28 maio 2015

Resenha: Escolhida - House Of Night


Autoras: P.C Cast e Kristin Cast
Editora: Novo Século
Número de páginas: 295
Ano: 2009
Avaliação☆☆☆☆

Sinopse:No terceiro livro da série House of Night, forças escuras estão trabalhando na House of Night e a vampira novata Zoey Redbird terá aventuras misteriosas em torno da escola. Aqueles que parecem ser amigos estão se transformando em inimigos.E curiosamente, os inimigos jurado estão se transformando em amigos. Assim começa o terceiro volume emocionante desta série "altamente viciante" na qual o vigor de Zoey será testado como nunca. Sua melhor amiga, Stevie Rae, está lutando para manter um controle sobre sua humanidade.
Zoey não tem uma pista de como ajudar, mas ela sabe que qualquer coisa que ela e Stevie Rae descobrem deve ser mantido em segredo de todo o mundo na House of Night, onde confiança se tornou um artigo raro. Falando de raro: Zoey se acha na posição muito inesperada e rara de ter três namorados.
Misture um pequeno sangue e luxúria na equação e a situação tem o potencial para virar um verdadeiro desastre social. Porém quando parece que as coisas não podem ficar piores, vampiros começam a aparecer mortos. Realmente mortos. Parece que as Pessoas de fé e o padrasto horrendo de Zoey em particular, estão cansados de viver lado a lado com vampiros.
Mas, como Zoey e os amigos dela descobrem freqüentemente, as coisas parecem raramente refletir a verdade

Nesse terceiro livro da série temos diversos desafios e mais do que nunca Zoey terá de ser forte, mesmo que seja necessário contar meias verdades, e se aliar com Aphrodite.

Como se não bastasse os eventos complicados do livro anterior, nesse livro Zoey terá que enfrentar o fato de que sua grande sacerdotisa não é o que aparenta ser. Talvez seja necessário enfrentá-la, mas como ela deve lidar com uma vampira poderosa? A vampira que deveria ser sua mentora, ao invés de se virar para o lado das trevas.

Nesse problema todo de tentar lidar com o lado sombrio de Neferet, Zoey acaba mentindo para os amigos a fim de deixá-los protegidos, mas como todo mundo sabe mentira tem perna curta e isso pode não ser uma boa ideia no final das contas (apesar das mentiras terem ajudado muito). Afinal, ninguém gostaria de descobrir que estava sendo enganado por um dos seus melhores amigos.

O livro é engraçado, apesar de todas as mortes que vem acontecendo (não é spoiler, está na sinopse) e isso pode ser um problema, pois matar abertamente os vampiros pode dar início a uma guerra muito sangrenta entre eles e o povo da fé, que aparentemente são os responsáveis pelas mortes.

Enquanto isso Steve Rae luta com todas as suas forças para manter sua sanidade mental e tentando a todo custo não fazer algo que vá colocar tudo a perder, mas nem sempre é fácil controlar sua nova natureza, ainda mais depois dos acontecimentos do livro anterior (sério, eu chorei quando li essa parte no outro livro, mas tudo deu "certo" no final).

Em meio a todas mortes, lutas pelo poder, manter a sanidade mental, mentiras e amizade, Zoey ainda tem tempo para ter três namorados e isso pode não acabar do jeito que ela espera. 
Isso com certeza irritou alguns leitores, afinal a mulher fica enrolando entre dois vampiros e um humano, sinceramente? Achei bem tenso, mas isso não me incomoda tanto quanto a burrice da Zoey em outras situações.

Aphrodite tentou se redimir muito nesse livro (convenhamos que ela fez muita besteira nos outros dois), e ela conseguiu fazer muita coisa boa nesse, mesmo sendo do jeito dela.
Seu pai é prefeito de Tulsa. A mãe era o próprio Satanás. Basicamente, eles faziam meus velhos parecerem os pais de Brady (sim, sou uma demente e assisto às reprises do canal Nickelodeon).
Uma coisa que eu não gostei desse livro foi a repetição desnecessária contando basicamente tudo que aconteceu na história anterior!
Também me incomoda muito quando a avó da Zoey fala algumas palavras em cherokee com ela. Por que essa mulher não fala normal? Já sabemos o apelido da Zoey em cherokee, então não precisa ficar traduzindo o livro todo isso ou explicando o significado.

No mais, foi uma boa leitura e em breve estarei resenhando o próximo livro.
É assim que vou compensar tudo de ruim que fiz. Desta vez eu fui a Escolhida. Lembre-se que me sacrifiquei por vontade própria.

3 comentários

  1. Ah se ele repete tudo que aconteceu anteriormente posso começar a leitura por ele né?! hahaha.
    Alice, essa série é muito grande, acredito num todo deve sim ter muita repetição dos acontecimentos anteriores pra situar o leitor. Mas é claro que pra quem tá lendo um atrás do outro isso se torna irritante...e passa a impressão de que o autor ta querendo encher linguiça mesmo até chegar as vias de fato do livro em questão.
    Na verdade essa é uma série que não tem nada que chame minha atenção.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  2. Oi Alice, tudo bem??
    Eu sou suspeita em falar dessa série que gosto muito. Apesar de suas ressalvas, eu gosto muito do livro e de Zoey, mesmo com sua loucura em estar com os rapazes... mas se pararmos para pensar querer adolescentes maduros é demais... adolescentes infelizmente são imaturos e fazem muitas burradas... sabemos que Zoey se mete em muitas burradas, mas está muito corajosa e fiel em muitas outras coisas... eu sei que a história toda é uma viagem muito louca e acho que foi por isso que eu gostei muito... gosto de histórias sem pé e nem cabeça... xero!

    ResponderExcluir
  3. Oiiii
    Sempre vejo esses livros nas livrarias, mas nunca parei para saber sobre o que era.
    Gostei de saber que o livro é sobre vampiros, até me deu uma saudade do tempo em que lia muitos livros que tinham vampiros e tal.
    Vou procurar ler eles.

    Beijos
    http://sacudindoaspalavras.com.br/

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!