Resenha: Sempre Em Frente - Simon Snow

 


Autora: Rainbow Rowell

Editora: Seguinte

Número de Páginas: 504

Ano: 2020

Avaliação☆☆☆☆♡ [4,5]

Sinopse: Simon Snow é o Escolhido. Segundo as lendas, ele é o feiticeiro que garantirá a paz no Mundo dos Magos. Isso seria extraordinário se Simon não fosse desastrado, esquecido e um feiticeiro pouco habilidoso, incapaz de controlar seus poderes. Ele está no penúltimo ano da Escola de Magia de Watford, e, ao lado de sua melhor amiga Penelope e sua namorada Agatha, já se meteu nas mais variadas aventuras e confusões ― algumas causadas por Baz, seu arqui-inimigo e colega de quarto, outras pelo Oco, um ser maligno que há tempos tenta acabar com Simon.

Quando chega o novo ano letivo e Baz não aparece na escola, Simon suspeita que o garoto esteja tramando alguma coisa contra ele. As coisas começam a tomar um rumo ainda mais estranho quando o espírito da mãe de Baz, antiga diretora de Watford, aparece para Simon afirmando que quem a matou continua à solta. Quando Baz finalmente chega a Watford sob circunstâncias misteriosas, Simon não vê alternativa a não ser ajudá-lo a vingar a morte da mãe ― o que pode ser o primeiro passo para que verdades avassaladoras sobre o Mundo dos Magos sejam reveladas. E para que tudo mude entre os dois garotos.


Sempre em Frente é dividido em quatro partes e nelas veremos a história de Simon Snow, o Escolhido. Para quem leu Fangirl, acompanhou Cath escrevendo fanfics sobre o universo de Simon, mas aqui iremos presenciar a real história, não algo escrito por Cath!

A autora sentiu a necessidade de ampliar o universo de Simon Snow, mas isso não quer dizer que o leitor precise ler Fangirl antes de ler Sempre em Frente


Simon é um bruxo órfão que passaria completamente despercebido se não fosse o grande escolhido, o bruxo mais poderoso, o bruxo que veio salvar o mundo da magia. Tudo isso é algo que Simon até faz piada, devido aos problemas com seus poderes. 

O jovem estuda na Escola de Magia Watford, a mesma é dirigida pelo Mago, o homem que salvou Simon e o mantém protegido na medida do possível. Apesar de sempre enviá-lo nas férias para o mundo humano, o  Mago acredita que nesse momento ele precisa enviar Simon para um lugar onde o Oco não possa achá-lo. 

Existe uma entidade chamada o Oco, que destrói a magia que "toca" e vem frequentemente tentando matar Simon Snow, o jovem e seus amigos se metem em diversas confusões e vivem escapando da morte frequentemente, mas pelo visto o Oco trata-se de algo muito pior do que eles imaginam. 

O último ano letivo começa na escola de magia e Simon não encontra seu colega de quarto em lugar nenhum, não que ele esteja preocupado com a segurança de Baz, ele está mais preocupado com Baz tramando algo contra ele. 
Baz e Simon são colegas de quarto há anos, Simon tem quase certeza que Baz é um vampiro, o que seria um grande problema visto que vampiros não são bem aceitos no mundo mágico. O que não impede de Simon ficar gritando para quem quiser ouvir que Baz é um vampiro. 
Algumas semanas se passam e Baz não aparece na escola, enquanto isso Simon terá de lidar com o fantasma da mãe de Baz. Ela veio encontrá-lo no único momento em que o véu entre os mundos está baixo, mas Baz não está na escola, então ela terá de dar a mensagem para Simon e esperar que ele a repasse para seu filho.  

Simon aparenta estar bastante perdido em boa parte do livro, ele não tem controle sobre seus poderes e quase sempre acaba estragando tudo. Eu até entendo a perseguição dele com o Baz (que já tentou matá-lo algumas vezes), mas em diversos momentos chega a ser absurdo o jeito como ele age. Ele ainda é adolescente e as vezes não pensa nas consequências de seus atos, quer resolver tudo no calor da emoção e acha que vai viver um conto de fadas com a namorada do colégio, mas a vida mostra para ele que as coisas não são desse jeito. 

A medida que fui conhecendo os personagens eu só desejava gostar de algum deles, mas até boa parte da história eu não gostava de ninguém. Simon foi uma verdadeira decepção como personagem principal! Ele é um adolescente extremamente chato que fica caçando problemas que não existem e não foca nos problemas visíveis, como por exemplo seu namoro. A história realmente só começa a ter força quando Baz surge e Simon dá uns surtos antes de ajudá-lo, depois disso tudo começa a caminhar.
Ágata é a namorada chata que ao invés de viver sua vida faz exatamente o que os outros esperam que ela faça em relação ao Simon, ela fica ao lado de Simon dando falsas esperanças, quando na verdade deseja coisas completamente diferentes para o seu futuro. Sem contar que ela tem um ciúmes absurdo da melhor amiga dele, Penelope.
Não queria fazer essa comparação, mas preciso dizer que Penelope é a Hermione Granger dessa história. Inteligente, consegue fazer coisas avançadas para a sua idade e sempre está ao lado de Simon para ajudá-lo com sua magia. 

Infelizmente não gostei de nenhum dos personagens citados no parágrafo acima, mas Baz por outro lado conquistou meu coração! Ele não odeia Simon, mas ele precisa fazer o que faz, é o que se espera dele e de sua família e sim, isso é completamente igual a Harry Potter em diversos sentidos. Em uns 60% do livro eu achei a história completamente voltada para Harry Potter, mas aqui a magia funciona diferente e o mundo mágico não é exatamente uma sociedade organizada, por assim dizer. 

Apesar das comparações com Harry Potter, a história flui de um jeito muito interessante, os personagens vão crescendo e por fim acabamos tendo diversas reviravoltas completamente chocantes. 
Comecei a me esforçar para ler o livro apenas pela aparição de Baz, quando dei por mim estava presa na leitura havia horas e não conseguia parar de ler. 
Temos romance, reviravoltas, muita magia, dragões e mocinhos que não são tão mocinhos assim. 

Não sou muito fã de livros em primeira pessoa e isso me atrapalhou um pouco, mas consegui terminar a leitura e não vejo a hora de ler o próximo livro. 
E para quem não sabe essa história trata-se de um romance lgbtqi +. 

Confesso que preferia que a editora não tivesse traduzido o nome do livro, pois faz muito mais sentido em inglês! 
Eu me alonguei mais do que deveria, mas existe tanta coisa para citar que eu nem sei como sem dar spoiler, por isso irei finalizar por aqui. Não encontrei erros enquanto lia e adorei a capa desse livro, fiquei completamente apaixonada.


"Você era o Sol e eu estava colidindo com você. E toda manhã eu acordaria e pensaria 'isso vai terminar em chamas"

0 comentários ♡