25 abril 2017

Resenha: O Livro de Moriarty


Autor: Arthur Conan Doyle
Editora: Penguin
Número de Páginas: 416
Ano: 2017
Avaliação☆☆☆☆☆

Sinopse: "O Napoleão do crime. É assim que Arthur Conan Doyle define o professor James Moriarty, arquirrival de Sherlock Holmes e um dos grandes vilões da literatura universal. Não há crime em Londres, do mais banal dos roubos ao mais terrível dos assassinatos, que não tenha sua mão. Na obra de Doyle, Moriarty aparece como uma sombra: raramente o protagonista de uma história, sempre atrás das cortinas, em breves menções e alusões. Este volume reúne todas as histórias de Sherlock Holmes em que o professor dá as caras. São cinco contos e um romance que mostram a construção deste que acabaria se tornando um modelo de vilão e o personagem mais emblemático de Doyle depois do seu rival Sherlock Holmes e de James Watson.

Nesse livro vamos acompanhando diversos contos que envolvem o professor James Moriarty, o grande vilão do universo de Sherlock Holmes.
Não existe um só crime em Londres que não tenha algum envolvimento com o "napoleão do crime", por isso Sherlock empenha boa parte do seu tempo para tentar desmanchar o criminoso e sua gangue, mas não será tão fácil assim.

Composto de cinco contos e um romance, vamos acompanhando Sherlock tentando colocar Moriarty atrás das grades, mas como ele vai fazer isso quando as pessoas nem sequer suspeitam que um homem tão perigoso como ele sequer exista?
Então para manter seus esforços voltados para a captura do criminoso, o detetive decide colocar um grande plano em prática que poderá custar até mesmo sua vida.

O livro é envolvente, inteligente e cheio de várias tramas, vamos solucionando mistérios com Sherlock e acompanhando as menções das obras malignas de Moriarty, já que é muito difícil de ficar cara a cara com ele.
O poder de dedução e antecipação do detetive é impressionante. Isso fez com que eu me sentisse vendo o seriado, assim pude visualizar completamente o ator enquanto lia o livro.

Resolvi ler o livro, pois nunca havia lido nada do autor e sempre fui interessada nas histórias envolvendo o famoso detetive.
Vale lembrar que você nunca verá o detetive falando Elementar, meu caro Watson. Isso surgiu com o tempo, mas ele fala elementar ou meu caro Watson, nunca os dois juntos na mesma frase.

Esse livro com certeza é uma diversão garantida do começo ao fim, fazendo com que os leitores que conhecem ou não sobre o detetive, tenham uma excelente leitura.
A edição está de parabéns quanto a diagramação! Confesso que acreditava que o livro era de capa dura, por isso fiquei um pouco decepcionada quando eu percebi que ele não era, mas de qualquer forma isso não interfere em nada na leitura.

Ele é o Napoleão do crime, Watson. É o responsável por metade das ações malignas e quase todos os delitos ocultos nesta grande cidade. É um gênio, um filósofo, um pensador abstrato, dotado de um cérebro de primeira grandeza.

3 comentários

  1. Alice!
    Deve ser ótimo ler contos relatados pelo Watson sobre o aqui inimigo do Sherlock.
    Confesso que fiquei bem curiosa e gostaria de acompanhar essa leitura.
    “Preferi sempre a loucura das paixões à sabedoria da indiferença.” (Anatole France)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  2. Os contos parecem ser bem interessantes, fiquei curiosa para ler ainda mais se tratando de um arqui-inimigo do Sherlock Holmes, impressionante como ele não conseguiu provar nada contra o Prof. Moriarty, pois é um grande detetive, pelo visto ele tem um grande arqui inimigo rs.

    ResponderExcluir
  3. Tudo que envolve meu queridíssimo Sherlock Holmes me atraí. Sou apaixonada pelo mundo em que ele vive e não poderia ficar de fora quanto a esse livro.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!