Resenha: Apague a Luz se for Chorar

dezembro 25, 2021

 

Autora: Fabiane Guimarães

Editora: Alfaguara 

Número de Páginas: 176

Ano: 2021

Avaliação:  ☆☆☆

Sinopse: Cecília não sabe muito bem o que fazer com a própria vida. Depois de mudar de Brasília para o Rio de Janeiro, a jovem ainda não conseguiu encontrar um emprego nem organizar seu futuro. João, pai solteiro de uma criança com paralisia cerebral, tenta levar a vida em Brasília como pode. Trabalha como veterinário do município durante o dia e procura formas de ganhar mais dinheiro à noite ― o objetivo é juntar quantia suficiente para bancar um tratamento experimental para o filho.
Quando os pais de Cecília morrem, ela é forçada a voltar para a pequena cidade de sua infância, onde eles ainda moravam. Mas uma dúvida começa a atormentá-la: a possibilidade de que eles foram assassinados. E João, desesperado por mais recursos, começa a se aventurar por trabalhos pouco recomendáveis.
Ao cruzar suas histórias, Fabiane Guimarães cria um suspense impactante sobre o que significa ser parte de uma família, e os limites que estamos dispostos a ultrapassar para mantê-la.

Nessa curta leitura vamos conhecer Cecília, uma jovem que  acaba retornando a cidade natal dos pais devido ao falecimento dos mesmos, e também conhecemos João, um pai solo que tem um filho com paralisia cerebral. 
Após algumas conversas com a vizinha,  Cecília acaba supondo que os pais foram assassinados, no decorrer da leitura ela vai descobrindo coisas que nem imaginava sobre seus pais e aos poucos sua concepção de família perfeita vai ruindo diante de suas indagações. 

João trabalha ceifando a vida de animais que não são adotados, ele está juntando dinheiro para investir em um tratamento experimental para o filho. Sua esposa o abandonou e João faz de tudo pelo filho, mas talvez seu "excesso de amor" o esteja deixando cego para as decisões que vem tomando em relação a criança. 

Em capítulos alternados vamos conhecendo a história de cada um, apesar de João ter uma vida bem difícil não consegui sentir empatia por ele, na verdade não conseguir sentir muita coisa lendo essa história. 
Cecília nos faz refletir sobre a concepção de certo e errado, vemos que ela romantizou os pais a ponto de vê-los como perfeitos, mas pais também são humanos e passiveis de erros, em alguns momentos achei Cecília um pouco confusa. 

Essa é uma leitura curta e que começa muito bem, mas vai morrendo aos poucos. Não consegui me apegar a nada, entendi os questionamentos, mas não foi um livro que teve um impacto em mim, na verdade demorei muito para ler e refleti bastante sobre o que escreveria sobre essa leitura. É um livro sobre pessoas reais e com seus pensamentos mais íntimos sendo expostos, pensamentos e reflexões que chegam a incomodar, que são conflitantes, mas mostram que os personagem são seres humanos e as vezes "coisas acontecem".
As duas histórias vão se entrelaçando a medida que o leitor vai passando as páginas, foi algo que ao menos me surpreendeu quando finalmente entendi a situação. No mais não posso falar muito sem soltar spoiler. 

Livro disponibilizado para mim pela plataforma netgalley*

"No final, estamos sozinhos. No final, é só você e você mesmo."

Um comentário

  1. Olá,
    Achei interessante a resenha. Não conhecia o livro e provavelmente não seria um livro que eu escolheria, e de certa forma é até bom. Me conhecendo, bem possível não me agradar tanto também. A leitura para valer tem que me fazer sentir, e a falta disso provavelmente me incomodaria.
    Porém, ter personagens reais é um ponto bem positivo.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir