24 novembro 2013

Resenha: Mundo das Sombras- Vampiro Secreto


Autora:  L. J. Smith

Editora: Galera Record
Número de páginas: 224
Ano: 2011
Avaliação☆☆☆

Sinopse: Poppy foi diagnosticada com câncer terminal até que James, seu amigo e por quem é apaixonada, lhe oferece uma maneira de evitar a morte: a vida eterna. James está disposto a infringir as regras do Mundo das Sombras por amor, mas conhece as leis - se alguém do Mundo das Sombras se apaixonar por um humano deve ser punido com a morte.


Na história vemos Poppy (não gostei desse nome) uma adolescente que é diagnosticada com câncer terminal e tem a chance de viver para sempre quando seu melhor amigo James (o cara que troca de namorada toda semana, por quem ela é apaixonada) faz a proposta da transforma-la em vampira.
Será que Poppy vai acreditar nele? Bom, depois de algumas reviravoltas ela acaba aceitando e ai começa o dilema.

O irmão gêmeo de Poppy não gosta de James e faz de tudo para afasta-lo dela,pois não quer que sua irmã se machuque com falsas esperanças de um relacionamento. O problema é que James não pode falar sobre o mundo das sombras para humanos, não pode transformar um humano em vampiro e a pior de todas as regras..ele jamais deve se apaixonar por um humano.

Porém como James está disposto a fazer qualquer coisa para que Poppy sobreviva ele acaba querendo transforma-la, e o que será que vai acontecer?? Afinal ele acabou de quebrar todas as regras do mundo das sombras!

Gostei do fato de existirem feiticeiros na história e como a vida deles se entrelaça com os vampiros. Gostei das reviravoltas que vão acontecendo no livro e achei o final interessante, apesar de que em alguns momentos eu estava um pouco entendiada porque não curti muito a Poppy.
Não é um livro perfeito, mas foi uma leitura tranquila.

A culpa é das estrelas edição Peguim.


A Penguin Teen homenageou o escritor John Green com uma edição especial do livro 'A culpa é das Estrelas' na cor laranja, que foi batizado de 'explosão laranja'. Essa mudança da cor da capa tem tudo a ver com a Holanda, e claro, com Amsterdã.

Fonte: Leitora da Depressão

23 novembro 2013

Tag Literária: The Book Sacrifice Tag


Achei essa tag por acaso procurando tags literárias na internet.
A tag consiste em responder a 4 perguntas relativas a livros que você sacrificaria caso fosse muito necessário!
Então talvez algumas pessoas me matem dependendo do livro que eu estarei sacrificando agora.

Doctor Who na Rocco


Estava dando uma olhadinha no facebook e achei a noticia sendo reportada na página do facebook da minha querida Flávinha, dona do blog +Livros e Chocolate . Então resolvi compartilhar com vocês a novidade da editora Rocco!
Lembrando que o texto abaixo eu retirei direto da página da Flávinha!

Coletânea Doctor Who: eleven doctors, eleven stories chega às prateleiras em 2014.A Rocco acaba de adquirir os direitos de publicação no Brasil do aguardado Doctor Who: eleven doctors, eleven stories, coletânea de onze histórias assinadas por escritores como Neil Gaiman, Eoin Colfer, Marcus Sedgwick e Michael Scott, entre outros, sobre o famoso personagem da série britânica criada em 1963. Antes do lançamento da coletânea, no segundo semestre de 2014, os onze contos serão lançados um a um no formato e-book.
Idolatrado por uma legião de fãs de diferentes gerações, Doctor Who comemora 50 anos neste sábado, 23 de novembro, com a transmissão simultânea em centenas de países de um episódio especial inédito pela BBC. No Brasil, a rede Cinemark de cinemas transmitirá o episódio em diversas salas em mais de 10 cidades. A procura foi tanta que os ingressos para muitas das sessões esgotaram-se rapidamente e em algumas capitais haverá sessões também no domingo. No Rio de Janeiro, fãs se reunirão para assistir ao episódio The day of the doctor também no Planetário da Gávea, com uma série de atividades em torno do tema.Idolatrado por uma legião de fãs de diferentes gerações, Doctor Who comemora 50 anos neste sábado, 23 de novembro, com a transmissão simultânea em centenas de países de um episódio especial inédito pela BBC. No Brasil, a rede Cinemark de cinemas transmitirá o episódio em diversas salas em mais de 10 cidades. A procura foi tanta que os ingressos para muitas das sessões esgotaram-se rapidamente e em algumas capitais haverá sessões também no domingo. No Rio de Janeiro, fãs se reunirão para assistir ao episódio The day of the doctor também no Planetário da Gávea, com uma série de atividades em torno do tema.

Lançamento: Cavalinhos de Madeira


Uma boa leitura já é muito divertida, mas imaginem ver cada página ganhar vida! Em Cavalinhos de Madeira, a autora Kate Westerlund coloca a imaginação como uma grande viagem pelas linhas de um livro.
Em um simples passeio no parque, Ciça encontra Bibluto, dono de um mágico carrossel. Nele a garota é apresentada ao seu mais novo companheiro de viagem, Pégaso, o cavalo alado do brinquedo. Voando com Pégaso, Ciça conhece vilas, casas de dragões e um jardim gigante que a inspiram a transformar um simples passeio em uma incrível viagem! A garota descobre como encontrar um livro dentro de outro usando apenas sua criatividade para reinterpretar as histórias.
As ilustrações de Robert Ingpen, verdadeiras obras de arte, fazem com que esses cenários fantásticos pareçam gigantes e de outro mundo, assim como a imaginação de uma criança em busca de diversão!
De forma singela, a autora consegue unir a infância de Ciça com a de sua mãe e reafirma a leitura prazerosa e criativa dos livros.
Sobre a autora
Kate Westerlund nasceu na Flórida, Estados Unidos, e formou-se em Pedagogia e Sociologia. Vive em Salzburgo, na Áustria, e dedica seu tempo à criação de diversas histórias infantis. Muitos de seus livros já foram traduzidos em vários países, como França e Espanha.
Sobre o ilustrador
Robert Ingpen nasceu em 1936, na Austrália. Ele escreveu e ilustrou mais de cem obras publicadas. Formou-se em artes visuais na RMIT University. Trabalha como designer, ilustrador e autor. Foi o único australiano a receber o prêmio Hans Christian Andersen na categoria de melhor ilustração.
Sobre a Editora Biruta
A Editora Biruta, criada no ano de 2000 pelas sócias Eny Maia e Mônica Maluf, tem seu foco na Literatura Infantil e Juvenil. Os seus livros já receberam diversos prêmios, como o Altamente Recomendável da FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil) e o Jabuti, além de terem sido inseridos em catálogos internacionais e selecionados pelo PNBE (Programa Nacional Biblioteca da Escola). A proposta da Editora Biruta é a de oferecer aos seus leitores o melhor texto, ilustrações criativas e projetos gráficos instigantes, por meio de temas que lhes acrescentem novas vivências e se abram a múltiplas interpretações – sempre de maneira lúdica e inventiva.

Histórias Mal-Assombradas do Espaço Sideral com Adriano Messias


19 novembro 2013

Resenha: Bruxos e Bruxas




Autor: James Patterson
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 288
Ano: 2013
Avaliação
Sinopse: No meio da noite, os irmãos Allgood, Whit e Wisty, foram arrancados de sua casa, acusados de bruxaria e jogados em uma prisão. Milhares de outros jovens como eles também foram sequestrados, acusados e presos. Outros tantos estão desaparecidos. O destino destes jovens é desconhecido, mas assim é o mundo sob o regime da Nova Ordem, um governo opressor que acredita que todos os menores de dezoito anos são naturalmente suspeitos de conspiração. E o pior ainda está por vir, porque O Único Que É O Único não poupará esforços para acabar com a vida e a liberdade, com os livros e a música, com a arte e a magia, nem para extirpar tudo que tenha a ver com a vida de um adolescente normal. Caberá aos irmãos, Whit e Wisty, lutar contra esta terrível realidade que não está nada longe de nós.

Esse é o segundo livro que eu leio do autor, e pensei que gostaria,pois a temática me chama muito a atenção. Contudo tive o desprazer de comprovar que esse livro é muito ruim, e tenho quase certeza que estava empolgada devido a grande jogada de marketing que fizeram em cima dele.

Nesse livro conhecemos os irmãos Allgood (Whit e Whisty) que acabam sendo levados de sua casa no meio da noite por pessoas altamente armadas e sendo acusados de bruxaria. É ai que começa o meu tormento..afinal tem tudo para ser uma história incrível correto?
As narrações são em primeira pessoa e cada capítulo é narrado por um dos irmãos que não sabe nada sobre o poder que habita dentro deles ou sobre a Nova Ordem, nem na verdadeira confusão em que se meteram porque seus pais foram irresponsáveis e não os ensinaram a magia para deixa-los viver uma vida norma (eu acho que tenha sido por isso, mas bom é aquele velho clichê dos livros)! Então vemos umas demonstrações de poder que me fizeram rir,pois a descrição dos personagens chega a ser patética, mas eu entendo que são adolescentes, porém eles são completamente péssimos.

No decorrer do livro vãos sendo jogados cada vez mais mundos paralelos, poderes, situações, e coisas que realmente são chocantes em alguns momentos, mas confesso que não consegui me ligar a história. As vezes até estava torcendo para o Único que é o único matar a família Allgood de uma vez para o meu tormento acabar, mas ele não fez isso, bom, pelo menos não ainda. O livro começa inclusive com a família Allgood na forca tentando explicar sua história para o leitor desde quando tudo começou.

O que me pega de surpresa é que a temática é realmente interessante. Um governo opressor que acusa os jovens de bruxaria e tenta manter tudo na sua ordem deturpada fazendo a caça as bruxas literalmente, ou seja, tem tudo para ser uma história incrível (volto a frisar).
Se os personagens deveriam sere cômicos acabaram chegando ao ponto do ridículo em alguns momentos, então acho que o escritor não foi muito feliz nesse ponto.

É um livro que os acontecimentos vão só enchendo as páginas e nada mais, em um universo que tinha tudo para ser bem explorado com várias dimensões, portais, bruxaria e um governante opressor.
Não achei nenhum erro até onde eu me lembre e de todos os defeitos a única coisa que se salva é a capa, pois foi um trabalho bem feito pela parte da editora.

16 novembro 2013

Heróis trabalhando nas horas vagas com ‘Flying Mouse’


O ilustrador  Chow Hon Lam que é conhecido como Flying Mouse acabou fazendo algumas ilustrações sobre os "empregos (ou bicos) dos super heróis nas horas vagas. Afinal ninguém ganha dinheiro salvando o mundo não é mesmo?
Confesso que achei as ilustrações bem fofinhas.

15 novembro 2013

Resenha: Cinquenta tons mais escuros



Autora: E.L.James
Editora:  Intrínseca
Número de páginas: 512
Ano: 2012
Avaliação☆☆☆

Sinopse: Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e concentra-se em sua nova carreira, numa editora de livros. Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir. Em pouco tempo, Ana descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível. Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana se vê diante da decisão mais importante da sua vida.

Ana começa a viver na casa de Grey depois de muitos acontecimentos e acaba sendo perseguida por uma ex submissa do milionário que está com um distúrbio psicológico porque viu o Sr. Grey com alguém e nunca havia o visto tão feliz. Claro quando se é louca sempre tem que voltar  e apontar uma arma  e perturbar seu ex amante. O que por sinal eu achei que deveria ter sido mais violento, qual é a mulher estava quase armada até os dentes e não fez nada? Eu teria dado um tiro nem que fosse de raspão!

Nesse livro vemos uma mudança gradativa do personagem Sr. Grey, que vai de um louco espancador a romântico quase incurável.
Conheci muitas coisas sobre a família do Sr. Grey e gostei bastante de algumas situação, não porque foram ótimas e sim porque achei engraçado. Tá certo que o livro não é uma comédia, mas infelizmente eu tive de rir para não chorar.

Não gosto da melhor amiga da Ana, Kate! Ela é muito mandona e quer ser a dona da verdade dizendo o que a Ana deve fazer ou não, que ela deveria ter feito ou pensado nisso e tudo mais.
A troca de e-mail dos dois é bem boba durante o livro, mas até que é o menor dos detalhes bobos e com certeza prefiro a troca de e-mails do que o lance da tal da deusa interior, que deu uma diminuída apesar de continuar presente no livro.

Em certos momentos achei tudo muito repetitivo, não o sexo que apesar de ser o famoso baunilha (que eu posso definir como sexo normal do que ele está acostumado a fazer) ele nunca era igual nas cenas, por isso não dava para ser tão chato, porém as mesmas expressões sempre se repetindo e o tal do "Baby" que o Sr. Grey insiste em falar quase sempre que me irrita.
Ana está focada na carreira que tem na editora que ela trabalhar que por sinal o maniaco por controle acabou comprando para ele...pois é esse homem tem sérios problemas! E vemos um "vilão" se formando no final desse livro, pois nossa jovem personagem acaba fazendo um inimigo quando decide dar o fora no seu chefe tarado que tentou ataca-la.

Eu realmente achei esse livro bom se formos compara-lo ao outro, mas claro que não é o livro da minha vida né!
E por algum motivo que não consigo entender o porque a personagem cisma em achar que é feia e ninguém está afim dela,e gente do céu é tanto homem correndo atrás dessa mulher!

Lançamento: A segunda vez que te amei - Leila Rego

11 novembro 2013

Resenha: Garotas de Vidro



Autora: Laurie Halse Anderson
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 272
Ano: 2012
Avaliação☆☆☆☆☆


Sinopse: Lia está doente e sua obsessão pela magreza a deixa cada vez mais confusa entre a realidade e a mentira. Mas ela perde totalmente o controle quando recebe a notícia de que sua melhor amiga, Cassie, morreu sozinha em um quarto de motel. E o pior: Cassie ligou para Lia 33 vezes antes de morrer. O que começou como uma aposta entre duas amigas para ver quem ficaria mais magra tornou-se o maior pesadelo de duas adolescentes reféns de seus próprios corpos. Ao negar seu problema, Lia impõe a si mesma um regime cruel em que contar calorias não é o bastante. Ao omitir seu desespero, apela ao autoflagelo numa tentativa premeditada de aliviar seus tormentos. Seus pais e sua madrasta tentam ajudá-la a qualquer custo, mas nem mesmo sua doce irmã, Emma, consegue fazer com que Lia pare de se destruir. Agora, Lia precisa encontrar um modo de lidar com todos os seus fantasmas, e a morte de Cassie é um deles. Garotas de Vidro é uma história intoxicante sobre a autorrepugnância e a busca pela identidade. Neste livro, Laure Halse anderson aborda de modo realista a dolorosa condição de jovens que sofrem de transtornos alimentares e sua complicada relação com o espelho e consigo mesmos.
— Garota morta passando —os garotos dizem nos corredores.

Nesse livro vemos o relato de Lia, uma adolescente que apostou com sua amiga Cassie quem será a garota mais magra do colégio. Um tempo depois Cassie é encontrada morta em um quarto de hotel e a mesma ligou 33 vezes para Lia que acabou não atendendo porque fazia algum tempo que eles não se falavam pois haviam se distanciado.

Esse livro foi muito difícil para que eu viesse a terminar a leitura. É um livro com uma narrativa um pouco confusa, compulsiva, neurótica e as vezes pesada se você é um pouco sensível. 
Lia acaba sempre tentando enganar a balança, tentando permanecer forte mentalmente e fisicamente, mas é verdade é que ela mal se aguenta em pé as vezes.
A garota não tem um bom relacionamento com a mãe,e tenta conviver bem com a madastra, o pai e sua irmãzinha o qual ela ama muito.

Chegamos em certo ponto do livro em que ela já está vendo e interagindo com a amiga morta, é tipo uma especie de alucinação com peso na consciência por assim dizer.
É um livro bem real, com momentos tocantes e que me fez refletir muito. Gostei dele mesmo sendo abordado de forma bem direta e confesso que infelizmente é assim que acontece quando se tem distúrbio alimentar pois sua mente não funciona muito bem e acabamos tendo uma visão completamente diferente do que somos realmente.
Quando li não me lembro de ter achado qualquer erro e gosto da capa desse livro, é no minimo interessante.

05 novembro 2013

Resenha: Seis coisas impossíveis



Autora: Fiona Wood
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 272
Ano: 2013
Avaliação☆☆☆

Sinopse: Dan Cereill levou um encontrão da vida: seu pai faliu, assumiu que é gay e separou-se de sua mãe, tudo de uma vez só. Enquanto isso, sua mãe recebeu de herança uma casa tombada pelo patrimônio histórico que cheira a xixi de cachorro, mas que não pode ser reformada... E, agora, Dan está vivendo em uma casa-relíquia que parece um chiqueiro, com uma mãe supertriste e sem conseguir falar com o pai — que ele ama muito. Suas únicas distrações são sua vizinha perfeita, Estelle, e uma lista de coisas impossíveis de fazer, como: 1. Beijar a garota. 2. Arrumar um emprego. 3. Dar uma animada na mãe. 4. Tentar não ser um nerd completo. 5. Falar com o pai quando ele liga. 6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí... Mas impossível mesmo será: 1. Não torcer para que Dan supere seus problemas. 2. Não rir muito com os devaneios dele. 3. Não querer ter um cachorrinho como Howard. 4. Não desejar que a mãe de Dan encontre a felicidade. 5. Parar de ler este livro. 6. Não querer abraçar o livro depois de tê-lo terminado...



Então imaginem um pouco de bullying feito pelo garoto mais popular/idiota do colégio que adora perseguir nerds como Dan. Uma vizinha que nem imagina sua existência, um colégio aonde as pessoas são superficiais, porém pelo menos você acaba fazendo uma amiga. Um pai que além de se revelar gay, falir com as economias da família e ainda por cima deixar você e sua mãe para trás, e sua mãe que anda tão perturbada com o novo negócio de bolos de casamento que sempre que pode acaba espantando um cliente que por sinal de algum jeito bizarro faz as noivas desistirem do casamento. Que isso gente??? A mulher não pode ser feliz com o marido e quer estragar o casamento dos outros? Tenso – risos. Então misture todos os problemas com aquela fase adolescente que onde somos completamente bizarros, gente é uma coisa só! Coitado do Dan viu.

E como se não bastasse o menino se apaixonou por sua vizinha, mas ela nunca falou com ele e o mesmo acaba descobrindo que tem um sótão que é ligado com o da vizinha. Então imaginem na confusão que vai dar ele conseguindo entrar no sótão dela pelo dele.
E no meio das listas que o garoto faz de coisas que ele deveria fazer/ser a história vai seguindo seu curso.

É uma história bem adolescente com dramas leves, cheia de pequenas “desgraças”, mas com um final feliz, pelo menos o mais feliz que foi possível.
Então será que Dan consegue resolver sua lista de coisas impossíveis??   
Achei a diagramação bem simples, sem erro ortográfico até onde pude ver (mas sou míope então não conta muito) e achei o final legal.  Foi uma leitura bem rápida e sem muito compromisso, nada que faça o leitor ficar apaixonado pela trama, mas também não chega a ser ruim. Bom pelo menos para mim foi bem tranquilo. 

02 novembro 2013

Lançamento: Konrad- O menino da Lata

Konrad – o menino da lata
Christine Nöstlinger nasceu em Viena, em 1936, e é umas das mais bem-sucedidas autoras contemporâneas infantojuvenis – é ganhadora do Prêmio Hans Christian Andersen, considerado o Nobel da literatura infantojuvenil, além de outros como o Prêmio Memorial Astrid Lindgren , o Prêmio Nacional Austríaco e o Prêmio Alemão de Literatura Juvenil.
Konrad – o menino da lata é considerado sua obra-prima; ele carrega as principais marcas pelas quais Nöstlinger é reconhecida: um humor desrespeitoso, a seriedade perspicaz e uma afetuosidade tranquila. O livro foi publicado recentemente pela Editora Biruta, e é a primeira obra da autora publicada no Brasil.
Dona Bartolotti é uma senhora singular, se veste de maneira extravagante e deixa os seus peixes viverem na banheira. Além disso, tem a mania de encomendar itens estranhos: desde quilos de tachinhas até um moedor de café turco e nove moinhos de oração budista. Certo dia uma grande encomenda chega a sua porta: uma lata gigante de conserva, que contém Konrad, um menino exageradamente educado.
De uma maneira original e divertida, que desconstrói alguns estereótipos sobre a educação infantil, a autora arquiteta uma trama que narra a aproximação e o relacionamento entre a dona Bartolotti, o menino Konrad e a adaptação do menino à sociedade. Com coloridas ilustrações da alemã Annete Swoboda e um belo projeto gráfico, o livro publicado pela Editora Biruta certamente vai divertir não só as crianças, como também adultos.

Konrad – o menino da lata, Christine Nöstlinger, ilustrações Annete Swoboda, R$ 37,50, a partir de 10 anos

Sobre a Editora Biruta
A Editora Biruta, criada no ano de 2000 pelas sócias Eny Maia e Mônica Maluf, tem seu foco na Literatura Infantil e Juvenil. Os seus livros já receberam diversos prêmios, como o Altamente Recomendável da FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil) e o Jabuti, além de terem sido inseridos em catálogos internacionais e selecionados pelo PNBE (Programa Nacional Biblioteca da Escola). A proposta da Editora Biruta é a de oferecer aos seus leitores o melhor texto, ilustrações criativas e projetos gráficos instigantes, por meio de temas que lhes acrescentem novas vivências e se abram a múltiplas interpretações – sempre de maneira lúdica e inventiva.