Resenha: Depois

 


Autor: Stephen King

Editora: Suma 

Número de Páginas: 192

Ano: 2021

Avaliação: ☆☆☆☆☆

Sinopse: Um livro que demonstra todo o talento de Stephen King, "Depois" é assustador e emocionante, e fala dos desafios de crescer e aprender a distinguir o certo do errado. Uma história poderosa, perturbadora e inesquecível sobre o preço de encarar o mal, não importa sob qual forma ele se esconda. James Conklin não é uma criança comum: ele vê gente morta. Com que frequência? Jamie não sabe bem; afinal, os mortos em geral se parecem muito com os vivos. Exceto pelo fato de que eles ficam para sempre nas roupas em que morreram, e são incapazes de mentir. Sua mãe implora para que ele mantenha essa habilidade em segredo, o que não é problema na maior parte do tempo. Pelo menos até Liz Dutton, a companheira de sua mãe e detetive do Departamento de Polícia de Nova York, aparecer na saída da escola e anunciar que precisa de ajuda. É assim que Jamie embarca em uma corrida para desvendar o último segredo de um falecido terrorista, e começa a jornada mais assustadora de sua vida.

Em uma narrativa despretensiosa, Stephen King conseguiu entregar uma história direta e interessante, mas como sempre o final não é um dos melhores e logo abaixo eu te digo o porquê. 
Esse livro é narrado por James, desde que era criança ele sempre viu pessoas mortas. James não sabe ao certo quando ele começou a ver gente morta, mas existem algumas coisas que ele sabe; os mortos sempre ficam com as mesmas roupas que morreram, eles se parecem muito com os vivos, mas após morrerem perdem total interesse nos vivos e são completamente incapazes de mentir. 

Tia - a mãe de James - acaba se afundando em dividas devido os problemas que o irmão se meteu, desde que ela assumiu os negócios do irmão as coisas tem ido bem na medida do possível, mas depois de um tempo os problemas começaram a bater em sua porta e tudo começou a ficar muito ruim. 
Liz é a namorada de Tia, ela não acredita que James consiga ver gente morta, mas depois de um acontecimento que envolveu um escritor morto, Liz está começando a compreender que toda aquela situação é muito real e talvez ela possa tirar vantagem disso em algum momento. 

Quando um terrorista acaba cometendo suicídio, Liz acredita que pode usar o talento de James para descobrir onde a última bomba está, mas isso requer um preço, um preço que James não sabe se está disposto a pagar. 
Depois de tudo resolvido, o terrorista morto não desaparece depois de uns dias, pelo contrário, ele começa a perseguir James em diversos lugares e isso faz com que ele comece a ter medo, e se esse fantasma acabar fazendo algo?! Ele não parece como os outros mortos, é como se algo muito ruim o estivesse possuindo. 

No decorrer da leitura acompanhamos o drama que é o relacionamento de Liz e de Tia, vemos como James começa a enxergar que a amizade delas na verdade tratava-se de um relacionamento amoroso e de como ele não era saudável, pois Liz nunca foi uma boa pessoa. James também nunca imaginou que Liz não gostasse dele, afinal quando se é criança não se pensa muito nessas coisas, não é mesmo?
Vamos passando por situações em que você pensa, eu quero mesmo fazer isso? Eu preciso descobrir esse segredo? James pode arrancar qualquer segredo de um morto, mas isso não quer dizer que ele precise saber de tudo. Afinal, algumas coisas merecem ser guardadas a sete chaves.

O livro é curto, é possível ler em um único dia e vemos muita ação, em contra partida também temos um pouco de drama/reflexões. Os personagens foram bem construídos, mas quando você está lendo sente falta de algo. Creio que por ser muita curta e com um final aberto, o leitor pode sentir que algo ficou faltando. 
Esse foi um livro narrado em primeira pessoa, o que me surpreendeu, pois o autor costuma narrar suas obras em terceira pessoa e quem me acompanha sabe que primeira pessoa não é um dos meus fortes, mas funcionou perfeitamente nessa obra.

Como citei acima, o livro é curto, mas apesar disso temos muita ação e um terror bem leve. O que me incomodou um pouco no final não foi unicamente a falta de respostas para o segredo que foi descoberto, mas deu a entender que a sexualidade de Tia é unicamente devido ao trauma que ela sofreu no passado (até procurei saber se outras pessoas tiveram a mesma impressão que eu).
O final foi bombástico, ele é jogado em cima do leitor e James decide não se aprofundar na história, simplesmente deixando para depois.
Creio que esse tipo de final foi para chocar o leitor, o que realmente aconteceu comigo, pois fiquei ansiosa por mais respostas, e inclusive ainda estou inconformada como tudo acabou.

Devido ao final o livro acabou não se tornando um dos meus favoritos, mas foi uma excelente leitura.
Li o livro em formato digital, ele foi cedido pela editora através da plataforma netgalley, então não posso falar nada acerca da edição física. 

“Sempre tem um depois, agora sei disso.”

 

“Às vezes a verdade é uma merda mesmo.”

0 comentários ♡