F Resenha: Fábulas Completas [Abandono Literário] | Seguindo o Coelho Branco

Resenha: Fábulas Completas [Abandono Literário]

setembro 07, 2021


Autor: Esopo
Editora: Cosac & Naify
Número de Páginas: 564
Ano: 2013
Avaliação:  ☆☆
Sinopse: Dentro do projeto de publicar clássicos da literatura mundial, a Cosac Naify apresenta mais um material inédito: 383 fábulas atribuídas a Esopo traduzidas diretamente do grego por Maria Celeste C. Dezzotti, professora da Unesp, que propôs uma maneira completamente original de organizar a obra. A tradutora optou por utilizar como fontes a compilação do editor Émilie Chambry –tida como referência – e acrescentar a do também editor Ben Perry, mais atual e completa que a anterior. Com isso, somam-se 26 fábulas ao corpus comumente usado. Outra novidade proposta pela tradutora é a disposição da moral, que vem separada da narrativa para deixar claro o seu caráter de argumentação – e não de conduta ou comportamento, como se convencionou atribuir às fábulas. A editora convidou o jovem artista Eduardo Berliner – destaque na 30ª Bienal de São Paulo – para também renovar a interpretação pictórica das fábulas, dispostas nesta edição em ordem alfabética.
Ao incorporar a ideia de que os textos trazem animais metaforizando homens, Berliner misturou partes dos corpos de animais e de humanos, em situações tão irônicas e perturbadoras quanto as narradas no texto. Em nanquim preto, as inteligentes ilustrações dividem espaço com as fábulas impressas em vermelho, dispostas cada uma em uma página, como se a proposta fosse oferecer ao leitor um texto por dia. Esse conceito é reforçado pelo tamanho do livro, de proporções pequenas e confortáveis para a leitura.
Como diz a professora de literatura grega da USP Adriane Duarte, que assina a apresentação do livro: “Os desenhos de Eduardo Berliner são cheios de referências contemporâneas, estimulando os leitores a ver a fábula como algo vivo, que diz respeito ao mundo que habitamos”. Assim, a edição de Esopo – fábulas completas revisita as fábulas gregas em uma experiência de leitura completamente nova. É, ao mesmo tempo, uma referência acadêmica e uma ótima porta de entrada para se deliciar com os tão conhecidos animais de Esopo.

Nesse livro iremos encontrar 383 fábulas traduzidas diretamente do grego, 26 dessas fábulas ainda inéditas em português. Então decidi me aventurar pela leitura, afinal por que não? Gosto de fábulas e do aprendizado moral que elas nos trazem, por isso resolvi arriscar.
Existe um apresentação de volume escrita pela Adriane Duarte fazendo um pequeno alerta informando que algumas fábulas são preconceituosas, até mesmo pornográficas, mas continuei insistindo na leitura.

Infelizmente essa leitura não funcionou para mim, na grande maioria das vezes eu mal comecei a fábula e já estava cansada da história, minha vontade era passar para a próxima e foi assim com 200 páginas, por isso resolvi abandonar. A leitura além de cansativa foi completamente irritante, inclusive a última vez que eu toquei nesse livro foi em março de 2013, mas só agora tive vontade de escrever sobre.

O livro possuí capa em acabamento aveludado, muitas ilustrações bonitas e o texto da obra foi impresso em vermelho, é aquele tipo de livro para se ter na estante, muito bonito. Mas, que infelizmente não funcionou para mim, inclusive até me desfiz da edição física porque eu não queria ficar com ele apenas pela beleza. 
Não tenho muito o que falar, pois como o próprio título já diz trata-se de um abandono.

Postar um comentário