14 dezembro 2016

Resenha: A Garota do Calendário - Fevereiro


Autora: Audrey Carlan
Editora: Verus
Número de páginas: 135
Ano: 2016
Avaliação☆☆
Sinopse: Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street JournalMia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato.
A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil.
Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em fevereiro, Mia vai passar o mês em Seattle com Alec Dubois, um excêntrico artista francês. No papel de musa, ela vai embarcar em uma jornada de descobertas sexuais e lições sobre o amor e a vida que permanecerão com ela para sempre.

Nesse segundo livro da série a garota do calendário, Mia está com um novo cliente e continua trabalhando como acompanhante para pagar o agiota que está ameaçando seu pai por causa de uma grande dívida de jogo. Ela saiu com o coração partido depois de deixar Wes em Malibu, mas ela precisa continuar trabalhando para a tia, só assim ela conseguirá pagar a dívida do pai. 

O novo cliente de Mia é um artista plástico e ele precisa de uma musa, sendo assim após ver a foto de Mia no site de acompanhantes ele sabe que ela é a garota certa para o trabalho, então Mia é contratada por ele. 
Ela parte para uma nova cidade onde irá trabalhar com Alec Dubois, mas em seu primeiro dia Mia acaba torcendo o tornozelo e isso poderia ser um impedimento para o trabalho, mas Alec parece não se importar com o acontecido e deixa Mia tranquila quanto a isso. Ela ainda trabalhará para ele, afinal ele só precisa que ela pose para nua e lhe dê inspiração para pintar suas novas obras. 

Mia acaba sentindo-se atraída logo de cara por Alec, que é um homem muito bonito, além de exalar sensualidade na forma como age ou fala. Isso deixa Mia completamente interessada nele e faz com que logo os dois comecem a interagir intimamente. 
Alec tenta fazer com que Mia se veja linda, que ame cade detalhe em seu corpo e faz de tudo para que ela ame a si da melhor forma possível, mas Mia nem sempre consegue entender isso e tem um longo caminho pela frente para aprender a se amar.

A historia tinha tudo para dar certo, se não fosse o fato de que eu não vi motivo nenhum para Mia interagir sexualmente com Alec. 
Sinceramente não entendi e não vi motivos para eles terem um relacionamento "amoroso". Na verdade achei a Mia muito desesperada para se jogar em cima de qualquer cliente bonito que ela tivesse, afinal por que não se divertir com um homem bonito e esquecer dos problemas? Curtir a vida, trabalhar e ganhar um dinheiro enquanto faz tudo isso?? Mia só quer passar o tempo e aproveitar a vida, mas não consegui ver esse livro como nada além de uma história que envolve prostituição, diferente do que eu senti ao ler o primeiro livro da série. 
Claro que Mia não aceita muito bem quando recebe um dinheiro a mais por uma das cláusulas de seu contrato, o que gera uma briga rápida e tão sem sentido na história que é completamente desnecessária. Visto que a mesma se resolve bem rápido assim como começou. 

Vale ressaltar que a Mia poderia ter aceitado o dinheiro do Wes e não precisaria ser mais acompanhante, mas ela achou que não merecia isso, sem contar que ela queria seguir seu próprio caminho e não precisava que Wes a salvasse, por isso ela seguiu para o próximo cliente (Alec).
Não estou julgando a Mia, mas a história poderia ter muito bem acabado no primeiro livro e ao ler esse segundo eu fiquei bem desestimulada com ela. Sem contar que Alec me irritou muito, pois vivia falando em francês. Não era mais fácil falar no mesmo idioma que a Mia?
Não gostei tanto da história, o rumo poderia ter sido bem melhor e apesar de saber que trata-se de literatura erótica (óbvio que vai ter cenas de sexo), a história poderia ter sido melhor trabalhada e ter uma quantidade menor de sexo. Não sei ainda se continuarei lendo a série, mas estou considerando parar por um momento até ter paciência para ler a continuação.
Não me recordo de ter achado qualquer erro na leitura, a capa segue o mesmo estilo da anterior e a diagramação está ótima. 
Nunca sonhei que a experiência de ser sua musa pudesse me mudar. Mas aconteceu. Você me mudou. Para melhor. Obrigada, Alec, por me mostrar que é bom amar, dar amor livremente e aceitar o amor que me foi dado, mesmo por pouco tempo.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!