Resenha: Uma Mulher Na Escuridão


Autor: Charlie Donlea
Editora: Faro Editorial
Número de Páginas: 304
Ano: 2019
Avaliação:  ☆☆☆☆
Sinopse: Ao limpar o escritório de seu pai, falecido há uma semana, a investigadora forense Rory encontra pistas e documentos ocultados da justiça que a fazem mergulhar num caso sem solução ocorrido 40 anos atrás. No verão de 1979, cinco mulheres de Chicago desapareceram. O predador, apelidado de Ladrão, não deixou nenhum corpo ou pista — até que a polícia recebeu um pacote enviado por uma mulher misteriosa chamada Angela Mitchell, cujas habilidades não-ortodoxas de investigação levaram à sua identidade. Mas antes que a polícia pudesse interrogá-la, Angela desapareceu. Agora, Rory descobre que o Ladrão está prestes ser posto em liberdade condicional pelo assassinato de Angela: o único crime pelo qual foi possível prendê-lo. Sendo um ex-cliente de seu pai, Rory reluta em representar o assassino, que continua afirmando não ser o assassino de Angela. Agora o acusado deseja que Rory faça o que seu pai prometeu: provar que Angela ainda está viva. Enquanto Rory começa a reconstruir os últimos dias de Angela, outro assassino emerge das sombras, replicando o mesmo modus operandi daqueles assassinatos. A cada descoberta, Rory se enreda mais no enigma de Angela Mitchell, e na mente atormentada do Ladrão.Traçar conexões entre passado e presente é a única maneira de colocar um ponto final naquele pesadelo, mas até Rory pode não estar preparada para a verdade...


Rory - uma investigadora forense - acaba encontrando pistas em documentos ocultados da justiça no escritório de seu falecido pai. Esses documentos envolvem um caso não solucionado que ocorreu há mais de 40 anos. Em Chicago de 1979 cinco mulheres desapareceram sem deixar qualquer rastro, o predador foi apelidado de Ladrão e ele não deixou pistas ou um corpo para trás. 
Um belo dia a polícia recebeu um pacote enviado por uma mulher que continha pistas sobre o caso, mas antes deles interrogarem a mulher, a mesma acaba desaparecendo.

O livro intercala entre 1979 onde acompanhamos a investigação de Angela, que mantém tudo escondido do marido com medo de que ele a ache louca; e temos a investigação de Rory que acontece em 2019. Enquanto o passado e o presente vão intercalando, vemos muitas descobertas e vamos seguindo as pistas para tentar desvendar o mistério. Afinal, por que o pai de Rory cuidou desse caso pessoalmente por tantos anos? Por que Angela desapareceu? Será que ela descobriu algo que não deveria?
Rory tem a missão de reconstruir os passos de Angela e provar que a mesma está viva, mas será que isso é realmente possível? 

A história é cheia de reviravoltas, o leitor tem que estar atento a cada detalhe e não se deixar levar por qualquer coisa, caso contrário cairá na armadilha do autor e não descobrirá o mistério por detrás de tudo. Mantenha-se atento e quem sabe você pode descobrir o mistério antes dele ser solucionado!
Se você ficar bem atento é possível descobrir o mistério antes do final, mas isso não estraga a experiência da leitura.

Para quem amou Deixada para Trás, essa com certeza vai ser uma excelente leitura. É instigante, envolvente e muito bem escrita.
Como sempre a editora está de parabéns pelo trabalho/empenho! A Faro tem caprichado em cada exemplar que produz e só tenho coisas boas para falar sobre esse tópico. 
Não encontrei erros enquanto lia, adorei a diagramação e por ter capítulos curtos temos aquela sensação de leitura ágil. Se você gosta desse gênero, tenho certeza que irá gostar dessa leitura!

O público começara a entender a situação. Os artigos de jornais começaram a aflorar. As autoridades emitiram alertas, e o medo vinha aumentando mais do que o calor do verão. Com a conscientização do público, ele passou a espreitar com mais cuidado, planejar com mais detalhes e encobrir os rastros com mais perfeição. Encontrara o local perfeito para ocultar os corpos.

2 comentários

  1. Sou fã de carteirinha do autor e não vejo a hora de poder conferir este livro! Amei Deixada Para Trás!É claro que o nome da personagem(Angela, sem acento como o meu) ajuda muito eu a desejar o livro. rsrsrs
    Brincadeiras à parte, Charlie é único em colocar o leitor dentro do livro, viver os sentimentos dos personagens e oh, dá um tapa na nossa cara e diz: achou que tinha resolvido né?? Não, não!
    Lerei com certeza!!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá! Eita que não estou muito familiarizada com o gênero, mas o mesmo, está se tornando um dos meus queridinhos, afinal só ando conferindo dicas maravilhosas, por isso, já tenho aqui mais um para a minha listinha (risos). Adoro a oportunidade de durante a leitura poder tentar sim, tentar, pois sempre acabo errando) solucionar o que de fato aconteceu, essa sensação é única e é o que mais me agrada em relação ao gênero, quem sabe com esse livro eu não tenha mais sorte e com muita atenção acabe enfim acertando uma.

    ResponderExcluir