27 dezembro 2013

Resenha: O Dom [Abandono Literário]



Autores:  James Patterson, Ned Rust 
Editora:  Novo Conceito
Número de páginas: 288
Ano: 2013
Avaliação: 

Sinopse: Os irmãos Allgood nunca desistem de lutar contra os poderes autoritários e desumanos d’O Único Que É O Único, mas, agora, eles estão sem Margô — a jovem e atrevida revolucionária; sem Célia — o grande amor de Whit; e sem seus pais — que provavelmente estão mortos... Então, em uma tentativa de esquecer suas tristes lembranças e, ao mesmo tempo, continuar seu trabalho revolucionário, os irmãos vão parar em um concerto de rock organizado pela Resistência onde os caminhos de Wisty e de um jovem roqueiro vão se cruzar. Afinal, Wisty poderá encontrar algo que lhe ofereça alguma alegria em meio a tanta aflição, quem sabe o seu verdadeiro amor... Mas, quando se trata destes irmãos, nada costuma ser muito simples e tudo pode sofrer uma reviravolta grave, do tipo que pode comprometer suas vidas. Enquanto passam por perdas e ganhos, O Único Que É O Único continua fazendo uso de todos os seus poderes, inclusive do poder do gelo e da neve, para conquistar o dom de Wisty... Ou para, finalmente, matá-la.

Os irmãos Wist e Whit continuam sua luta contra a Nova Ordem e fugindo do Único que é o único, devo dizer que nessa altura estou saturada da história e nem começamos a resenha direito.
O fato dos personagens serem adolescentes não deveria deixar que eles fossem tão imaturos a ponto de me deixar muito irritada, parece que estou lendo uma história muito mal escrita para crianças.
Whit descobre novos poderes e acaba continuando atrás da sua namorada Célia.

O livro é cheio de descobertas em relação aos personagens e tudo que tem envolvido esse mundo louco que eles estão vivendo, mas confesso que pensei que o segundo melhoraria, pois outro autor entrou dessa vez (não só o James Patterson que definitivamente é um dos piores autores que eu já vi na vida na minha humilde opinião), mas infelizmente pensei errado.

Existem paixonites no livro e isso não sei se chega a ser bom, só é tudo muito exagerado e de um humor um pouco chato, mas tem gosto para tudo e não tiro as forças de quem quer ler o livro.
Tenho que confessar que quando no primeiro livro começa com eles quase sendo executados eu pensei que seria demais, no entanto eu passei os dois livros querendo que todo mundo fosse morto e o homem malvado ganhasse, mas sabemos que não é assim que as coisas funcionam..

O livro tem a mesma sequência de estilo de capa que o primeiro e nisso eu gostei, pois adorei a primeira capa e a segunda então nem se fala.
Até aonde eu li não encontrei nenhum erro, sendo assim não tenho do que reclamar quanto a isso!
No mais eu não consegui ler o final, pois o livro estava me matando por dentro e acabei desistindo da leitura. Não vou ler o próximo livro e espero que as pessoas que estão acompanhando pelo menos consigam ter uma continuação boa porque essa serie está bem caída.

Um comentário

  1. Nunca fui muito curioso para ler os livros de Bruxos e Bruxas, apesar das capas chamarem muito a minha atenção rs.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!