08 maio 2018

Resenha: A parte que falta encontra o grande O


Autor: Shel Silverstein
Editora: Companhia das Letrinhas
Número de Páginas: 120
Ano: 2018
Avaliação:  ☆☆☆☆☆
Sinopse: Na continuação do clássico A parte que falta, Shel Silverstein reflete com sua poesia singela e emocionante sobre amor-próprio e completude. Um livro infantil para todas as idades. A parte que falta está em busca de alguém para completar. Após ser abandonada pelo ser circular, ela aguarda um par perfeito em que possa se encaixar. Ela quer conhecer o mundo, e precisa de alguém que a faça rolar. Mas muitos seres não sabem nada sobre encaixe, outros já têm partes demais e alguns não sabem nada de nada. A parte que falta até encontra um encaixe perfeito, mas sua jornada juntos dura muito pouco. Até que ela se depara com o Grande O, um ser completo, que rola sozinho, e que pode dar a ela um ensinamento que mudará seu modo de enxergar a vida. Nesta história, leitores de todas as idades vão refletir junto com a parte que falta sobre como podemos nos transformar e descobrir como evoluir nosso amor-próprio. Afinal, será que não podemos todos rolar por nós mesmos em nossas jornadas?
“Eu quero dar esse livro para todas as pessoas que eu conheço.” — Jout Jout
“Não era um pedaço de pizza. Nem um chapéu de palhaço. Desista se pensou numa casquinha de sorvete… Aqui conhecemos a parte que falta — e que queria companhia. Ela desejava ver o mundo. Quem seria delicado, divertido e inteligente para levá-la? Entre algumas decepções, percebeu que também decepcionava. Até que o Grande O apareceu e, sem querer, ensinou-lhe que tudo pode rolar!” — Fernanda Takai.

Nessa continuação iremos conhecer uma parte que está em busca de alguém que possa completá-la. Nessa caminhada em busca do par perfeito, a parte acabará enfrentando alguns obstáculos pelo caminho durante a sua jornada.

Vamos observando a parte tentar um encaixe perfeito, mas não é tão fácil assim. Em alguns momentos ela é notada, em outros ignorada. As vezes aproveitam seu charme enquanto alguns seres são mais tímidos e tem medo de aproximar-se da parte. 
Em diversas situações a parte tentou de tudo para tornar-se mais atrativa para quem quer que passasse por ela, mas mesmo assim nada parecia dar certo até que ela encontrou o Grande O. Um ser completo que não tem espaço nenhum para que a parte possa encaixar.

Muitas reflexões vão surgindo no decorrer do livro, mas a que mais me toca é: E se na verdade você é alguém inteiro? Por que procurar algo para lhe completar se você pode ser/estar completo sozinho? 
Nesse segundo livro assim como o seu anterior, somos bombardeados com diversas reflexões sobre a vida e sobre a incompletude - algo que não é nada fácil de lidar. 
Não importa quantas vezes você tenha que correr atrás, o quanto você precise cair ou sacrificar, você pode ser completo do seu jeito. 

As ilustrações são simples e delicadas. O interessante desse livro é que além de ser uma leitura rápida e com ilustrações simples, você consegue tirar o máximo proveito e ter ótimas reflexões sem precisar de algo "extremamente elaborado".
Assim como o livro anterior, esse livro foi uma das minhas melhores leituras do ano. Não tem como não ficar apaixonado pelas mensagens que o livro passa. 

Sugiro que você dê uma olhadinha nesse exemplar, pois com certeza é um bom investimento para a sua coleção. 
Esse livro possuí capa dura e segue o mesmo estilo do anterior. Não tenho nada para reclamar quanto ao trabalho gráfico, pelo contrário, tenho apenas elogios a fazer sobre essa obra. 


7 comentários

  1. Oi, Alice.

    É um livro que fala por si só, né? Que tem um fator determinante, que é justamente a busca por algo.

    ResponderExcluir
  2. Já quis demais ler o primeiro livro quando ele foi lançado, agora estou namorando esta sequência..rs
    São dois livrinhos lindos que parecem trazer grandes lições.
    Sem contar as capas, super parecidas, mas mesmo assim, lindíssimas.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Ai, adoro livros infantis que agradam todo o tipo de público <3 Eles são tão fáceis de ler, mas, ao mesmo tempo, trazem reflexões profundas e essenciais para a nossa vida! Quero muito ler os dois livros!!!

    ResponderExcluir
  4. Parece ser uma graça o livro e nos deixar pensando sobre a vida, pois realmente temos essa sensação que nos falta algo, mas nem se quer sabemos direito que algo é esse, pois já temos tudo, basta prestarmos atenção ao nosso redor e dar mais valor as pessoas próximas.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Alice!
    Nunca tinha ouvido/lido nada sobre A parte que falta encontra o grande O, nem sobre o livro anterior, e confesso que nenhum dos dois faz o meu estilo de leitura, não curto livros que provocam reflexões no leitor, e sinceramente eu não entendo as pessoas que estão sempre em busca de outro ser para se completar; assim como você acredito que podemos ser completos do nosso jeito...
    Enfim, esse é um livro que eu não leria... Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então vc não gosta de ler nada? pq TODA leitura provoca algum tipo de reflexão.

      Excluir
  6. Oi Alice.
    Quero muito ler esse livro e o anterior.
    Adoro livros que provoca reflexões e nos toca de alguma forma. Gosto ainda mais quando é algo direto e simples. Não precisa ser rebuscado para ter uma mensagem poderosa.
    Acho que as pessoas precisam ser felizes com o que são e buscar no outro algo que some, que acrescente. Mas não esperar ser completo apenas quando está com alguém.
    Beijos

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!