16 abril 2015

Resenha: Bruxa da Noite


Autora: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 320
Ano: 2015
Avaliação☆☆☆☆

Sinopse: Com pais indiferentes, Iona Sheehan cresceu ansiando por carinho e aceitação. Com a avó materna, descobriu onde encontrar as duas coisas: numa terra de florestas exuberantes, lagos deslumbrantes e lendas centenárias – a Irlanda.Mais precisamente no Condado de Mayo, onde o sangue e a magia de seus ancestrais atravessam gerações – e onde seu destino a espera. Iona chega à Irlanda sem nada além das orientações da avó, um otimismo sem fim e um talento inato para lidar com cavalos. Perto do encantador castelo onde ficará hospedada por uma semana, encontra a casa de seus primos Branna e Connor O’Dwyer, que a recebem de braços abertos em sua vida e em seu lar.
Quando arruma emprego nos estábulos locais, Iona conhece o dono do lugar, Boyle McGrath. Uma mistura de caubói, pirata e cavaleiro tribal, ele reúne três de suas maiores fantasias num único pacote.
Iona logo percebe que ali pode construir seu lar e ter a vida que sempre quis, mesmo que isso implique se apaixonar perdidamente pelo chefe. Mas as coisas não são tão perfeitas quanto parecem. Um antigo demônio que há muitos séculos ronda a família de Iona precisa ser derrotado.
Agora parentes e amigos vão brigar uns com os outros – e uns pelos outros – para manter viva a chama da esperança e do amor.

Esse é o primeiro livro da trilogia Primos O'Dwyer e trata-se de uma história cheia de magia, mistério e romance. Bem no começo do livro conhecemos quem foi a primeira Bruxa da Noite (Sorcha), e a história por trás desse nome, mas isso é apenas uma pequena introdução para o que virá no decorrer da leitura.

Iona é uma garota que anseia por carinho e atenção com todas as suas forças, e após descobrir com sua avó materna que ela precisa ir a Irlanda (para desenvolver sua magia) a jovem fica em êxtase, pois ela nunca pensou que poderia fazer "parte de algo maior". 

Depois de largar todas as coisas que faziam parte da sua vida (emprego e tudo mais), ela se vê indo rumo a Irlanda para encontrar um mundo novo e espera ser aceita por seus primos que moram no local. 
Afinal, a jovem precisa se conectar com a magia que corre em suas veias, e para isso irá precisar da ajuda dos primos.

Ao chegar no local ela se vê completamente apaixonada pelas paisagens e tem quase certeza que fez a coisa certa em mudar-se para lá.
Irá passar uns dias no hotel/castelo e durante esse tempo irá procurar um local para morar. Ao tentar dar uma olhada onde sua prima mora e a jovem fica surpresa com o quanto é bem acolhida  e pela primeira vez entende o significado da palavra família, pois a única que a tratava com carinho era sua avó materna.

No decorrer da leitura vamos conhecendo diversos personagens e cada um tem sua personalidade bem construída, porém algo que me incomodou muito na Iona foi a necessidade urgente de ser amada, e isso faz com que ela se jogue de cabeça no primeiro relacionamento que aparece. Fazendo com que o homem que está interessado nela fique um pouco assustado com isso.
Ela estava desesperada demais atrás de alguém que lhe desse amor e eu também não senti nenhuma química entre Iona e seu par romântico. Acho que tudo aconteceu rápido demais, e isso atrapalhou um pouco esse romance.

O vilão da história (Cabhan) é um antigo bruxo que acabou não morrendo por completo e está vagando pelos mundos a procura de pessoas que sejam descendentes da Bruxa da Noite, para poder adquirir mais magia!

Eu fiquei um pouco irritada porque não consegui me conectar com a Iona, então todas as vezes que ela sofria um ataque do bruxo Cabhan ou sonhava com ele, ela tinha de descrever tudo em detalhes para seus primos e essas cenas foram ficando cansativas. Eles pareciam mais falar do que agir, mas a leitura foi progredindo na medida do possível.

Foi um livro que focou muito nos relacionamentos familiares e amizade, fora magia e romance. Então foi uma história bonita, por assim dizer. 
Espero que o próximo livro seja melhor e eu consiga gostar mais e me conectar melhor com os personagens.
Vale a pena dar uma conferida na história porque ainda sim a autora consegue descrever (algumas coisas) com maestria, que faz com que o leitor fique conectado, mas infelizmente não me conectei com tudo.
Basta não ir com muita sede ao pote, mas tenho certeza que vão gostar na medida do possível. 

“Desse modo meu sangue amaldiçoa o seu por toda a eternidade. Como eu farei. Que assim seja”.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!