Resenha: Destruidor de Mundos - Realm Breaker

janeiro 09, 2022

 

Autora: Victoria Aveyard 

Editora: Seguinte

Número de Páginas: 560

Ano: 2021

Avaliação:  ☆☆☆☆

Sinopse: Ano após ano, Corayne assiste sua mãe, uma célebre pirata, partir para o alto-mar e desbravar todos os reinos de Todala, sem jamais poder acompanhá-la. Quando um misterioso imortal e uma assassina de aluguel aparecem dizendo que ela é a última descendente viva de uma poderosa linhagem ― e a única pessoa capaz de salvar o mundo de um perigo iminente ―, ela aproveita a chance para ir em busca de sua própria aventura. O problema é que o perigo é muito maior do que ela imaginava: um homem sedento por poder, determinado a reabrir os portais que, no passado, levavam para outros mundos, povoados por criaturas sinistras. Com a ajuda de um grupo de bandidos e maltrapilhos, Corayne terá de provar que o heroísmo pode surgir até nos lugares mais inesperados.

Destruidor de Mundos é uma série da alta fantasia (fiz um post no blog explicando as diferenças, leia aqui) onde percorreremos o continente de Todala em uma jornada perigosa. O que fazer quando os heróis caem e o mundo que você conhece está prestes a ruir? Uma assassina, um escudeiro, uma caçadora de recompensas, uma bruxa, um falsificador, um imortal e a filha de uma pirata se unem para salvar o mundo que conhecem. 
Após a missão fracassada de impedir que um portal para uma outra esfera fosse aberto, não há nenhum herói para lutar e impedir os horrores que estão por vir, nem mesmo reis e rainhas ousaram unir forças para lutar. Agora um grupo de desajustados está tentando fazer o melhor para impedir que sua esfera seja destruída (esfera é como são conhecidos os mundos). 

Corayne é filha de uma famosa pirata, seu sonho é viajar por todos os lugares e conhecer suas maravilhas, mas sua vida é estudar mapas e fazer pequenos trabalhos, nada de muito grandioso, mas devido a grande ameaça que está acontecendo Corayne sabe que precisará lutar.
Nesse livro você irá encontrar de tudo um pouco: personagens mortíferos, personagens com grandes traumas, personagens que nunca sequer lutaram, mas farão de tudo para proteger quem amam. 
Em um universo rico e cheio de coisas para explorar, Destruidor de Mundos veio com uma promessa que seria uma leitura maravilhosa e envolvente, mas não é bem assim que as coisas funcionam.

Apesar de ter gostado da leitura, a autora pecou em algumas partes. Um dos motivos de ser uma leitura extremamente difícil é que o livro está sendo narrado por diversos pontos de vista, você nem entendeu direito o que aconteceu no capítulo anterior e já vem outro personagem narrar. 
Existe um excesso enorme na parte descritiva, você não consegue se apegar aos personagens e muito menos focar no que está acontecendo. A autora cita tantos lugares sem necessidade e você precisa de dois ou três nomes para entender a situação, mas ela faz questão de descrever tanta coisa que o leitor até mesmo esquece o que precisava ser feito na cena. 

Mas, apesar de tudo existem momentos bons momentos de ação, a história flui bem em certas partes e se a autora cortar esse excesso essa série tem tudo para ser maravilhosa. Acredito que por ser um livro introdutório a autora quis dar mais detalhes, porém foram tantos detalhes que acabou estragando um pouco a minha experiência com a trama.
O final não foi um dos melhores, talvez a quantidade de personagens em cena e o excesso de descrição não tenha ajudado muito, pois ficou bem bagunçado, por isso o meu foco nesse texto hoje é: leia com atenção, não exija muito da leitura e tenha em mente que o ritmo desse livro é lento. 

Na medida do possível os personagens são bem construídos e a história tem um pouco de romance que ainda está em andamento. Apesar das coisas que eu citei Destruidor de Mundos foi uma boa leitura, pretendo continuar a série em algum momento, mas espero que o próximo livro não tenha excesso de descrições sem necessidade.
A edição física desse livro é maravilhosa, o livro possuí mapa (algo que eu particularmente adoro) e a capa é perfeita. 

A morte nos evita, mas não nos é estranha.



Um comentário

  1. Já entendi que vai ser um livro que vou ter que ler com atenção e muita atenção(até por ser desligada de tudo rs)
    Estou com altas expectativas, mesmo sabendo que não deveria rs
    A capa é lindíssima e eu amo fantasia, espero somente entender rs
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

    ResponderExcluir