Resenha: Mowgli - Os Livros da Selva

junho 09, 2021



Autor: Rudyard Kipling

Editora: Zahar 

Número de Páginas: 320

Ano: 2021

Avaliação:  ☆☆☆☆

Sinopse: Mowgli, o filhote de homem criado por lobos, ocupa um espaço eterno no imaginário popular, encantando leitoras e leitores de todas as idades e lugares. A extraordinária prosa de Rudyard Kipling nos transporta para dentro das florestas da Índia, dá voz e pensamento aos animais e nos permite enxergar o mundo pelos olhos de Mowgli e dos personagens inesquecíveis que o acompanham. Enquanto cresce e amadurece, vivendo aventuras que falam de coragem, amizade e do respeito à lei da Selva, Mowgli enfrenta o dilema existencial que é o seu maior inimigo: qual o seu lugar no mundo, entre os animais que o criaram ou entre os homens?Esta edição reúne em texto integral os oito contos que apresentam a infância e a adolescência de Mowgli, como publicados nas edições originais de O livro da Selva e de O segundo livro da Selva. Conta também com ilustrações originais e um apêndice com o primeiro texto sobre Mowgli escrito por Kipling, "Dentro da rukh".

Originalmente as histórias de Mowgli foram lançadas em forma de pequenos contos que foram sendo publicados de forma espaçada, mas nessa edição da Editora Zahar iremos ler todos os oito contos em um único volume. Por se tratar de um livro de contos é possível que alguns contos sejam mais interessantes que outros, mas isso não tira o interesse do leitor pela leitura. 

Mowgli foi adotado por uma matilha de lobos depois que um tigre os atacou, sua família fugiu, mas Mowgli acabou indo parar na selva. Depois de ser aceito entre os animais, Mowgli começa a trilhar sua jornada, ele é instruído por Baloo - o urso - nas leis da selva. 

Os contos narram diferentes momentos da história de Mowgli, por isso não estranhe os saltos temporais e o foco de cada um. Como citei acima alguns contos são mais interessantes que outros, mas no geral cada um é importante para complementar a história do menino lobo, por isso foi muito importante que todos fossem publicados juntos.
Ler Mowgli não foi uma leitura surpreendente no quesito de novidades, pois algumas coisas o leitor adulto já tem noção devido a adaptação cinematográfica, mas ainda assim foi uma leitura interessante, pois com certeza a história do menino lobo foi eternizada e senti certa nostalgia ao acompanhar as aventuras. 

Nessa história cheia de dramas políticos e morais, Mowgli não sabe seu lugar. Ele pertence a selva onde é respeitado e aceito? Ou ele precisa ir as aldeias dos homens e aprender a viver como um deles?
O autor tem uma forma interessante de abordar o ser humano, ele é visto como ganancioso, inferior aos animais, cruéis, fanáticos e traidores. Se comparado a Selva, o ser humano não é nada, na Selva há bondade e respeito, e por Mowgli ter sido criado na selva ele carrega tudo que há de virtuoso, mesmo quando comete erros. 
Vale lembrar que o livro tem como alvo o público infantil, por isso utiliza a fábula para interagir.

Mowgli tornou-se um clássico e com ele vemos a dualidade das leis da selva, observamos uma análise interessante entre animais e humanos.
O livro possui capa dura, uma diagramação maravilhosa e algumas ilustrações. Também possui um apêndice escrito pelo autor com seu primeiro texto sobre Mowgli. Realmente uma edição magnifica. 




"– É melhor ser arranhado dos pés à cabeça por mim, que o amo, do que encontrar o sofrimento por ignorância."

"Uma das coisas mais bonitas da Lei da Selva é que o castigo salda todas as dívidas. Ninguém fica remoendo nada depois."

" – Um coração valente e uma língua cortês – disse. – As duas coisas o levarão longe na selva, homenzinho."

Um comentário

  1. Clássico é clássico, né!? Eu amor poder revisitar essas histórias que estão no nosso imaginário (muitas vezes por conta da Disney) e entender melhor a partir do original.
    Amei a resenha!

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

    ResponderExcluir