranho poder de transformar-se em outra pessoa apenas segurando algum objeto que pertenceu a mesma.

A jovem é salva por caçadores de sombras que a partir daquele momento irão protegê-la durante toda a história até que o mistério seja solucionado, pois alguém do mundo das sombras está com seu irmão e deseja ter poder sobre a habilidade da jovem.
Enquanto é protegida, Tessa tem de morar em um instituto com caçadores de sombras e acabamos vendo um poucos mais de perto alguns personagens.

O livro nos trás personagens que conhecemos da série instrumentos mortais, personagens novos e toda aquela ação de luta com demônios, feiticeiros, vampiros e muito mais. Realmente um ótimo começo de trilogia.

A história se passa bem antes da série Instrumentos Mortais, pode ser lida antes ou depois da mesma que não atrapalhará o entendimento. Na verdade achei os personagens bem mais maduros nessa trilogia se for comparado aos personagens da série, creio que pela história passar-se na era vitoriana, alguns personagens são bem mais recatados e cheio de regras do que os outros, mas isso não muda o fato que quando necessário as regras são quebradas de forma até mesmo inconsequente (o que chega a ser bem emocionante).

Temos uma história divertida, cheia de reviravoltas e que começou muito bem envolvida com mistérios. 
Gostei da diagramação do livro, a capa está maravilhosa e não encontrei qualquer erro durante a leitura. A escrita da autora continua envolvente e com certeza vou ler o próximo livro da trilogia.

Vale a pena ressaltar que para quem não gosta de triângulos - sejam eles amorosos ou não - temos um nessa história. O que me fez ficar bem animada, pois os personagens não são nada comuns e não tem como não se apaixonar com Will e James interagindo com Tessa.

Pulvi setum brasumus. Uma frase de Horácio. Somos pó e sombras. Adequado, não acha? - disse Will. - Não é uma vida longa, a que se leva matando demônios; tende-se a morrer cedo e então queimam nossos corpos. Do pó ao pó, literalmente. E então desaparecemos nas sombras da história, nem uma marca na página de um livro mundano para lembrar que sequer existimos um dia.

18 julho 2016

Promoção: O Amor nos Tempos de #Likes


O Fórmula do Amor está comemorando algo especial. O blog atingiu a marca de 1000 seguidores e para dar boas vindas para quem está chegando irá sortear o livro "O Amor nos Tempos de #likes", junto com o blog Seguindo o Coelho Branco. Para participar é só preencher o formulário e seguir as regras.

Regras e orientações:

+ Residir no Brasil;
+ Preencher as regras obrigatórias, (Curtir a Página do Fórmula do Amor e seguir o blog Seguindo o Coelho Branco), conforme está pedindo no formulário.
+ As demais regras são opcionais e te dão mais pontos no sorteio.
+ Os blogs que estão realizando o sorteio não se responsabilizam por extravio do correio.
+ O vencedor terá 72 horas para responder o e-mail que lhe for enviado pedindo informações de envio.
+ O sorteio vai até o dia 17/08 e o resultado pode ser postado no mesmo dia ou no dia seguinte (18/08).

14 julho 2016

Resenha: Morte Súbita


Autora: J. K. Rowling
Editora: Nova Fronteira
Número de páginas: 500
Ano: 2012
Avaliação: 
Sinopse: Quando Barry FairBrother morre inesperadamente aos quarenta e poucos anos, a pequena cidade de Pagford fica em estado de choque.
A aparência idílica do vilarejo, com uma praça de paralelepípedos e uma antiga abadia, esconde uma guerra.

Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com os maridos, professores em guerra com os alunos Pagford não é o que parece ser à primeira vista.
A vaga deixada por Barry no conselho da paróquia logo se torna o catalisador para a maior guerra já vivida pelo vilarejo. Quem triunfará em uma eleição repleta de paixão, ambivalência e revelações inesperadas? Com muito humor negro, instigante e constantemente surpreendente, Morte Súbita é o primeiro livro para adultos de J.K. Rowling, autora de mais de 450 milhões de exemplares vendidos.

Morte súbita é um livro sobre o cotidiano de pessoas comuns, como eu e você. Com vivências diferentes e pensamentos não tão puros como sua máscara de "gente do bem" sugere. Tudo tem início com a morte de Barry Fairbrother, um dos conselheiros de Pagford que de forma súbita entra em óbito deixando sua cadeira no conselho vaga.

Com as eleições em vista antigos problemas do vilarejo são trazidos à tona e a antiga rixa entre Pagford e Fields se torna ainda mais acirrada e os candidatos se dividem entre: Pró-Fields e Anti-Fields. Mas, deixa eu explicar melhor o que isso significa...

Pagford é um pequeno vilarejo governado por conselheiros, que são como os nossos vereadores. São eles que representam a vontade do povo perante o governo de Yarvil, a cidade vizinha que não conseguiu torna-los um Município ainda. No meio disso tudo (literalmente) está situado Fields, uma espécie de favela que abriga pessoas marginalizadas pela sociedade, pessoas pobres que muita das vezes tem um certo grau de envolvimento com as drogas e pequenos furtos.

O grande impasse se instala quando Fields que antes fazia parte de Yarvil, se torna parte de Pagford em meados de 1950. Desde então e até os dias de hoje, os moradores mais ricos e bem apessoados de Pagford vem tentando expulsar os moradores de Fields das suas ruas e despeja-los em qualquer outra sarjeta, desde que não estejam "sujando" a vista de seu belo vilarejo pitoresco.

É nesse cenário que a nossa história irá se desenvolver, em meio a intrigas e ofensas veladas, uma história que não abriga nem vilões e nem mocinhos. Ao menos não segundo a nossa tão conhecida definição do que é certo e do que é errado.

"Foram eles que fizeram as suas próprias vidas, pensou com ironia, dobrando a esquina da Foley Road. As vítimas do Fantasma de Barry Fairybrother estavam atoladas na lama da hipocrisia e das mentiras, e não gostavam de escândalos. Eram insetos estúpidos que fugiam da luz brilhante. Não sabiam nada da vida real." Pág. 380 

Como eu não me dei ao trabalho de me encher com altas expectativas em relação a esse livro acabei me surpreendendo com o desenrolar da trama, que começa bem monótona e sem graça, vai tomando forma ao decorrer da narrativa e termina conquistando o leitor de modo a fazê-lo desejar ler mais 500 páginas do mesmo enredo.

No começo a quantidade de personagens me deixou um tanto confusa. As mudanças de ponto de vista que ocorrem simultaneamente durante todo o livro me fez confundir alguns deles, até que eu consegui gravar cada personalidade e modo de falar. Depois disso foi só sentar e apreciar a treta de camarote com um balde de pipoca do lado kkk

Mas, fugindo às brincadeiras a respeito dessa disputa de território e tudo que isso acarreta a todos os envolvidos (principalmente os mais pobres) a autora trás um questionamento muito interessante e uma crítica explícita ao modo de governo e como isso afeta os cidadãos de determinadas regiões.

Dentre todos os personagens que são apresentados o que mais me cativou foi Krystal. Uma garota de 16 anos filha de uma mulher viciada que já perdeu dois filhos para a adoção e está a caminho de perder o mais jovem de apenas 3 anos e meio. Krystal é a principal responsável pelos cuidados do irmãozinho, mas diferente de outras tramas que tentam amadurecer esse tipo de personagem a autora optou por retratá-la como uma garota da idade dela e nas suas condições se portaria: Com boas intenções, porém sem nenhuma estrutura para fazê-lo.

No final eu fiquei muito encantada com a obra e percebi que esse é o tipo de história que marca a vida do leitor, com todo seu drama e sua realidade nua e crua.