janeiro 04, 2019

Resenha: A Maldição de Hollow - A Sina do Sete


Autora: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 272
Ano: 2017
Avaliação:  ☆☆☆☆
Sinopse: Quando tinham apenas 10 anos, Fox, Cal e Gage libertaram um demônio aprisionado havia séculos ao fazerem um pacto de sangue sobre a Pedra Pagã. O inocente ritual deu poderes sobrenaturais aos três jovens, mas lançou uma terrível maldição sobre Hawkins Hollow: a cada sete anos, a cidade é dominada por atos de loucura, violência e destruição.
Vinte e um anos depois, esses irmãos de sangue começam a enfrentar mais um ciclo de batalhas contra o demônio, que terá seu auge no sétimo mês. Mas desta vez não estarão sozinhos: ao lado do trio de amigos estão Quinn, Layla e Cybil, três mulheres corajosas ligadas a eles pelo destino.
Fox O’Dell, o advogado da cidade, é capaz de ler mentes, um talento que compartilha com Layla Darnell. A conexão entre eles pode se tornar o trunfo de que o grupo precisa para derrotar as trevas que ameaçam engolir a cidade. Porém, Layla está tendo dificuldade em lidar com sua recém-descoberta habilidade e com a forte atração que sente por Fox.
Em A maldição de Hollow, Nora Roberts dá continuidade à trilogia A Sina do Sete e prepara o leitor para o emocionante clímax dessa batalha sobrenatural em busca da salvação de uma pequena cidade.

Nesse segundo volume da trilogia nós iremos nos aprofundar na história entre Layla e Fox. Esse livro acontece um tempo depois logo após a batalha com o demônio que assombra a cidade. Eles conseguiram finalmente ferir a criatura depois de duas décadas tentando e agora tudo parece calmo, mas não ficará assim por muito tempo.
Depois que Fox, Gage e Cal libertaram o mal que estava preso na pedra pagã, tudo mudou! Eles já haviam tentado de tudo para ferir a criatura, mas agora que não são apenas eles três, talvez exista uma chance desse demônio finalmente ser destruído de uma vez por todas.

No primeiro livro acompanhamos a história de Cal e Quinn, eles tem poderes parecidos assim como Layla e Fox. Talvez essa conexão que exista entre esses homens e essas mulheres seja a chave que faltava para derrotar o demônio, é por isso que eles precisam descobrir tudo o que for necessário.
Cybil começa a pesquisar cada vez mais sobre o passado deles e como todos se encaixam na vida uns dos outros, enquanto isso Layla precisa de um emprego, pois deixou NY repentinamente (seu apartamento e emprego estão lá). Então ela acaba indo trabalhar como secretária de Fox, o advogado da cidade. 

Fox realmente precisa de ajuda, sua secretária atual está mudando para outra cidade e ele com certeza ficará perdido sem ela. O homem acaba aceitando um pouco a contra gosto empregar Layla, pois ela parece reticente em ficar na cidade.
Layla não parece estar realmente comprometida com a causa deles, mas ela está esforçando-se ao máximo para permanecer ali. Na verdade, ela fica bastante confusa durante várias vezes no livro devido as suas ressalvas sobre o futuro. 

Ela é exatamente como Fox, Layla consegue ler mentes, mas não deseja usar seu dom. Isso a assusta profundamente, mas talvez seja necessário despertar um lado nela que está adormecido, se eles quiserem ter uma chance de salvar vidas e permanecer vivos.
Da mesma forma como aconteceu com o casal anterior, Fox e Layla sentem-se atraídos um pelo outro, mas a mulher é muito mais hesitante que ele, por isso Fox não sabe ao certo o que fazer.
O demônio que atormenta a cidade aparece para atacar Layla com mais frequência, como se ela fosse mais "delicada" que os outros de alguma forma, e eles precisam descobrir como parar esse mal antes que seja tarde demais.

Apesar de todo o background que envolve misticismo/fantasia, temos coisas cotidianas acontecendo na história; traumas do passado, planejamento de casamento e pessoas vivendo uma vida simples. Talvez seja o fim do mundo, mas eles precisam seguir com suas vidas normalmente enquanto lutam contra esse mal.
Vemos um pouco sobre o passado amoroso de Fox e bem pouco sobre a vida de Layla. Ela não é uma das minhas personagens preferidas, não por ser mais suscetível aos ataques demoníacos, mas porque ela sempre parece estar em cima do muro e algumas situações poderiam ter sido resolvidas com uma conversa normal ao invés de todo o drama.
Gosto bastante de Fox, ele é um dos meus personagens preferidos - inteligente, caridoso, prestativo e amoroso do seu jeito - e apesar de ter gostando muito mais desse livro do que o anterior, não consigo gostar da Layla, ela me aborrece profundamente. 

Essa história tem o mesmo ritmo que a anterior, mas vemos uma pequena evolução e a medida que eles vão descobrindo mais coisas, é possível ver as engrenagens começando a unir-se para culminar em uma batalha final para decidir o destino dos cidadãos da cidade.
Todos os seis tem empenhado-se muito para descobrir mais sobre seus antepassados e vamos vendo aparições de fantasmas, diários secretos sendo encontrados e cada um usando seu poder da melhor forma possível.
Confesso que acho um pouco sem graça eles conseguirem ferir o demônio com armas tão comuns, mas visto que todos os seis estão unidos agora, talvez seja até mais lógico porque os rapazes não conseguiam derrotar ou ferir o demônio antes das três personagens femininas aparecerem. 

Vemos um pouco sobre a maravilhosa família de Fox e cada vez mais os personagens estão chegando perto da verdade. O único problema é que Cybil pode ver o futuro e um deles não é nada agradável, talvez todos eles morram durante o processo de lutar contra as forças malignas.
Mas, esse não é o momento para preocupar-se com isso, eles só precisam arrumar um jeito criar algo que possa eliminar o demônio de uma vez por todas.
A leitura é repleta de suspense, muita adrenalina, romance e uma pitada bem leve de sexo, mas assim como o final do livro anterior, esse também me pareceu faltar alguma coisa! Eu estou "comprando" toda a fantasia, mas é como se a autora deixasse algo passar.
Nora Roberts é uma excelente autora, mas não sei se esse é o melhor gênero para ela escrever.

No mais, o livro segue o mesmo estilo de capa do anterior - essa é minha capa preferida da trilogia -, a diagramação está boa e não encontrei erros enquanto lia. 
Já comecei a leitura do último livro e espero que a autora consiga manter o mesmo ritmo. Estou curiosa para saber como será a história de Cyb e Gage.

As pessoas que têm medo de tentar algo estúpido provavelmente nunca chegam a lugar algum.

2 comentários

  1. Eu gosto demais deste jeito único da Nora passear em diversos gêneros da literatura e mesmo assim, se sair soberana em todos!
    Esta é uma trilogia que namoro faz um tempinho, não somente por apresentar isso do sobrenatural, magia, mas também por trazer problemas nossos, da nossa realidade!
    Por isso, quando li a resenha do primeiro livro, já o quis demais!
    Preciso começar!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá! Sou super fã da Nora Roberts, já tinha lido algumas coisas a respeito desta série, que me chamou muito a atenção, adoro os livros com pegada sobrenatural, Layla parece ser uma personagem bem frágil e cheia de dúvidas, já Fox aquele mocinho tudo de bom, o enredo do livro está cheio de mistério e ação, uma pena que, ainda assim, pareça faltar algo na história.

    ResponderExcluir