Resenha: Como o Rei de Elfhame Aprendeu a Odiar Histórias

setembro 03, 2021

 

Autora: Holly Black 

Editora: Galera Record

Número de Páginas: 192

Ano: 2021

Avaliação: ☆☆☆☆

Sinopse: Retorne, em Como o Rei de Elfhame aprendeu a odiar histórias, ao cativante e irresistível universo de Elfhame.Era uma vez, em uma terra mágica e distante, um garoto com uma língua perversa. Antes de se tornar um príncipe cruel ou um rei perverso, Cardan era uma criança fada conhecida por ter um coração de pedra.
Em Como o Rei de Elfhame aprendeu a odiar histórias, a autora best-seller 1 do New York Times Holly Black revela um olhar mais profundo sobre a vida do enigmático Grande Rei de Elfhame. No Reino das Fadas, um príncipe jovem, perigosamente bonito e, acima de tudo, cruel conhece Jude, uma humana criada em Elfhame. Uma trilogia inteira é dedicada a contar a história de sua perspectiva, mas, agora, Cardan está no centro das atenções. Esta história inclui maravilhosos e precisos detalhes da vida do Grande Rei antes dos acontecimentos de O príncipe cruel, uma aventura que ultrapassa as fronteiras de A rainha do nada e, ainda, momentos fundamentais vistos anteriormente pela perspectiva de Jude, narrados na íntegra pelo ponto de vista de Cardan.
Este novo livro é um retorno ao universo dos romances épicos, acelerados, perigosos e carregados de drama que conquistaram leitores por todo o mundo. Com cada história acompanhada de deslumbrantes e coloridas ilustrações, Como o Rei de Elfhame aprendeu a odiar histórias se torna um indispensável item de colecionador a ser apreciado por públicos de todas as idades.

O jovem príncipe Cardan foi uma criança fada desprezada pelos pais devido a uma terrível profecia, sua infância não foi nada fácil e nessa curta obra iremos acompanhar alguns momentos da vida do grande Rei de Elfhame. 

Iniciamos o livro com Cardan dormindo nos estábulos (ainda criança) quando uma mulher troll aproximou-se dele e lhe contou uma história sobre um garoto de coração de pedra e língua perversa. A mulher troll em questão não foi atendida pelo rei (pai de Cardan) e ao observar que o principe está ali, ela para nos estábulos e decide contar-lhe uma história. 
Com o passar dos anos Cardan a encontra novamente, ela decide lhe contar a mesma história, mas Cardan percebe que ela está diferente ... afinal, histórias mudam e garotinhos perversos também!

O livro conta com capítulos em forma de pequenos contos que dão o vislumbre sobre alguns detalhes da vida de Cardam, como por exemplo como ele conheceu seus amigos (igualmente cruéis iguais a ele), vemos um pouco sobre seus sentimentos confusos por Jude e o livro alterna entre passado e presente. 
No presente Cardan está juntamente com sua rainha (no mundo humano), tentando resolver um problema. O que ele não imaginava era encontrar um velha amiga deixando um rastro de morte no mundo mortal.

Quem leu a trilogia o povo do ar sabe que os livros são pela perspectiva da Jude, por isso imagine minha surpresa ao perceber que todos esses contos são pelo ponto de vista do Cardan. O leitor consegue entender as motivações dele para esconder suas verdadeiras intenções/sentimentos, mas ainda assim achei que os contos foram um pouco superficiais. 

Esse é aquele tipo de leitura para quem é fã da trilogia, trata-se de um livro de capa dura, repleto de ilustrações e poucas palavras, por isso a leitura é bem rápida. Parece ser aquele tipo de livro extra que o autor faz com carinho para recompensar os fãs da obra.
Foi uma leitura bem envolvente na medida do possível e com toda certeza um deleite para os olhos, pois as ilustrações tão lindas demais. 





Postar um comentário