Resenha: A Pedra Pagã - A Sina do Sete


Autora: Nora Roberts
Editora: Arqueiro 
Número de Páginas: 272
Ano: 2017
Avaliação:  ☆☆☆
Sinopse: Partilhando visões de morte e fogo, os irmãos de sangue Cal, Fox e Gage, e as mulheres ligadas a eles pelo destino, Quinn, Layla e Cybil, não podem ignorar o fato de que o demônio está mais forte do que nunca e que a batalha final pela cidade de Hawkins Hollow está a poucos meses de acontecer.
A boa notícia é que eles conseguiram a arma necessária para deter o inimigo ao unir os três pedaços de jaspe-sanguíneo. A má notícia é que ainda não sabem como usá-la e o tempo está se esgotando.
Compartilhando o dom de ver o futuro, Cybil e Gage podem descobrir a resposta para esse enigma se trabalharem juntos. Só que, além de não terem nada em comum, os dois se recusam a ceder aos próprios sentimentos. Um jogador profissional como Gage sabe que se entregar a uma mulher como Cybil – com a inteligência, a força e a beleza devastadora dela – pode ser uma aposta muito alta. E qualquer erro de estratégia pode significar a diferença entre o apocalipse e o fim do pesadelo para Hawkins Hollow.
Em A Pedra Pagã, Nora Roberts encerra a emocionante trilogia A Sina do Sete, uma história sobre família, amor e amizade que consegue arrancar arrepios e suspiros de seus leitores.

Nesse último livro da trilogia, temos a história de Gage e Cybil, e também acompanhamos de perto a evolução dos outros casais.
Gage não é tipo de homem que se apaixona! Quando ele percebeu que seus melhores amigos estavam ficando apaixonados, ele e Cyb fizeram um pequeno acordo, com certeza não seria algo estúpido como o destino que os uniria só porque eles tem o mesmo poder. Então um não deveria tentar seduzir o outro, mas talvez essa seja uma tarefa quase impossível.

Cyb é misteriosa e diferente de todas as mulheres com que Gage interagiu. Ela sabe um pouco de tudo que se possa imaginar e a medida que Gage vai descobrindo um pouco mais sobre o passado dela, ele percebe que era apenas questão de tempo para se ver completamente encantando pela mulher maravilhosa que ela é.

Nessa leitura iremos acompanhar o demônio lutando de todas as formas possíveis para derrotar Gage e seus amigos. Cada integrante do grupo tem seus piores medos e é isso que o demônio irá usar contra cada um. 
Gage sofreu muito na infância nas mãos de um pai abusivo, até hoje seu pai tenta falar com ele, mas Gage se recusa de todas as formas a lhe dirigir a palavra. Então nada pior do que fazer com que Gage reviva seus piores dias.

Cybil e Gage tem o dom de ver como será o futuro; o ruim disso tudo é que talvez a interpretação que você esteja tendo sobre determinada visão não seja aquilo que você acredita que é. Por isso eles dois tem que ter bastante cuidado com suas interpretações. Sem contar que eles estão tentando mudar o futuro de todas as formas, porque até então ao que parece, o demônio sairá triunfante dessa luta.
Vamos acompanhando os demais casais ao longo da leitura, a medida que vemos o romance acontecendo entre Gage e Cyb. Temos ataques mais direcionados a eles dois nesse livro; vemos que a influência da criatura está cada vez mais forte a ponto dele manipular moradores e animais para atacar os integrantes do grupo.

Eu estava esperando muito dessa leitura e o demônio realmente atacou um pouco mais violento em alguns momentos, mas como nas leituras anteriores parece que algo está faltando na história.
Talvez misturar fantasia com romance não seja o ponto forte da autora, porque ela se perde em diversas situações. 
O grupo passa tempo demais especulando sobre o que deve ou não fazer, analisando cada coisinha devido ao livro que Quinn está escrevendo sobre a cidade e em inúmeros momentos isso fica bastante chato. 

A luta final não dura basicamente nada, tudo passa muito rápido! Talvez se eles passassem menos tempo contando tudo detalhado uns para os outros toda vez que se encontravam, teria dado um número menor de páginas e a autora poderia concentrar-se mais na mitologia que criou e aprimorado o final.
Se eu for comparar esse livro ao anterior, esse foi bem menos empolgante. Na verdade, em alguns momentos pensei em abandonar a leitura.

Não tenho nada para citar de negativo sobre a diagramação ou a capa, tudo segue o mesmo estilo dos anteriores e não encontrei erros enquanto lia.
Caso queira dar uma chance para a trilogia, sugiro que não vá com muita sede ao ponte. Apenas leia e aproveite. 

Lar nem sempre é um lugar. Às vezes o lar é uma pessoa.

• Alice Aguiar • 30 anos, taurina, mora com o marido, um hamster e sua coleção de livros. Apaixonada por seriados, filmes, livros e quadrinhos. E quando sobra um tempinho costuma jogar ragnarok mobile.

6 comentários:

  1. Oi Alice,
    Mulher vc já trocou tudo aqui de novo.
    Amei demais, está lindo, amei as cores. Fora que amo layouts com florais.
    Eu comecei a ler o primeiro dessa série, mas acabei pegando outro livro e deixei pra lá haha, ainda bem porque vou com menos expectativa. Uma pena que ela não saiba lidar tão bem com os dois estilos. Mas claro, fiquei interessada na parte sobrenatural.

    Eu já vi esse quote em outro livro, mas não lembro qual.

    P.S.: Agradeço imensamente seu apoio lá na postagem. Obrigada pelo apoio, sempre.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm já vi esse quote em outros livros e até mesmo em seriado <3 acho que combina bem com essa trilogia.
      Mudei tem umas semanas já pra esse estilo MAS haha é que fico mudando os detalhes de vez em quando e quando vou ver já tá tudo diferente.

      Excluir
  2. Eu sempre admiro esse jeito da autora passear em vários títulos da literatura e se sair bem em todos, por isso confesso que fiquei bem triste ao ler que ela se perdeu um pouco nesta mistura de fantasia e romance.
    Mas confesso que separadinha, ela faz bonito né?rs
    Mesmo assim, morro de vontade ler esta trilogia. Até por sair um pouco da minha zona de conforto.
    Com certeza, lerei!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi Alice, tudo bem? Nora Roberts é uma das minhas autoras favoritas, mas infelizmente não me acertei com os romances que tem essa pegada sobrenatural... pode ser que foi o livro que tentei ler, mas não me encontrei nessa leitura da autora. Quem sabe eu tenha que tentar outra série, achei essa interessante, mas ainda estou um pouco receosa.
    Beijos, Adri
    Espiral de Livros

    ResponderExcluir
  4. Que pena que em alguns momentos lhe deu a sensação de abandonar a leitura, mas que bom que continuou e no fim gostou de algumas partes.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá! Apesar de ser super fã da escrita da Nora, ainda não consegui conferir essa trilogia, cheia de mistérios e ação, uma pena que a Nora não tenha concluído todo esse mistério de maneira satisfatória e que a leitura fique um pouco arrastada em alguns momentos, ainda assim, fiquei curiosa para conferir, pois gosto muito de livros de fantasia.

    ResponderExcluir