Resenha: A Bruxa não vai para a fogueira neste livro


Autora: Amanda Lovelace
Editora: Leya
Número de Páginas: 208
Ano: 2018
Avaliação:  ☆☆
Sinopse: queles que consideram “bruxa” um xingamento não poderiam estar mais enganados: bruxas são mulheres capazes de incendiar o mundo ao seu redor. Resgatando essa imagem ancestral da figura feminina naturalmente poderosa, independente e, agora, indestrutível, Amanda Lovelace aprofunda a combinação de contundência e lirismo que arrebatou leitores e marcou sua obra de estreia, "A princesa salva a si mesma neste livro", cujos poemas se dedicavam principalmente a temas como relacionamentos abusivos, crescimento pessoal e autoestima. Agora, em "A bruxa não vai para a fogueira neste livro", ela conclama a união das mulheres contra as mais variadas formas de violência e opressão. Ao lado de Rupi Kaur, de "Outros jeitos de usar a boca" e "O que o sol faz com as flores", Amanda é hoje um dos grandes nomes da nova poesia que surgiu nas redes sociais e, com linguagem direta e temática contemporânea, ganhou as ruas. Seu "A bruxa não vai para a fogueira neste livro" é mais do que uma obra escrita por uma mulher, sobre mulheres e para mulheres: trata-se de uma mensagem de ser humano para ser humano – um tijolo na construção de um mundo mais justo e igualitário.

Nesse livro a autora vem trazendo diversos poemas sobre situações que acompanham as mulheres através dos séculos. A obra aborda temas pesados e que podem gerar desconforto em algumas pessoas ao ler sobre esses assuntos. 
Através desses poemas a autora tem apenas um objetivo, fazer com que o leitor entenda/reflita sobre todo o tipo de coisa que uma mulher está exposta. A temática do livro é muito interessante, e com poemas curtos é possível fazer a leitura em pouco tempo, mas a execução do projeto não me agradou.

Foi feito muitos elogios sobre o primeiro livro e foi dito que o segundo poderia ser lido sem qualquer problema porque não iria interferir, então me aventurei a ler o segundo antes do primeiro. 
Não sou uma das maiores fãs de poesia, mas li alguns livros de autoras feministas que foram uma experiência maravilhosa, mas esse infelizmente foi uma verdadeira decepção!
A autora faz uma critica social colocando as mulheres como bruxas, isso é realmente algo interessante, mas no geral os poemas não são atrativos, são enfadonhos e repetitivos, até um pouco agressivos e não de um modo para fazer o leitor ficar chocado com as situações, e sim de um modo grosseiro e fútil. 

Achei os textos superficiais e fiquei realmente decepcionada por terem comparado a autora a Rupi Kaur; esse foi um dos motivos que eu decidir ler está obra, e infelizmente Amanda Lovelace não escreve nada como Rupi Kaur. 
O livro tem frases boas e uma ou outra coisa se salva, mas fora isso foi uma verdadeira tormenta. Passei todo o tempo que esteva lendo desejando que acabasse logo, pensei até mesmo em desistir da leitura.

No mais pretendo ler o primeiro para fazer uma comparação, pois foi dito que esse é muito inferior se comparado ao anterior, então assim que possível lerei.
Não posso dizer nada sobre a obra física, pois li esse livro no kindle, contudo não achei erros na edição digital e não tenho nada para reclamar sobre a diagramação.

Ser uma
mulher
é estar
pronta para a guerra,
sabendo
que todas as probabilidades
estão
contra você.
— & nunca desistir apesar disso.

Nenhum comentário