Resenha: Glória e Ruína

dezembro 23, 2019


Autora: Tracy Banghart
Editora: Seguinte
Número de Páginas: 312
Ano: 2019
Avaliação:  ☆☆☆☆
Sinopse: Na continuação de Graça e Fúria, Serina e Nomi Tessaro vão dar início a uma revolução que vai mudar a vida de todas as mulheres de seu país. As irmãs Serina e Nomi Tessaro nunca imaginaram que acabariam em lugares tão distintos: Serina em uma ilha-prisão, Monte Ruína; Nomi no palácio de Bellaqua, como uma graça, à disposição do príncipe herdeiro do reino. Depois de sofrer uma grande traição, Nomi também é mandada para a ilha e, ao chegar lá, para sua surpresa, encontra Serina à frente de uma rebelião das prisioneiras contra os guardas.
Agora as irmãs têm um objetivo em comum: mudar o funcionamento de toda a sociedade. Além disso, elas sabem que Renzo, gêmeo de Nomi, está em perigo. Relutantes, elas se separam mais uma vez, e Nomi retorna à capital, enquanto Serina permanece em Monte Ruína para garantir que todas as mulheres encontrem um lugar seguro para viver. Só que nada sai como o planejado ― e as duas vão ter de enfrentar os seus maiores medos para mudar o país de uma vez por todas.

Nesse segundo livro, encontraremos a conclusão para a história de Serina e sua irmã Nomi. No primeiro livro Serina foi condenada no lugar da irmã e foi mandada para Monte Ruína, um lugar onde outras mulheres rebeldes encontram-se cativas. Enquanto que Nomi foi escolhida para ser uma Graça.
Serina está cada vez mais forte, seu tempo na ilha-prisão a deixou extremamente destemina e ela juntamente com as outras detentas estão causando uma grande rebelião.  

As lutas em monte ruína estão cada vez mais sangrentas, muitas mulheres acabaram perdendo a vida por causa do homem que comanda a ilha, e se as demais quiserem sobreviver terão de lutar, conquistar as armas dos homens e revidar a altura. Os homens não estão acostumados com isso, afinal mulheres não batem de volta, mas sentirão na pele o poder que tem uma mulher quando ela se une com as demais.

Serina vai crescendo de forma esplendida durante toda a sua trajetória, é incrível como ela ascendeu de forma inesperada. Eu sinceramente não dei nada por ela no começa da leitura, na verdade até a achava insuportável, mas para a minha surpresa a personagem evoluiu e cresceu de tal forma que é quase impossível não elogiar sua força de vontade.

Nomi precisa resolver o grande problema que criou no final do livro anterior, e talvez seja necessário assassinar alguém para colocar o país em ordem. Depois de descobrir a verdadeira história de Virídia, Nomi acredita que pode vencer essa batalha, mas talvez um grande sacrifício seja necessário. Mas, mesmo tendo seu momento de glória durante a leitura, continuou completamente sem graça.
No começo do primeiro livro você acha que Nomi é a mais forte entre as irmãs, mas está enganado. Ela mostra-se não só a mais fraca, como também ingênua e alheia a todos os perigos que a cercam. Decepcionante é a palavra exata para descrever Nomi Tessaro!

Os planos das irmãs Tessaro não saem nada como o esperado e elas terão de improvisar se quiserem salvar sua nação. 
A história tem diversos momentos de tensão e reviravoltas a cada momento. Não achei uma decepção como alguns, mas também não foi uma história extremamente marcante. Gostei do livro apenas por causa de Serina e de seu desenvolvimento, achei a história promissora, mas não creio que a autora soube desenvolver todos os personagens, alguns são extremamente sem graça, até mesmo o vilão da trama [apesar de ser um homem extremamente cruel e cheio de segredos/artimanhas].

Em capítulos intercalados vamos acompanhado a história de Nomi e Serina de forma rápida. O livro é levemente corrido e sem enrolações, e com uma escrita fluída é possível chegar ao final da história sem sentir o tempo passar.
O final da duologia não foi tão inesperado assim, na verdade eu já havia descoberto o plot twist no primeiro livro - é bem óbvio se você leu A Rainha Vermelha. 

Não sei se lerei no futuro próximo algo da autora, pois acho que ela precisa amadurecer suas ideias e não deixar tudo muito raso, mas creio que com um pouco de esforço ela faria um trabalho excelente.
Não foi encontrado erros durante a leitura, a capa é no mesmo estilo da primeira e possui uma diagramação muito bonita.

De repente, um rugido subiu de algum lugar, agarrando-se às paredes e fazendo as pedras estremecerem. Era o rugido de uma centena de vozes femininas, cheias de raiva. Era um grito de guerra.

Postar um comentário