30 de julho de 2018

Resenha: Marca de Guerra - Marked


Autora: Sylvia Day
Editora: Faro Editorial
Número de Páginas: 96
Ano: 2017
Avaliação:  ☆☆
Sinopse: Lobisomens, vampiros, arcanjos … O que falta acontecer?
Evangeline descobriu como se livrar da Marca de Caim, que anos atrás a transformou numa caçadora de demônios: basta se manter longe dos problemas por um tempo. Algo complicado para alguém que é sempre lembrada para novas missões.
Agora, disfarçada, ela trabalha para um querubim, em um plano para desmascarar um vampiro perigoso, que está escondido em uma tranquila comunidade na Califórnia.
Mas Eva sabe que está sendo usada como um peão num grande jogo político celestial. No entanto, ela está cercada. Seu desafio será descobrir quem é sua maior ameaça: o vampiro que está caçando, o querubim que quer controlá-la, ou os dois irmãos, dispostos a lutar até a morte por seu amor.
O problema? É que tudo está acontecendo ao mesmo tempo.

Nesse último livro da série, Eva foi enviada em uma missão para trabalhar disfarçada para um querubim. A marcada precisa descobrir quem é o vampiro que está escondido em um condomínio fechado e cometeu assassinato. Todos os moradores são suspeitos e descobrir quem está por trás desse assassinato vai ser uma verdadeira confusão - ou não. 
Eva estará disfarçada e para isso acontecer, ela precisa torna-se humana novamente. Assim o vampiro não saberá para quem ela trabalha, mas isso também a coloca em risco. Agora caberá a ela e a Caim descobrir quem é esse vampiro.

Esse livro parece ser mais um extra do a continuação da série. O livro anterior termina nos mostrando um personagem interessante que poderia ser aproveitado na história, mas nesse livro não vemos nem sinal do mesmo. 
Eva basicamente caiu nessa missão de "paraquedas" e sinceramente sem justificativa plausível, nada fez muito sentido nessa história. Fiquei até mesmo um pouco confusa, pois tudo acabou rápido demais se comparado aos livros anteriores. 

A história começa rápido, a luta é medíocre e tudo resolve-se como se fosse simples estalar de dedos. A personagem passa três livros tentando mudar sua situação atual e nesse último livro como em um passe de mágica tudo é resolvido, e ela finalmente escolhe entre Caim e Abel (do pior jeito possível).
A autora jogou a história de qualquer jeito, sem nem ao menos trabalhar um pouco mais para aprofundar as coisas. Sylvia Day é uma das minhas autoras preferidas, mas fez um péssimo trabalho ao finalizar essa série. 

Não apenas fiquei chateada com o jeito como tudo acabou, como achei que a escolha do par romântico foi muito forçada. Como se Deus tivesse simplesmente estalado os dedos e PLAU, essa é a minha vontade, faça. Eu fiz você passar por todo aquele inferno e agora está aqui tudo de "bandeja"
Apesar de estar decepcionada com essa leitura, sugiro que quem curte fantasia e livros eróticos dê uma boa olhada na série. Até o terceiro livro ela é muito boa, então na minha opinião o leitor pode ler os três primeiros sem problema nenhum. Mas, quando for ler esse, vá com cautela!

Vale lembrar que apesar de não ter gostado dessa leitura, algumas pessoas gostaram. Então o que não funciona para mim pode funcionar para você. 
No mais a editora fez um bom trabalho com a capa - que segue o padrão das demais - e a diagramação está ótima, não tem nenhum problema nesses quesitos. A única coisa ruim mesmo foi a história.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!