Resenha: O Príncipe Cruel - O Povo do Ar

maio 27, 2020


Autora: Holly Black 
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 322
Ano: 2018
Avaliação:  ☆☆☆☆☆
Sinopse: Primeiro livro da mais nova série de Holly Black. Conheça a impressionante história de uma garota mortal que se vê presa em uma teia de intrigas reais. Jude tinha 7 anos quando seus pais foram assassinados e foi forçada a viver no Reino das Fadas. Dez anos depois, tudo o que ela quer é ser como eles – lindos e imortais – e realmente pertencer ao Reino das Fadas, apesar de sua mortalidade. Mas muitos do povo das Fadas desprezam os humanos.
Especialmente o Príncipe Cardan, o filho mais jovem, mais bonito e mais cruel do Grande Rei. Para ganhar um lugar na Alta Corte, ela deve desafiá-lo... e enfrentar as consequências. Envolvida em intrigas e traições do palácio, Jude descobre sua própria capacidade para truques e derramamento de sangue.
Mas, com a ameaça de uma guerra civil e o Reino das Fadas por um fio, Jude precisará arriscar sua vida em uma perigosa aliança para salvar suas irmãs, e o próprio Reino. Com personagens únicos, reviravoltas inesperadas, e uma traição de tirar o fôlego, este livro vai deixar o leitor pedindo bis – querendo mergulhar de cabeça na continuação deste universo.

Jude é uma humana que vive no mundo das fadas, um mundo completamente perigoso para ela. Ela e suas irmãs vivem na casa de Madoc, um general que trabalha a serviço do Grande Rei. E mesmo depois de todo o tempo vivendo na casa da pessoa que executou seus pais, Jude quer pertencer ao Reino das Fadas, ela quer ardentemente fazer parte de tudo, mas sua mortalidade - dentre outras coisas - a impedem.

Féericos não gostam de humanos, a grande maioria acredita que a mortalidade deles os torna inferiores, por isso Jude precisa ser excelente em tudo que faz se quiser ter as graças necessárias para fazer parte daquele mundo. Apesar de viver na casa de Madoc ela não está segura no mundo das fadas, ninguém ousaria atacar diretamente ela ou sua irmã humana, pelo menos não as vistas do general.
Enquanto Jude tenta chamar atenção, sua irmã gêmea Taryn faz o oposto, ela deseja apenas se apaixonar e viver uma vida de amor, mas tenta fazer de tudo para mostrar-se inferior e não chamar a atenção das outras fadas.

Cardan é um dos príncipes das fadas, ele detesta Jude com todas as suas forças e faz de tudo para tornar a vida da garota completamente miserável. Todos que seguem Cardan o apoiam em grande maioria das suas loucuras, até mesmo nas mais perigosas, aquelas que põe a vida de Jude em risco.
O problema é que Jude corre todos os riscos possíveis para provar que Cardan mesmo com toda a sua glória não consegue dobra-la, nada que ele faça a fará parar de tentar. E isso torna-se cada vez mais perigoso.

A narrativa vai sendo observada pelo ponto de vista de Jude, em grande parte vamos acompanhando sua vida no mundo das fadas e como ela deseja pertencer aquilo, e apesar de seguir algumas regras que a mantém viva, as coisas não ficarão "tranquilas" por muito tempo.
Fadas tecnicamente não podem mentir, mas dependendo da pergunta podem ocultar a verdade, diferente de humanos. O que aconteceria se uma humana usasse seu "dom" para conseguir o que quer? Em uma narrativa rodeada de mentiras, traições e espionagem, O Príncipe Cruel ganhou meu coração.

Apesar de Madoc ter colocado Jude como sua filha, ela não é aceita naquele meio, por isso é tão interessante vê-la crescendo dentro da trama, desejando poder e uma posição que a deixe confortável pelo resto de sua vida, uma posição em que ela não precise se preocupar com sua humanidade, mas isso requer um preço muito alto. 
A medida que vamos lendo o livro muitos segredos vão sendo revelados e cada vez mais o leitor percebe que o que ele achava de determinado personagem está completamente equivocado. Um grande exemplo disso é Taryn, a irmã de Jude. Ela tenta não chamar atenção para si, tenta fazer com que Jude veja a "razão" e se curve parente as fadas, mas Taryn esconde segredos horríveis, segredos que podem colocar a prova sua lealdade e até mesmo o amor que sente por sua irmã.
O mais interessante de tudo é que ninguém dá nada por Taryn, ela é a mais sem graça das irmãs e um personagem completamente sem pulso firme, por isso é tão dolorido quando seus segredos são revelados.

Em meio a perigos e traições reais, O Príncipe Cruel foi uma leitura muito empolgante e que me surpreendeu positivamente. Trata-se de uma leitura completamente viciante, li em apenas um único dia, pois não consegui largar por nada. 
Apesar de ter lido diversas resenhas dizendo o quanto a leitura é massante e em boa parte não acontece nada - o que é uma verdade -, eu resolvi insistir e não me decepcionei nenhum pouco. 
Após cada segredo/conspirações que foram descobertas, eu só me via cada vez mais envolvida com leitura. O final foi de "cair o queixo". Jude arquitetou um plano tão incrível que eu não esperava que tomasse o rumo que tomou, uma reviravolta atrás de outra. 

Obs: Eu li o livro em inglês, por isso não posso citar nada da edição em português.

"Nunca? Nunca é como para sempre - imensurável demais para mortais compreenderem."⁣⁣

Postar um comentário