A Editora DarkSide Books publicará Columbine


O livro foi escrito pelo jornalista Dave Cullen e conta com um olhar critico e minucioso sobre o poder e a manipulação da mídia diante desse caso. Vemos um pouco sobre a negligência social e politica na sociedade moderna, dentre outras coisas.

Sinopse: UM TRABALHO DE CRÍTICA À MÍDIA QUE MOSTRA COMO AS LENDAS SE TORNAM VERDADES ATRAVÉS DA REPERCUSSÃO CONTÍNUA
O dia 20 de abril de 1999 deixou uma marca indelével na história norte-americana. O Massacre de Columbine pode não ter sido o primeiro tiroteio em massa, mas foi o primeiro da era digital — e o primeiro de larga magnitude. Na esteira dos acontecimentos de Newtown, Aurora, Virginia Tech, Christchurch, Suzano e Ohio, torna-se cada vez mais urgente compreender e confrontar acontecimentos como o de Columbine. Nossa arma é reaprender a ouvir a dor que cresce em silêncio no outro e no cerne dos valores da nossa sociedade.
Columbine é lembrado até os dias de hoje sempre que um episódio horrível e similar ocorre, mas boa parte do que sabemos sobre o massacre está errado. Erros factuais e testemunhos duvidosos propagados à época permanecem verdade absoluta para muitos; é fácil dizer que dois meninos rejeitados pelos atletas e pelas garotas, vítimas de bullying, que vestiam sobretudos e descontavam sua raiva em videogames violentos fizeram o que fizeram por essas razões, mas até que ponto isso é real?
Dave Cullen foi um dos primeiros repórteres a chegar à cena e passou dez anos escrevendo Columbine, livro que hoje é considerado a obra definitiva sobre o tema. Passar tanto tempo debruçado neste projeto o fez analisar a postura da imprensa na época com olhos críticos; hoje, Cullen acha que a mídia tentou encontrar um motivo rápido demais, e um episódio que deveria promover uma discussão sobre desarmamento e saúde mental acabou se transformando em um espetáculo midiático irresponsável.
Em Columbine, os episódios recontados são uma mistura das reportagens que Cullen publicou na época com anos de pesquisa — incluindo centenas de entrevistas com a maioria dos diretores envolvidos, a análise de mais de 25 mil páginas de evidências policiais, incontáveis horas de vídeo e áudio, e o trabalho extenso de outros jornalistas de confiança.
Com um faro investigativo apurado e uma narrativa terna e respeitosa, Cullen apresenta o retrato de um assunto ainda infelizmente tão atual, ao mesmo tempo em que critica a cobertura massiva que se sucedeu. E questiona: por que armas de fogo ainda permanecem ao fácil alcance nos Estados Unidos? A possibilidade de se tornar uma celebridade pela mídia também mata pessoas? Será que a imprensa não deveria focar nas vítimas em vez dos assassinos?

3 comentários

  1. Puxa, não tem como não ler o título e já trazer algumas imagens à memória. O massacre de Columbine será lembrado por muitos de nós, eternamente. Pela crueldade e sim, talvez até por esta distorção da própria mídia na época.
    Assuntos assim, deveriam ser meio obrigatórios em livros, séries e tv!!!
    Para que mais tragédias como esta, não aconteçam nunca mais!!!
    Adorei a iniciativa de Editora e claro, vou sonhar com esta edição!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá! Eu adoro esse tipo de leitura que nos traz um pouco mais sobre nossa história, uma pena trazer um fato tão triste, mas ao mesmo tempo, muito marcante que poderia ter servido de exemplo e quem sabe (porque não) muitas outras tragédias poderiam ter sido evitadas?! Sem dúvida vou querer conferir, ainda mais sabendo que a DarkSide sempre arrasa nas suas edições.

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    A Darkside é maravilhosa.
    O triste é ver tantas pessoas que romantizam o atentado ou o usam de inspiração.
    De qualquer forma, eu sou muito mais apenas obter informação. Quero muito essa edição!

    ResponderExcluir