Resenha: A Rebelde do Deserto

junho 08, 2022

 

Autora: Alwyn Hamilton

Editora: Seguinte

Número de Páginas: 283

Ano: 2016

Avaliação:  ☆☆☆☆☆

Sinopse: O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher.
Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele.
Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por lhe revelar o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.

Amani começou a morar com seus parentes distantes depois da morte dos pais, ela deseja mais que tudo escapar da Vila da Poeira, mas não tem dinheiro suficiente para isso e mesmo que seja uma atiradora excelente, ela ainda é uma mulher e na maioria das vezes o mundo não é nada justo com as mulheres.
Uma noite Amani acaba se inscrevendo em um concurso de tiro e lá acaba conhecendo um forasteiro, o concurso de tiro não sai como ela prevê e no dia seguinte ela descobre que os soldados do sultão estão perseguindo o homem misterioso que ela conheceu.

A partir do momento que Amani decide ajudar o homem desconhecido, ela sabe que não poderá voltar atrás; em um momento ela está lutando por sua vida, no outro está fugindo em um cavalo mágico rumo ao desconhecido - com o exército do sultão atrás deles.
Com uma escrita fluída e uma trama interessante, A Rebelde do Deserto vem trazendo uma trama bem ambientada com inspiração na cultura árabe, a história é rica em costumes e tradições, e vem trazendo uma fantasia que aos poucos vai se desenvolvendo e despertando a curiosidade do leitor. 

A medida que a história vai se desenrolando Amani vai descobrindo o que o sultão está tramando, com o passar das páginas descobrimos também o que de fato aconteceu com o sultão e um de seus filhos. Amani acaba envolvida em uma trama perigosa cheia de magia e morte, ela não pode deixar de ajudar aqueles que precisam! O que começou sendo uma fuga dos parentes odiosos, acabou virando uma luta por liberdade dos povos do deserto. 
Amani é uma personagem forte, interessante e um pouquinho intrometida, o que acaba fazendo com que ela se meta em algumas situações muito perigosas, beirando a morte. 

Confesso que gostei muito do romance que acontece no livro, não posso negar que os personagens tem uma química enorme, mas não foi desenvolvido corretamente e por não ser o foco do livro ficou jogado na trama de um jeito bem sem graça. Talvez na próxima leitura o romance seja melhor trabalhado. 
A leitura aborda desigualdade social, religião, os abusos que as mulheres sofrem naquela cultura e guerra religiosa. Foi uma leitura muito interessante e fiquei surpresa por esse ser o primeiro livro da autora.  



Postar um comentário