Resenha: Billy Summers

janeiro 08, 2022

 

Autor: Stephen King

Editora: Suma

Número de Páginas: 472

Ano: 2021

Avaliação:   ☆☆☆☆

Sinopse: Billy Summers é uma história de guerra, amor, sorte e destino, com um herói complexo buscando sua última chance de redenção. Impossível de largar e impossível de esquecer.
Billy Summers é o homem com a arma; um assassino de aluguel e um dos melhores atiradores do mundo. Mas ele tem um critério: só aceita o serviço se o alvo for realmente uma pessoa ruim.
Agora, Billy quer se aposentar, mas antes precisa realizar um último trabalho. Veterano da guerra no Iraque e um mágico quando se trata de desaparecer depois do crime, o hábil assassino tinha tudo planejado. Então, o que poderia dar errado?
Basicamente tudo.
Quando Billy se acomoda em uma cidadezinha do interior, disfarçado como um escritor tentando superar um bloqueio criativo enquanto espera seu alvo ser transferido para julgamento, ele não imagina a trama de traições, perseguições e vingança que o aguarda.

Billy Summers passou a trabalhar como assassino de aluguel após deixar a vida militar, Billy só aceita matar pessoas ruins, mas depois de muitos anos atuando ele decidiu que está na hora de se aposentar e resolve aceitar seu último trabalho. 
Ele acaba indo morar em uma cidadezinha do interior disfarçado de escritor que está ali para se recuperar de um bloqueio criativo, Billy está esperando seu alvo ser transferido para o julgamento e como ninguém sabe ao certo quando o alvo estará no local ele precisará esperar um pouco se quiser terminar o serviço. 

Billy não sabe quem é o mandante do crime e algo naquela história toda parece muito errado, mas Billy decide ignorar a situação e mesmo assim aceita fazer tudo. Enquanto passa seu tempo ele decide escrever um pouco, conhecemos sua infância ao lado da mãe e seus namorados abusivos, vemos sua carreira militar e um pouco mais sobre sua vida no geral. 

Ele é um escritor amador, mas um excelente observador e por isso vemos Billy associando algumas situações com obras literárias famosas. Billy é um homem inteligente e traumatizado com tudo o que vive no Iraque, e com um ritmo de leitura lento vamos acompanhando um personagem que teve sua vida difícil e cheia de traumas. 
Finalmente o dia do trabalho chega e apesar de cumprir com o combinado, algo realmente não estava certo e agora Billy terá de ficar escondido se quiser sobreviver. 

Na metade do livro somos apresentados a outra personagem que teve sua vida destruída, mas foi salva por Billy. Ao decorrer do resto das páginas os dois vão construindo uma relação de companheirismo e apesar de todo o caos, Alice parece despertar o melhor lado de Billy. 
Apesar de não ter nada de sobrenatural na leitura, o leitor observa uma menção a um local famoso que existe em outro livro do autor, um pequeno detalhe para agradar aos fãs. O terror dessa história é mais levado para o que o ser humano é capaz de fazer, do que voltado para o sobrenatural. 

No geral eu gostei da leitura, mas a primeira parte poderia ter sido encurtada, pois o livro começa mesmo a andar depois que o trabalho é feito, é nesse momento que muda totalmente o ritmo da leitura. 
Se você procura reviravoltas, traições e amor, esse livro é uma boa pedida, mas confesso que não é um dos melhores do autor em minha humilde opinião; e vá preparado bem preparado, pois esse livro tem gatilhos sobre abusos/violência contra mulher. 
A edição física desse livro é muito bonita e não encontrei erros enquanto lia, mas foi aquela leitura que faltou alguma coisa sabe? 

- Talvez ele merecesse sofrer, mas, quando a gente provoca dor, fica uma cicatriz. Na mente. No espírito. E tem que ficar mesmo, porque machucar alguém não é coisa pouca.
“Não tem nenhum problema com pessoas ruins que pagam para fazer com que outras pessoas ruins sejam mortas. Ele basicamente se vê como um gari armado”


Um comentário

  1. Eu li alguns livros do King e quem me dera ter grana para comprar todos rs mas o homem escreve um livro atrás do outro e minha pobreza não deixa.
    Mais um livro que divide opiniões,mas que eu desejo demais ler!!!
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

    ResponderExcluir