14 agosto 2017

Resenha: Tash e Tolstói


Autora: Kathryn Ormsbee
Editora: Seguinte
Número de Páginas: 376
Ano: 2017
Avaliação☆☆☆☆
Sinopse: Natasha Zelenka é apaixonada por filmes antigos, livros clássicos e pelo escritor russo Liev Tolstói. Tanto que Famílias Infelizes, a websérie que a garota produz no YouTube com Jack, sua melhor amiga, é uma adaptação moderna de Anna Kariênina. Quando o canal viraliza da noite para o dia, a súbita fama rende milhares de seguidores e, para surpresa de todos, uma indicação à Tuba Dourada, o Oscar das webséries. Esse evento é a grande chance de Tash conhecer pessoalmente Thom, um youtuber de quem sempre foi a fim. Agora, só falta criar coragem para contar a ele que é uma assexual romântica ou seja, ela se interessa romanticamente por garotos, mas não sente atração sexual por eles. O que Tash mais gostaria de saber é- o que Tolstói faria?

Natasha Zelenka mais conhecida como Tash, é completamente apaixonada por Liev Tolstói. Ela e sua melhor amiga Jack produzem uma websérie chamada Famílias Infelizes - uma adaptação moderna de Anna Kariênina. 
Mesmo que sua websérie seja bem produzida, ela não chega a ser famosa no youtube. Mas, a partir do momento que a youtuber Taylor Mears indica a websérie, as coisas começam a sair de controle. 

Em questão de horas Tash começa a receber inúmeros comentários e seguidores tanto no canal como nas redes sociais, e isso começa a tomar uma proporção muito maior quando a websérie é indicada ao Tuba Dourada, o oscar das webséries iniciantes. 
Tash sonha em ser produtora, mas talvez ela não esteja preparada para o ódio gratuito/criticas negativas que irá receber.

Além de ter que lidar com a fama, Tash precisa lidar com sua irmã saindo do elenco da websérie e um problema envolvendo seus amigos de infância. As coisas estão ficando cada vez mais complicadas para Tash e não é nada fácil ter de lidar com sua sexualidade quando ela tem interesse romântico em garotos, mas não tem atração sexual. 
Então como ela irá falar isso para um garoto que ela está interessada apenas romanticamente nele sem assustá-lo? 

O livro é narrado por Tash e vamos acompanhando seus medos e anseios. Ela é aquele tipo de personagem completamente palpável, que é fácil de se identificar.
Em alguns momentos fiquei um pouco entendiada com algumas explicações de Tash, mas nada que atrapalhasse a leitura. 
O livro tem personagens distintos e interessantes, que valem muito a pena.

No mais foi uma ótima leitura que me rendeu bons momentos de reflexão na medida do possível. 
Gostei muito da capa e a diagramação apesar de simples está boa. Não encontrei qualquer erro durante a leitura.

Eis outra pérola de sabedoria de Tolstói, o mais genial dos homens: “A vida é verdadeiramente vivida quando pequenas mudanças ocorrem”. Parece genérico, eu sei – como algo que estampariam em uma almofada. Mas parece mais profundo na negativa: “Você não está vivendo de verdade se nada estiver mudando”.

7 comentários

  1. Olá Alice, tudo bem?
    Eu tinha visto esta capa em algum lugar, e fiquei bastante curiosa para saber do que se tratava o livro. Gostei da premissa e achei interessante falarem sobre uma pessoa assexual, acho que nunca li nada a respeito. Não curti muito a capa, mas gostaria de ler o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Achei a premissa desse livro muito interessante! Nunca li nada nesse estilo, mas fiquei bastante curiosa. Ótima resenha. Espero ter a oportunidade de conferir.
    Beijos e obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Alice! Achei interessante a autora abordar o tema da assexualidade. É mto importante tbm o uso da literatura para debater esses assuntos. No entanto, o livro não despertou tanto a minha atenção.

    ResponderExcluir
  4. Alice!
    Uma pena que tenha se entediado em algumas narrações de um dos personagens, mas como disse se não atrapalha a leitura, melhor.
    Se o livro traz todo esse drama e ainda uma protagonista assexuada e toda insegura, além do fato de ser um enredo totalmente inédito na minha opinião, claro que quero ter a oportunidade de fazer a leitura.
    "...Aceite com sabedoria o fato de que o caminho está cheio de contradições. Há momentos de alegria e desespero, confiança e falta de fé, mas vale a pena seguir adiante..."(Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  5. Esse é o tipo de livro que acredito que sendo Graphic Novel seria uma leitura melhor, daria pra visualizar a websérie e com uma leitura mais rápida.
    Abordar uma jovem fã de um autor clássico e ainda a adaptação dela disso para os dias de hoje com a tecnologia é interessante e também o interesse apenas romântico em garotos sem a parte sexual, mas apesar de tudo isso não é uma leitura que eu faria.

    ResponderExcluir
  6. Parece ser uma leitura gostosa que agrada, ainda não li nada sobre um personagem assexual, achei interessante o livro abordar assim da para saber sobre o tema. Situação muito difícil da personagem passar por tantas coisas ao mesmo tempo, fiquei curiosa em saber a reação do garoto quando ela contar sobre sua assexualidade..

    ResponderExcluir
  7. Já tinha visto essa capa várias vezes e eu nem conseguia imaginar do que poderia se tratar, até que a curiosidade me venceu e fui atras da resenha, quem diria, hein? Um livro profundo e com tema incomum. Partes de reflexão podem torná-lo melhor ainda e com pitada de romance.. que prato cheio, otima dica.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao blog e obrigada por comentar!