Resenha: Um Perfeito Cavalheiro - Os Bridgertons

setembro 10, 2020


Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 304
Ano: 2014
Avaliação:  ☆☆☆☆
Sinopse: Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhece o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.

Nesse terceiro livro da série iremos conhecer a história de Sophie e Benedict; esse livro trata-se de uma releitura da Cinderela. 
Sophie é a filha bastarda de um conde, seu pai a manteve em casa sendo educada da melhor maneira possível, mas assim que ele se casou com sua esposa, a mesma odiava Sophie com todas as suas forças. Infelizmente a infância da garota não foi nada fácil e logo após o falecimento do conde, Sophie teve que viver como empregada da madrasta e suas filhas.

Sophie sempre sonhou em frequentar a alta sociedade, pelo menos uma única vez ela desejava ir a um baile, e quando essa oportunidade lhe bate a porta Sophie aproveita o máximo que pode.
É nessa noite que ela conhece Benedict, um dos irmãos Bridgertons. A mãe dele está dando uma festa grande e luxuosa afim de casar os filhos, e é obvio que Benedict tem apenas olhos para a bela moça que acabou de entrar na festa.
Ele e Sophie tem uma conversa espirituosa e infelizmente ela precisa ir embora, claro que como no conto de fadas ela deixa algo para trás e Benedict terá de encontrá-la. 

Após algumas desavenças a madrasta de Sophie a manda embora e a jovem terá de arrumar um emprego se quiser sobreviver. Três anos se passam e Benedict nunca conseguiu encontrar a dama misteriosa, até que em uma festa ele encontra uma criada sendo atacada e a salva.
Lamentavelmente Benedict não reconhece que a criada é sua dama misteriosa, e ele se sente responsável em cuidar dela devido a atual situação, ele lhe promete um emprego e a retira do local o mais rápido possível. 
Sophie não quer aceitar o emprego, ainda mais porque está apaixonada por Benedict, mas ela não tem outra saída.

Com o passar do tempo Benedict vai apaixonando-se por Sophie, mas como ele poderia casar com uma criada? Isso seria um ultraje devido a sua posição, por isso ele decide que irá fazer uma proposta para ela, mas é óbvio que Sophie jamais aceitaria ser amante de alguém!
Então o romance deles começa a girar em torno das suas posições sociais e o que eles devem fazer, Benedict pode seguir seu coração? Isso com certeza iria afetar sua família perante a sociedade. 

Apesar de quase sempre ficar apaixonada pelos mocinhos nos romances de época, nesse livro quem roubou meu coração foi Sophie. Ela é inteligente, forte, determinada e acima de tudo gentil. Mesmo tendo passado por momentos difíceis ela não consegue ser mesquinha com outras pessoas, realmente tem uma alma boa.
Vemos um pouco mais da família dos Bridgertons e cada vez mais apaixonada pelos personagens, temos um pouco de foco na matriarca da família e vemos um pouquinho das meninas. Realmente uma família maravilhosa, estou amando acompanhar a série.

Eu entendo que esse livro se trata de uma releitura, mas no começo eu estava bastante desanimada, demorei um pouco para pegar o ritmo e gostar realmente da história. Não gostei muito do Benedict, sinceramente achei de extrema burrice a grande maioria das atitudes dele, mas como sempre temos um final feliz onde o mais teimoso reconhece que está sendo burro (o que é o caso de cem porcento dos livros desse gênero).

Não vou mentir que fiquei completamente envolvida com o romance dos dois, pois não fiquei. Eu achei mediano e sinceramente ela poderia ficar com qualquer um, pois ela é a estrela dessa história, Benedict é um mero coadjuvante que não merece nem pisar no mesmo chão que Sophie pisa.
O romance envolve mentiras, segredos, reviravoltas e bolinhos sendo arremessados; e tem um epilogo de tirar o fôlego. Não vejo a hora de ler o próximo livro. 

Li está edição em ebook, por isso não posso falar nada a respeito do livro físico. 

“Ela se sentia uma princesa – uma princesa audaciosa – e, assim que ele a convidara para dançar, ela pusera a mão na dele. E, embora soubesse que tudo aquilo era uma mentira, que era a filha bastarda de um nobre e a criada de uma condessa, que seu vestido era emprestado e os sapatos, praticamente roubados, nada parecera ter importância quando os dedos dele se entrelaçaram.”

Um comentário

  1. Oi
    Sophie é uma boa personagem, no quesito casal eu ainda prefiro o do segundo que é o Antony e o do Colin,
    que bom que gostou da leitura, agora a coitada da Sophie sofre nesse.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir