23 setembro 2015

Resenha: Doce Vampira


Autora: Ju Lund
Editora: Avec
Número de páginas: 197
Ano: 2015
Avaliação☆☆☆☆
Sinopse: Os vampiros se revelaram ao mundo, mas ainda sofrem muitas desconfianças dos humanos. Apaixonadas Duda e Esther precisam lidar com todos os tipos de discriminação por serem de raças diferentes e ambas do mesmo sexo. Será que o amor delas sobreviverá a segredos e ao fanatismo? Descubra nesse romance com toques de drama e mistério. Entre de cabeça no universo fantástico criado pela escritora Ju Lund.

Duda acabou apaixonando-se pela pessoa mais improvável que ela poderia imaginar. Esther é a paixão de Duda, mas o fato da mesma ser uma vampira acaba tornando a situação cada vez mais complicada.
O mundo conhece a existência dos vampiros, mas os mesmos não são vistos com bons olhos e isso faz os pais de Eduarda exigirem que a filha faça algo a respeito dessa situação.

Com os pais conservadores, Duda acaba trocando bilhetes escondidos com Esther e planeja fugir com sua vampira, o problema é que a jovem não atingiu a maioridade, por isso ela ainda não é "responsável" para responder por seus atos. Com isso, as duas planejam fugir no dia seguinte ao aniversário da menina.

As duas garotas acabam indo morar na casa de Louise, criadora de Esther e nesse momento que as coisas começam a ficar complicadas, pois Eduarda começa a ter alguns receios sobre Louise e a situação começa a ficar complicada entre ela e sua vampira.

O livro aborda diversos tipos de preconceitos e criticas a sociedade, mas em alguns momentos a história fica um pouco "mais do mesmo".
Eduarda não foi um personagem que me agradou muito e achei ela imatura em muitos momentos, sem contar que a Esther deveria ter conversado mais com ela, pois a jovem acaba desconfiando de qualquer coisa que Louise faz, mas descobrimos a criadora de Esther não é "tão" ruim assim como Eduarda acredita.

Com uma história cheia de reviravoltas, segredos, seitas secretas e amor, podemos ver a escrita da autora fluir de forma criativa em várias situações.
O final com certeza me deixou de boca aberta, pois já estava chateada com a Eduarda. Para ser sincera? Ela mereceu o final desse livro e por mim não teria continuação, mas tenho certeza que muita gente vai ter um ataque. Sem contar que fica a pergunta no ar: E gora, o que vai acontecer?
Sorriu e caminhou em minha direção. Meu coração desesperado me fez correr e, finalmente o encontro aconteceu. Nos braços da minha amada Esther, me perdi. E quando nos olhamos, todo o resto sumiu.

11 comentários

  1. Legal, é uma história de vampiro que se apaixona por um humano, o diferente é que neste caso todos sabem que vampiros existem, e a escritora utilizou isto para abordar o preconceito. Gostei da ideia. Gostei da resenha e da dica!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Eu achei que faltou um pouquinho mais de amor entre elas, como também muitas coisas não foram abordado sobre os vampiros. Gostava mais da outra capa, achava ela bem bonita. Ainda quero ler a continuação, só não sei quando farei isso.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara eu adorei a outra capa. eu fiquei curiosa pra ler na época justamente por causa da capa.

      Excluir
  3. Uma historia diferente entre vampiro e humana e interessante este livro e sua historia gostei e quando tiver oportunidade vou adquirir o livro .

    ResponderExcluir
  4. Eu adoro quando as histórias contém segredos, reviravoltas e mistérios, e vendo sua resenha, vi que o livro seria uma ótima dica para mim! Apesar de eu ter gostado do conteúdo do livro, eu confesso que não gostei da capa, pois, ao meu ver, ela poderia ter sido mais elaborada!

    ResponderExcluir
  5. Oi Alice
    Uma coisa que eu estou saturado, nos últimos dois anos, é de vampiros. Fiquei tão focado em Crepúsculo e Diários do Vampiro que quando lia outro livro de vampiros queria vomitar. Mas uma coisa que nunca vi ser abordado foi romance homossexual. Eu até escrevi uma história sobre vampiros onde existia um casal de mulheres, mas perdi o manuscrito. kkkk
    Não sei se iria gostar dessa obra, mas fico feliz por finalmente fazerem uma personagem imatura condizente c/ a sua idade. Fico cansado de ver personagens de 17 aparentando ter 29 quando na realidade, fora da ficção, tem muitos jovens imaturos mesmo com 17 anos.
    Fiquei curioso para saber esse final chocante. :D
    Obrigado pela resenha crítica, Alice.
    Bjs

    http://peregrinodanoite.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Já tinha visto a capa desse livro e tinha achado ela bonita,mas não sabia que era estória era sobre um amor entre duas meninas. Nunca li nenhum livro que aborda-se isso então não sei se iria gostar ou não,mas eu gosto de romance então acho que daria uma chance ao livro.

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia esse livro e confesso que fiquei bem curiosa em relação da história e a autora ter usado algumas coisas do livro para abordar o tema do preconceito e essas coisas.
    Sua resenha está muito boa.

    ResponderExcluir
  8. Achei a proposta do livro bem interessante, ousada e diferente de todos os outros que vemos por aí. Adorei a capa, achei ela divina! Quanto à trama, acho que ela ficou um tanto quanto básica demais, com tantos temas a serem trabalhados. Os assuntos abordados, no entanto, são de extrema importância e isso faz com que o livro ganhe uma relevância interessante. Bom saber que o final foi surpreendente, isso é sempre um ponto positivo.

    ResponderExcluir
  9. Oie
    Eu vi muita divulgação desse livro e mesmo querendo ler já estou meio saturada de livros envolvendo vampiros.E as personagens não parecem ser tão empolgantes e donas de uma personalidade forte.Eu gostei da parte do romance delas por que são bem poucos livros que seguem esse gênero,mas mesmo assim não sei se vou ler ou não.

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro e achei a proposta do livro bem legal o que me fez ficar interessada na historia só não gostei muito de saber que a Eduarda e imatura o que acaba me irritando nos personagens !!

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!