15 janeiro 2015

Resenha: Vermelho Como o Sangue



Autora: Salla Simukka
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 240
Ano: 2014
Avaliação☆☆

Sinopse: No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue.Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos.Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios. Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma.


Nesse livro temos o vislumbre de um acontecimento muito confuso e ao mesmo tempo misterioso já sendo descrito nas primeiras páginas. Algumas pessoas estão invadindo um local para fazer algo contra a lei e que parece envolver muito dinheiro! 

Enquanto isso no dia seguinte vemos a jovem Lumikki entrando em um dos locais da escola de artes que frequenta e acaba deparando-se com muito dinheiro que está literalmente pendurado e secando. Ao que tudo indica o mesmo estava sujo de sangue e alguém por algum motivo achou melhor colocar ali no colégio como se fosse o local mais seguro do mundo, e que ninguém fosse descobrir. Depois disso vida da garota vira de pernas para o ar.

Lumikki deixou sua vida antiga para trás quando decidiu morar longe dos pais e de tudo que conhecia para frequentar a escola de artes onde está nos dias atuais. Essa parece ser uma das decisões mais inteligentes que ela acabou tomando, porém de vez em quando o passado sempre volta para atormentar. Seja pessoalmente ou em pesadelos durante a noite.

Lumikki começar a conversar e se envolver com pessoas que nunca imaginou, afinal ela não tem muita paciência ou vontade de ter um bom convívio social com as pessoas do seu colégio. Todos eles parecem ser uma grande perda de tempo.

O livro é narrado em terceira pessoa e algumas vezes me senti muito distante da personagem principal. Basicamente o narrador tenta mostrar como Lumikki consegue agir como uma espiã e se disfarçar mudando completamente de aparência. Como ela absurdamente tem a capacidade ser alguém completamente bem treinada para todas as coisas devido a sua infância difícil e tudo mais, ou seja, me senti sendo obrigada a acreditar em tudo isso e as situações estavam tão forçadas que eu pensei em abandonar a leitura.

Lumikki tem 17 anos e não consegue ter qualquer laço afetivo com outro ser humano e fica desconfortável quando é abraçada ou algo do tipo. A autora passa o livro todo tentando justificar as reações da personagem a qualquer tipo de situação que ela fique desconfortável. 

O livro começa a ficar cheio de cenas de "ação" e nem com isso fui me animando. A autora não escreve mal, muito pelo contrário! Eu achei que ela escreveu muito bem, porém a história não funcionou nenhum pouco para mim. 
Achei alguns pequenos erros no meu exemplar (algumas  palavras estavam com as letras apagadas) e isso me incomodou um pouco, no mais eu gostei da capa. Não apenas essa capa como as outras que eu v, e elas com certeza chamam a atenção, porém não pretendo continuar a leitura da trilogia.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!