28 dezembro 2015

Resenha: Zac & Mia


Autora: A. J. Betts
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 288
Ano: 2015
Avaliação☆☆☆
Sinopse: A última pessoa que Zac esperava encontrar em seu quarto de hospital era uma garota como Mia - bonita, irritante, mal-humorada e com um gosto musical duvidoso.No mundo real, ele nunca poderia ser amigo de uma pessoa como ela.
Mas no hospital as regras são diferentes. Uma batida na parede do seu quarto se transforma em uma amizade surpreendente.
Será que Mia precisa de Zac? Será que Zac precisa de Mia? Será que eles precisam tanto um do outro?
Contada sob a perspectiva de ambos, Zac e Mia é a história tocante de dois adolescentes comuns em circunstâncias extraordinárias.

Zac poderia ser um rapaz "comum como outro qualquer", mas infelizmente a coisa não é bem assim. Zac tem leucemia e está no hospital fazendo tratamento, se der tudo certo daqui há alguns dias ele irá sair de lá (isso se a medula óssea colocada nele não der problema). 

Então o livro começa com Zac escutando uma das enfermeiras dando as instruções para o paciente no quarto ao lado e tanto ele como a mãe estão tentando adivinhar coisas sobre a pessoa do quarto ao lado apenas pelos sons. A essa "altura do campeonato" de tanto escutarem eles podem dizer se é homem ou mulher, se a pessoa está na fase de negação ou não, dentre outras coisas. Só que ninguém esperava que fosse uma pessoa da idade de Zac, e ainda mais uma garota.

Mia não é o tipo de garota que aceita bem as coisas e além de ser aquele tipo de garota popular, ela não quer que ninguém saiba que ela está com câncer, por isso ela tenta se isolar do mundo. Posso dizer que ela é um pouco chata e até mesmo irritante em diversos momentos, mas creio que ela está na fase de negação o livro todo, pois não aceita nada que acontece com ela.

Zac e Mia é um livro sobre amizade, amor, coisas ruins e boas que vão acontecendo, e sobre lutar a todo custo para se manter vivo. O começo da leitura foi divertido e até interessante, mas com o passar do tempo o clima de tristeza vai se instalando a cada página lida. Porém Zac tenta de tudo para se manter forte em diversos momentos. 
Não sou uma das maiores fãs de sick lit, mas gosto de ler de vez em quando!
Talvez coragem seja isso: atos impulsivos em um momento em que sua cabeça grita não, mas seu corpo vai em frente assim mesmo.
A leitura é fluída e cada capítulo é do ponto de vista de um dos personagens, as vezes pode acontecer do leitor ler vários capítulos de um personagem específico.
O livro terminou de um jeito que eu não esperava, mas pelo menos deixou o leitor com um pouco de esperança, mas de qualquer forma não foi algo muito "feliz" por assim dizer.

O livro é cheio de pensamentos e você vai cada vez se envolvendo mais com os personagens. Zac é um garoto incrível, e cheio de qualidades. Com certeza o oposto de Mia que vive revoltada com a vida, mas as coisas vão se encaixando bem na medida do possível. 

De qualquer forma foi uma leitura agradável até certo ponto, mas esperava muito mais do livro.
Não me recordo de achar qualquer erro na leitura e a diagramação está ótima.
De todos, eu sou o menos corajoso. Nunca me alistei para essa guerra. A leucemia me convocou, essa filha da puta.

6 comentários

  1. eu gosto de tramas mais dramáticas e curti bastante essa, não só pelo drama, mas pela amizade e companheirismo que cura (no sentido de sanar um vazio) Mia e ajuda Zac a superar
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A capa do livro me chamou atenção, mas enquanto lia a resenha não conseguia parar de lembrar de A Culpa é Das Estrelas e minha vontade de ler não foi mantida. Não gosto de livros com muito drama e já estou sentindo que um deles vai morrer no final.

    ResponderExcluir
  3. Bem eu estou um pouquinho cansada de livros assim, este me pareceu a mesma história de sempre em um novo cenário, mas nem por isso eu descarto a leitura, talvez um dia eu leia. Não gostei muito da protagonista Mia, não gosto de personagens mimadas e irritantes. Gostei da resenha.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Eu não li muitos livros do gênero, então apesar de Zac e Mia não aparentar se diferenciar muito dos outros do gênero, de acordo com algumas resenhas e uma análise superficial na trama, acho que o livro tem potencial para me agradar. O que mais me atrai sem dúvidas é o personagem Zac, ele parece ser muito carismático, tentando sempre manter o bom humor e apesar de eu não ser esse tipo de pessoa, sempre admiro personagens assim. Mia, por outro lado, não sei se vai conseguir meu afeto, mas tudo dependerá do modo como ela é trabalhada ao longo da obra.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Alice1
    Mais um sick lit.
    Na verdade ando me furtando das leituras do tipo, ando em busca de leituras de gêneros diferentes.
    Se tornaram bem batidos e a fórmula é a mesma.
    Desejo um 2016 carregado de saúde, realizações e muito sucesso em tudo que empreender.
    “Que as conquistas no Ano Novo, cheguem na sua vida como confetes: Abundantes, Alegres e festivas...FELIZ SEMPRE!!” (Ana Marise)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Conheço esse livro e faz um tempo, e já vi opiniões contraditórias em relação a esse livro, uns gostam e outros acham meio clichê, as vezes sinto vontade de ler esse livro, em outros momentos não, e sempre fico naquela leio ou não, acho a história, e a trama bem legal, mas tenho tentado evitar história relacionadas a doenças, por achar que as história muitas das vezes são bem parecidas, espero não me decepcionar com esse livro.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!