19 outubro 2017

Resenha: Suicide Club


Autor: Usamaru Furuya
Editora: NewPop
Número de Páginas: 200
Ano: 2017
Avaliação:  ☆☆☆
Sinopse: Esta é a macabra história do suicídio coletivo de 54 garotas, todas estudantes. Elas se atiram na frente do metrô, causando enorme comoção pública. Uma série de outras mortes de grupos espalhados por todo o país deixa a equipe do detetive Kuroda em pânico. Eles correm contra o tempo e as pistas mais atrapalham do que ajudam. Neste suspense de alto teor psicológico nada é tão simples como parece.

Logo após o suicídio coletivo que levou a morte de 54 garotas, vamos acompanhando a história de vida da única sobrevivente dessa tragédia. Saya Kota é uma garota que começou a sofrer com problemas familiares, a única com quem ela contava era sua melhor amiga Kyoko.
Mas, em algum momento da vida, Kyoko se afasta de Saya e isso faz com que a vida da garota comece a tomar um rumo perigoso.

Saya começa a se prostituir, se automutilar e desenhar coisas muito estranhas em seu diário. Tudo isso chama a atenção de Kyoko que finalmente percebe que a amiga está com um problema, mas não consegue fazer com que Saya melhore. 
As pessoas ao redor de Saya começam a fazer diversos questionamentos sobre ela após o suicídio coletivo. Depois disso Saya tem suas fotos intimas espalhadas pelo colégio por uma garota que acaba aparecendo morta alguns dias depois. Saya está atraindo muita atenção e alguns começam a ver a garota com outros olhos, como se ela fosse um tipo de deusa.
E se for tarde demais para salvar Saya? Kyoko terá um grande trabalho pela frente para tirar a amiga desse mundo obscuro. 

Um professor acaba descobrindo como Saya conseguiu sobreviver e o que pode acontecer em seguida. Ele pretende alertar Kyoko sobre isso e a trama vai ficando cada vez mais perturbadora.
A história é curta e pode ser lida de uma única vez, porém isso não quer dizer que seja fácil, pois em alguns momentos os assuntos abordados chegam a ser perturbadores. 

Confesso que fiquei bastante perturbada após a leitura e o autor soube transmitir diversas mensagens sobre os temas abordados. O leitor com certeza sente o impacto que o mangá carrega!
Não recomendo para algumas pessoas, pois alguns assuntos podem servir como gatilhos. 
Não achei qualquer erro durante a leitura e o traço das ilustrações em alguns momentos são assustadores. Não é um terror que vai para o sobrenatural, envolve mais o lado psicológico e percebemos o quanto até mesmo pessoas em sã consciência podem ser corrompidas. 

Um comentário

  1. Alice!
    Acho que já falei que não tive oportunidade de ler muitos mangás.
    Achei o enredo interessante, principalmente porque deixa o leitor entre o sobrenatural, o psicótico e o influenciável e essa dúvida por si só deve proporcionar uma boa leitura.
    Semaninha de muita luz e paz!
    “Todo o nosso saber se reduz a isto: renunciar à nossa existência para podermos existir.” (Johann Goethe)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!