Resenha: IT. A Coisa [Edição Especial]

dezembro 16, 2019


Autor: Stephen King
Editora: Suma
Número de Páginas: 1104
Ano: 2017
Avaliação:  ☆☆☆☆☆
Sinopse: Durante as férias escolares de 1958, em Derry, pacata cidadezinha do Maine, Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly aprenderam o real sentido da amizade, do amor, da confiança e… do medo. O mais profundo e tenebroso medo. Naquele verão, eles enfrentaram pela primeira vez a Coisa, um ser sobrenatural e maligno que deixou terríveis marcas de sangue em Derry. Quase trinta anos depois, os amigos voltam a se encontrar. Uma nova onda de terror tomou a pequena cidade. Mike Hanlon, o único que permanece em Derry, dá o sinal. Precisam unir forças novamente. A Coisa volta a atacar e eles devem cumprir a promessa selada com sangue que fizeram quando crianças. Só eles têm a chave do enigma. Só eles sabem o que se esconde nas entranhas de Derry. O tempo é curto, mas somente eles podem vencer a Coisa. Em “It – A Coisa”, clássico de Stephen King em nova edição, os amigos irão até o fim, mesmo que isso signifique ultrapassar os próprios limites.
A parte vermelha da resenha contém spoiler sobre uma determinada cena

Nessa leitura que mistura o passado e o presente, acompanharemos a história de sete amigos contra uma criatura maligna que assola a cidadezinha de Derry, no Maine. O palhaço Pennywise tem o poder de transformar-se em seu pior pesadelo e de tempos em tempos aterroriza a cidade com suas aparições. 
A trama tem início com a morte de George, irmão de Bill (Bill Gago). George saiu para brincar em um dia de chuva com um barquinho de papel e nunca mais voltou para casa. Para quem viu o primeiro filme, aviso desde já que aqui acontece um pouco diferente do que é visto nas telas. 

A Coisa (Pennywise) deu início ao seu ciclo de assassinatos e não vai parar até que seja detido. De tempos em tempos o palhaço aparece para começar sua matança, as pessoas na cidadezinha parecem não se importar com a situação, como se estivessem cegos a todos os acontecimentos sinistros que rondam a cidade.
Bill deseja descobrir o que aconteceu com seu irmão e por isso vai em busca de respostas, mas talvez a Coisa o encontre primeiro.

Os sete amigos que se auto intitulam O Clube dos Otários, começam a tentar desvendar os desaparecimentos de crianças e todas as coisas sinistras que acontecem em Derry, mas essa jornada não será nada fácil, pois cada um terá de combater seu medo se quiser sobreviver.
Eles não estão apenas fugindo do palhaço, como também dos valentões que os perseguem. A cada momento que passa os amigos descobrem mais sobre o palhaço e de onde ele surgiu, mas ele também conhece um pouco mais sobre eles e irá usar qualquer artifício para matá-los. 

Apesar de estar resenhando essa história de forma linear, a leitura não é assim! O livro vai intercalando entre passado e presente e em alguns momentos vemos a história sendo narrada focada em apenas um personagem ou algum acontecimento específico. O leitor terá de ir construído a trama e descobrindo aos poucos o que aconteceu no passado, como eles "derrotaram" o palhaço na primeira vez e o que precisam fazer novamente para silenciá-lo de uma vez por todas.

No presente, os amigos não se vêem há vinte sete anos e precisam voltar a cidadezinha de Derry, pois o ciclo de assassinatos está voltando e eles juraram com sangue que voltariam caso Pennywise atacasse novamente. Porém como eles irão derrotá-lo se nem sequer se lembram do que aconteceu no passado? 
Infelizmente ao sair da cidade, as memórias foram perdendo-se aos poucos e eles precisam recuperá-las se quiserem sobreviver ao palhaço assassino. 

Cada personagem do clube dos otários tem sua vida e seus medos abordados no decorrer das páginas desse livro. Em alguns momentos temos cenas calmas e até mesmo maravilhosas, mas em outras situações temos cenas difíceis de serem digeridas e carregadas de terror. King fez um excelente trabalho ao escrever esse livro.
Inclusive o autor tem um modo muito peculiar de escrever. Ele sempre descreve uma situação em seus mínimos detalhes e o leitor começa a ficar levemente confuso com uma narrativa tão extensa, mas em determinado momento você finalmente descobre o porquê daquilo estar sendo narrado; realmente de uma maestria sem igual!
Gosto muito das obras do King apesar de ter algo muito negativo nesse livro que simplesmente não faz sentido para mim. Eu não consigo entender como foi publicado na época contendo essa cena e até hoje muita gente chega a idolatrar isso de forma doentia. 

ATENÇÃO LEIA A PARTE VERMELHA POR SUA CONTA E RISCO

Em um determinado momento as crianças estão confusas, e precisam ficar unidas, mas tudo parece muito difícil naquela situação e a única garota do grupo tem a "BRILHANTE ideia" de todos eles fazerem sexo com ela [??]. Sim, isso mesmo que você leu, o livro tem uma orgia infantil. Não faz o menor sentido a cena no geral e o autor defende a mesma dizendo que é extremamente necessária para a obra, pois eles precisam unir-se para derrotar a coisa ... 🤢
A cena tem descrições de tamanho de órgãos sexuais e de forma infantilizada descreve o sexo entre eles, é realmente repugnante. 
E por algum motivo que eu não consigo entender, muita gente queria essa cena no filme e acha maravilhosa! Quem diabos precisa ver crianças fazendo sexo em um filme??

Além de ser algo completamente desnecessário de ler, estragou muito a minha experiência com o livro e poucas pessoas falam sobre isso ao recomendar a leitura. Se eu não pesquisasse sobre o livro jamais saberia que algo assim estava escrito e mesmo sabendo que iria acontecer, eu pensei que não seria tão detalhada e que poderia ler sem problema, mas eu estava errada.
Então você pode muito bem pular essa cena, não fez diferença nenhuma na leitura e até mesmo ajuda sua sanidade mental, confie em mim, pule essa parte e continue a leitura como se nada tivesse acontecido!

A leitura aborda muitos temas como violência contra mulher, estupro, assédio, bullying, dentre outras coisas. Para algumas pessoas esses temas foram muito mais pesados do que a cena da orgia infantil, o que discordo completamente.
Depois da parte citada acima, eu simplesmente não consegui resenhar o livro assim que terminei a leitura. Precisei de alguns dias para digerir a cena e finalmente escrever essa resenha.
Não posso dizer que o autor não é genial, pois ele é, mas essa cena para mim foi terrível.

No mais, a obra em si é aterrorizante, muito bem escrita, envolvente e cheia de reviravoltas. Vale muito a pena ler e se você é fã do mestre do terror, com certeza vale a pena mergulhar de cabeça nesse universo criado por ele. Mas, fique atento a cena bizarra das crianças quase no final.
A editora está de parabéns nessa edição! Essa inclusive é uma das minhas capas preferidas da obra.
Não encontrei erros durante a leitura e a diagramação do livro está maravilhosa!


Postar um comentário