19 novembro 2013

Resenha: Bruxos e Bruxas




Autor: James Patterson
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 288
Ano: 2013
Avaliação
Sinopse: No meio da noite, os irmãos Allgood, Whit e Wisty, foram arrancados de sua casa, acusados de bruxaria e jogados em uma prisão. Milhares de outros jovens como eles também foram sequestrados, acusados e presos. Outros tantos estão desaparecidos. O destino destes jovens é desconhecido, mas assim é o mundo sob o regime da Nova Ordem, um governo opressor que acredita que todos os menores de dezoito anos são naturalmente suspeitos de conspiração. E o pior ainda está por vir, porque O Único Que É O Único não poupará esforços para acabar com a vida e a liberdade, com os livros e a música, com a arte e a magia, nem para extirpar tudo que tenha a ver com a vida de um adolescente normal. Caberá aos irmãos, Whit e Wisty, lutar contra esta terrível realidade que não está nada longe de nós.

Esse é o segundo livro que eu leio do autor, e pensei que gostaria,pois a temática me chama muito a atenção. Contudo tive o desprazer de comprovar que esse livro é muito ruim, e tenho quase certeza que estava empolgada devido a grande jogada de marketing que fizeram em cima dele.

Nesse livro conhecemos os irmãos Allgood (Whit e Whisty) que acabam sendo levados de sua casa no meio da noite por pessoas altamente armadas e sendo acusados de bruxaria. É ai que começa o meu tormento..afinal tem tudo para ser uma história incrível correto?
As narrações são em primeira pessoa e cada capítulo é narrado por um dos irmãos que não sabe nada sobre o poder que habita dentro deles ou sobre a Nova Ordem, nem na verdadeira confusão em que se meteram porque seus pais foram irresponsáveis e não os ensinaram a magia para deixa-los viver uma vida norma (eu acho que tenha sido por isso, mas bom é aquele velho clichê dos livros)! Então vemos umas demonstrações de poder que me fizeram rir,pois a descrição dos personagens chega a ser patética, mas eu entendo que são adolescentes, porém eles são completamente péssimos.

No decorrer do livro vãos sendo jogados cada vez mais mundos paralelos, poderes, situações, e coisas que realmente são chocantes em alguns momentos, mas confesso que não consegui me ligar a história. As vezes até estava torcendo para o Único que é o único matar a família Allgood de uma vez para o meu tormento acabar, mas ele não fez isso, bom, pelo menos não ainda. O livro começa inclusive com a família Allgood na forca tentando explicar sua história para o leitor desde quando tudo começou.

O que me pega de surpresa é que a temática é realmente interessante. Um governo opressor que acusa os jovens de bruxaria e tenta manter tudo na sua ordem deturpada fazendo a caça as bruxas literalmente, ou seja, tem tudo para ser uma história incrível (volto a frisar).
Se os personagens deveriam sere cômicos acabaram chegando ao ponto do ridículo em alguns momentos, então acho que o escritor não foi muito feliz nesse ponto.

É um livro que os acontecimentos vão só enchendo as páginas e nada mais, em um universo que tinha tudo para ser bem explorado com várias dimensões, portais, bruxaria e um governante opressor.
Não achei nenhum erro até onde eu me lembre e de todos os defeitos a única coisa que se salva é a capa, pois foi um trabalho bem feito pela parte da editora.

3 comentários

  1. Nossa! Eu já vi muitos comentários negativos sobre esse livro. Eu nunca li nada do James Patterson, mas devo confessar que este em especial não me despertou o interesse. Quero ler outros livros do autor como Lua de Mel, O Diário de Suzana para Nicolas, O dia da caça... entre outros.

    Ótima resenha. Beijos!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. particularmente já sou mega traumatizada com o autor, por isso não quero ler mais nada dele nunca mais !

      Excluir
  2. Já leu "O diário de Suzana para Nicolas"? É do mesmo autor e eu adorei.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!