31 março 2017

Resenha: O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida


Autora: Kate Eberlen
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 432
Ano: 2016
Avaliação☆☆☆
Sinopse: Tess e Gus foram feitos um para o outro. Só que eles não se encontraram ainda.E pode ser que nunca se encontrem... Tess sonha em ir para a universidade. Gus mal pode esperar para fugir do controle da família e descobrir sozinho o que realmente quer ser. Por um dia, nas férias, os caminhos desses dois jovens de 18 anos se cruzam antes que os dois retornem para casa e vejam que a vida nem sempre acontece como o planejado.
Ao longo dos dezesseis anos seguintes, traçando rumos diferentes, cada um vai descobrir os prazeres da juventude, enfrentar problemas familiares e encarar as dificuldades da vida adulta. Separados pela distância e pelo destino, tudo indica que é impossível que um dia eles se conheçam de verdade... ou será que não?O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida narra duas trajetórias que se entrelaçam sem de fato se tocarem, fazendo o leitor se divertir, se emocionar e torcer o tempo todo por um encontro que pode nunca acontecer.

O livro conta a história de Tess e Gus. Os dois não se conhecem, mas acabam viajando de férias para a Itália e em um breve momento eles acabam esbarrando-se um no outro, trocando olhares e algumas palavras. A partir dai é como se a vida deles estivesse sido conectada, pois apesar de não passarem de meros estranhos um para o outro é como se existisse uma ligação quase espiritual entre os dois.

Vamos acompanhando a história em capítulos alternados entre os personagens, nisso conhecemos a trajetória de cada um ao longo de dezesseis anos. Cada um sente-se incompleto e confuso com o passar da vida adulta, como se algo estivesse faltando acontecer em suas vidas, mas pelo visto parece que nunca vão se encontrar novamente. 

O livro não foi nenhum pouco interessante a ponto de me fazer suspirar e continuei lendo apenas para saber se os dois ia se encontrar finalmente, mas apesar de que cada decisão tomada durante a história os afaste-se mais, o universo parece conspirar ao favor deles para fazer com que esse encontro aconteça.
Os dois se cruzam diversas vezes de diversas formas (mesmo que indiretas), mas seus caminhos parecem nunca de fato colidirem e juntando isso a leitura arrastada, foi ficando cada vez mais chato acompanhar a história. Nada estava funcionando muito bem para mim. 

É uma história com personagens interessantes e cheia de sentimentos, mas não foi nem de perto algo que me cativou. Consegui chegar ao final da leitura com algum esforço, apesar de ter sido um livro que me fizesse refletir e passar o tempo, não foi a leitura que eu imaginava que seria. 
Não sei se pretendo ler algo da autora novamente, pelo menos não por enquanto. E apesar de todas as ressalvas acerca do livro, a editora fez um bom trabalho de diagramação e está de parabéns. 

4 comentários

  1. Olá, Alice! Poxa, q pena o livro não ter te conquistado. Às vezes fica a impressão de q faltou algo, né, e a gente não sabe bem o quê. Não sei se a leitura funcionaria pra mim tbm, confesso q não me senti atraída pela história. Mas gostei de acompanhar sua opinião através da resenha.

    ResponderExcluir
  2. Alice!
    Fiquei triste, porque tinha grandes expectativas em relação ao livro, mas ver que há mais desencontros do que encontros no livro, desanima um pouco, porque o que esperamos em um romance é que compartilhem do amor e traga uma boa história para ser acompanhada.
    “Não há nada bom nem mau a não ser estas duas coisas: a sabedoria que é um bem e a ignorância que é um mal.” (Platão)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que eu estou sentindo o mesmo que você, com o livro que estou lendo... Mas acho que eu leria esse, achei interessante! E otima resenha, curta e bem explicada!!

    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Eu gostei bastante desse livro!! Achei bem original
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!