27 dezembro 2016

Resenha: Desventuras de um Garoto Nada Comum - O Herói do Armário


Autora: Rachel Rennée Russell
Editora: Verus
Número de Páginas: 320
Ano: 2016
Avaliação☆☆☆
Sinopse: Max Crumbly está prestes a entrar no lugar mais assustador que ele já conheceu: o Colégio South Ridge. Tem muita coisa legal na escola nova, mas também tem um grande problema: Doug, o valentão local, que tem como passatempo favorito trancar Max dentro do armário.
Se ao menos Max pudesse ser como os super-heróis de seus quadrinhos preferidos... Só que, infelizmente, sua habilidade quase sobre-humana de sentir cheiro de pizza a um quarteirão de distância não vai exatamente salvar vidas ou derrotar algum vilão.Mas isso não significa que Max não vai dar tudo de si para ser o herói de que a escola precisa!

Nesse primeiro volume somos apresentados a Max Crumbly, um aluno do colégio South Ridge que tem um sério problema com Doug - mais conhecido como Tora - que faz questão de trancar Max em seu armário quase sempre e implica com tudo que envolve Max. 
Max sabe como é difícil ser o garoto novo na escola, por isso ele compra roupas novas, faz de tudo para aparentar ser descolado|estiloso, mas isso não dura muito, pois seus parentes começam a usar suas roupas e acessórios fazendo com que o garoto desista de usar tudo aquilo.

Tora como sempre implica com Max até que em um certo momento ele tranca o garoto no final do período das aulas quando ninguém pode ajudá-lo, o que significa que Max irá passar o final de semana trancado no armário. Tudo começa a piorar quando Max percebe que alguns ladrões invadem o colégio e ele não quer ficar parado sem fazer nada, ele precisa arrumar um jeito de sair do armário e impedir os ladrões.

O livro é cheio de ilustrações e linguajar de fácil acesso para o público alvo, fazendo com que a leitura seja bem rápida. Estamos lendo o diário do personagem principal, então acabamos nos aproximando de Max na medida do possível. 
Apesar de gostar muito do gênero eu fiquei um pouco decepcionada com a leitura! Para ser mais exata foi com algo que o Max disse que queria fazer com os pais (dar socos) porque eles estavam usando as roupas e acessórios que ele havia comprado. Achei isso não só desnecessário como também problemático visto a faixa etária do público alvo. 

Tirando a parte dos socos foi uma leitura tranquila, com muitas ilustrações e sem muitas pretensões. Não tenho certeza se lerei a continuação e também não foi uma das melhores impressões que tive acerca da autora. Por isso, talvez eu não leia nenhuma obra da mesma.
De qualquer forma a editora está de parabéns pelo trabalho gráfico, não achei qualquer erro na leitura e trata-se de um exemplar de capa dura. 

2 comentários

  1. Oi, Alice ^^
    Fico bem decepcionado em saber que um personagem que deseja bater nos próprios pais, só por terem usado suas roupas, é visto como um herói num enredo. Essa problemática é séria e pelo que vi foi deixada de lado pela autora. Sei que os autores precisam escrever conforme o seu público-alvo mas existe uma diferença tamanha em usar linguagem para ser entendido e reforçar práticas/atitudes horríveis dos jovens atuais.
    Pela sua resenha eu não vejo Max como um herói e nem me anima em saber a forma que ele vai usar para salvar o colégio, vejo esse protagonista como um exemplo de problema dos jovens quando os mesmo se tornam ligados a bem materiais.
    Obrigado pela resenha totalmente sincera, Alice.
    Fico feliz em saber que a autora arrasou no trabalho editorial, isso chega até quase a compensar a escolha péssima de enredo que eles decidiram trazer de fora.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi amiga, eu lembro que vc comentou no face sobre este livro, eu também não curti isso e não sei se leria o livro, mas curti bastante sua resenha..

    Lembra daquela Tag 16 livros para ler em 2016? Chegou a ler tudo, rsrs, fiz uma postagem sobre a Tag no blog hoje, eu não consegui.

    Beijinhos Mila
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/2016/12/sobre-tag-16-livros-para-ler-em-2016.html

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!