31 dezembro 2016

Retrospectiva Literária 2016


Mais um ano chegando ao fim e venho aqui novamente para fazer a Retrospectiva Literária (3 ano seguido que eu participo). Vale lembrar que essa é uma postagem coletiva organizada pelo blog Pensamento Tangencial
Caso não tenham participado dessa, ano que vem tem mais!


A aventura que me tirou o fôlego: Dama da Meia-Noite.

O terror que me deixou sem dormir: Não li nenhum.

O suspense mais eletrizante: Não li nenhum.

O romance que me fez suspirar: Todo Seu.

A fantasia que me encantou: Dama da Meia-Noite sem dúvida foi um livro maravilhoso.

A saga que me conquistouOs Artifícios das Trevas e As Provações de Apolo. Apesar de ter só lido o primeiro livro de ambas, estou alucinada para ler a continuação.

O clássico que me marcou: É muito raro eu ler clássicos e nesse ano não li nenhum. 

O nacional que adorei: Tá Todo Mundo Mal, da youtuber Jout Jout.  

O livro que me fez refletir: O Pequeno Príncipe

O livro que me fez rir: O Oráculo Oculto. Riordan como sempre escrevendo livros divertidos e envolventes. 

O livro que me fez chorar: Somente Sua, Todo Seu e Dama da Meia-Noite

O livro que me decepcionou: O Coração da Esfinge. Eu esperava muito desse livro, mas a história simplesmente não funcionou para mim e parece que foi tudo colocado de qualquer jeito. 

O livro que me surpreendeu: Perigosas da série PLL. Não imaginava que seria tão cheio de reviravoltas e várias das minhas perguntas foram respondidas. Foi um livro muito emocionante. 

O livro que devorei: Perigosas, Repeteco, Simon vs. a agenda Homo Sapiens e Dama da Meia- Noite.

O livro que abandonei: Zumbeatles e A Filha do Sangue. Nenhum dos dois conseguiu me prender por muito tempo e a leitura foi maçante demais. 

O livro que comecei, mas não termineiConfissões de Uma Garota Excluída, Mal - Amada e (Um Pouco) Dramática

A capa que amei: Soppy e Dama da Meia-Noite.

A capa que detestei: Sem Filtro da Marcela Tavares. 

O thriller psicológico que me arrepiou: Não li nenhum.

A frase que não saiu da minha cabeça: Dama da Meia-Noite está levando todas por aqui.

Rogo não deixá-lo, ou voltar após segui-lo;
Pois, para onde fores, irei, e onde estiver, estarei;
Os teus serão os meus, e teu Deus, o meu Deus,
Onde morreres, eu morrerei, e lá serei enterrado.
O anjo o fez para mim, mas também,
nada senão a morte partirá a mim e a ti.
- Juramento Parabatai
O(a) personagem do ano: Emma Carstairs de Dama da Meia-Noite.

O casal perfeito: Gideon e Eva, série Crossfire.

O(a) autor(a) revelação: Becky Albertalli, autora de Simon vs. a agenda Homo Sapiens.

O(a) autor(a) que mais esteve presente entre as minhas leituras: Sara Shepard, Cassandra Clare e Sylvia Day.

O gênero literário que mais li: Fantasia e Infanto-Juvenil

O gênero literário que preciso ler mais: Romances de Época

O melhor livro que li em 2016: Dama da Meia-Noite sem sombra de dúvida.

Li em 2016: 72 livros, 10 mangás e 197 hq's.

A minha meta literária para 2017 é: Terminar de ler a série PLL, a trilogia As Peças Infernais, a série HON e a série Os Heróis do Olimpo. 
Sobre os HQ'S não vou estabelecer meta, mas esse ano foi muito bom. Então vou só tentar manter o mesmo ritmo com os hq's e os mangás. 

27 dezembro 2016

Resenha: Desventuras de um Garoto Nada Comum - O Herói do Armário


Autora: Rachel Rennée Russell
Editora: Verus
Número de Páginas: 320
Ano: 2016
Avaliação☆☆☆
Sinopse: Max Crumbly está prestes a entrar no lugar mais assustador que ele já conheceu: o Colégio South Ridge. Tem muita coisa legal na escola nova, mas também tem um grande problema: Doug, o valentão local, que tem como passatempo favorito trancar Max dentro do armário.
Se ao menos Max pudesse ser como os super-heróis de seus quadrinhos preferidos... Só que, infelizmente, sua habilidade quase sobre-humana de sentir cheiro de pizza a um quarteirão de distância não vai exatamente salvar vidas ou derrotar algum vilão.Mas isso não significa que Max não vai dar tudo de si para ser o herói de que a escola precisa!

Nesse primeiro volume somos apresentados a Max Crumbly, um aluno do colégio South Ridge que tem um sério problema com Doug - mais conhecido como Tora - que faz questão de trancar Max em seu armário quase sempre e implica com tudo que envolve Max. 
Max sabe como é difícil ser o garoto novo na escola, por isso ele compra roupas novas, faz de tudo para aparentar ser descolado|estiloso, mas isso não dura muito, pois seus parentes começam a usar suas roupas e acessórios fazendo com que o garoto desista de usar tudo aquilo.

Tora como sempre implica com Max até que em um certo momento ele tranca o garoto no final do período das aulas quando ninguém pode ajudá-lo, o que significa que Max irá passar o final de semana trancado no armário. Tudo começa a piorar quando Max percebe que alguns ladrões invadem o colégio e ele não quer ficar parado sem fazer nada, ele precisa arrumar um jeito de sair do armário e impedir os ladrões.

O livro é cheio de ilustrações e linguajar de fácil acesso para o público alvo, fazendo com que a leitura seja bem rápida. Estamos lendo o diário do personagem principal, então acabamos nos aproximando de Max na medida do possível. 
Apesar de gostar muito do gênero eu fiquei um pouco decepcionada com a leitura! Para ser mais exata foi com algo que o Max disse que queria fazer com os pais (dar socos) porque eles estavam usando as roupas e acessórios que ele havia comprado. Achei isso não só desnecessário como também problemático visto a faixa etária do público alvo. 

Tirando a parte dos socos foi uma leitura tranquila, com muitas ilustrações e sem muitas pretensões. Não tenho certeza se lerei a continuação e também não foi uma das melhores impressões que tive acerca da autora. Por isso, talvez eu não leia nenhuma obra da mesma.
De qualquer forma a editora está de parabéns pelo trabalho gráfico, não achei qualquer erro na leitura e trata-se de um exemplar de capa dura. 

24 dezembro 2016

Resenha: O Feiticeiro de Terramar - Ciclo Terramar


Autora: Ursula K. Leguin
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 176
Ano: 2016
Avaliação☆☆☆
Sinopse: Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda.Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários.Publicado originalmente em 1968, O feiticeiro de Terramar se tornou um clássico da literatura de fantasia. Ged é um predecessor em magia e rebeldia de Harry Potter. E Ursula K. Le Guin é uma referência para escritores do gênero como Patrick Rothfuss, Joe Abercrombie e Neil Gaiman.

Nesse livro conhecemos as aventuras de Ged, um homem conhecido como Gavião - um grande e poderoso feiticeiro -, mas aqui vemos como tudo começou. Conhecemos Ged antes mesmo dele ganhar seu novo nome, de tornar-se um grande feiticeiro e uma lenda.
O garoto descobriu seus poderes ainda jovem e com a ajuda de sua tia ele começou a ser introduzido nos conhecimentos mágicos. 

Depois de salvar sua vila de um grande ataque e usar seus poderes até seu limite, ele acaba ficando conhecido, pois a história de sua proeza acaba correndo diversos lugares e é nesse momento que alguém aparece para levá-lo embora para treinar sua magia.
Ged acaba ficando um pouco arrogante com o passar do tempo a medida que vai ganhando mais poderes, isso faz com que ele execute algo proibido e graças a isso começa a ser perseguido por uma Sombra.
Essa Sombra tem como objetivo devorar o seu invocador e ela acaba tornando-se um grande desafio para Ged.

A história é envolvente e já começamos sabendo que Ged será um grande feiticeiro, mas vamos descobrindo aos poucos os caminhos que ele irá trilhar para tornar-se alguém poderoso.
O livro é curto, então a história corre rápido na medida do possível, mas nada que seja muito brusco e não atrapalha a leituras esses pequenos saltos na história. 
Foi uma boa leitura e gostei da experiência de ler algo da autora, foi a primeira vez que me deparei com a sua escrita e foi algo bem positivo.
A capa está maravilhosa, a diagramação está ótima e não achei qualquer erro na leitura. Gostei de conhecer um novo mundo e adorei o fato de ter muita coisa ainda para ser explorada, espero curiosa pela continuação. 

20 dezembro 2016

Promoção: Ano Novo com Livros


Olá queridos leitores do Seguindo o Coelho Branco!

 É com alegria que o Blog Livros, a Janela da Imaginação realiza o último sorteio do ano de 2016! 

E para essa festa ficar completa Blogs Amigos participam com LJI, para premiar o sortudo/a com kit de livros de gêneros variados, tem para todos os gostos, e você caro leitor é o nosso convidado de honra!

Resenha: Somente Sua


Autora: Sylvia Day
Editora: Paralela
Número de Páginas: 286
Ano: 2014
Avaliação:  ☆☆☆☆☆
Sinopse: Gideon me chama de anjo, mas ele é o milagre em minha vida. Meu lindo, guerreiro ferido, tão determinado a matar meus demônios enquanto se recusa a enfrentar os seus próprios.Os votos que tinhamos trocado deveriam ter nos ligado de forma mais apertada do que sangue e carne. Em vez disso,abriu velhas feridas, expondo dor e inseguranças, e isso atraiu amargos inimigos para fora das sombras. sinto ele escorregar da minha mão, meus maiores medos se tornando a minha realidade, meu amor testado de maneiras que eu não tinha certeza de que era forte o suficiente para suportar.Em um tempo brilhante em nossas vidas, a escuridão de seu passado invadiu e ameaçou tudo o que tinhamos trabalhado tão duramente para esquecer. Nós enfrentamos uma escolha terrível: a segurança familiar das vidas que tivemos antes de termos um ao outro ou a luta por um futuro que, de repente parecia um sonho impossível e sem esperança...

Nesse quarto livro da série Crossfire, a história continua exatamente onde o livro anterior parou. Eva e Gideon estão em um relacionamento mais sólido, mas existem diversos empecilhos no caminho que insistem em terminar esse relacionamento de qualquer jeito. 
Algumas pessoas tem certeza que Eva é o ponto fraco de Gideon, por isso decidem usar qualquer coisa que esteja ao alcance para atingir esse ponto fraco. E isso fará com que Gideon lute de todas as formas possíveis para deixar Eva em segurança.
Vamos acompanhando os medos e inseguranças do casal, uma mãe que devia amar seu filho, mas que no fundo não acreditou nele e não esteve presente quando ele mais precisou, traumas e tudo que pode acompanhar um casal problemático. O livro é repleto de drama e sentimentos a flor da pele.

Eva não sabe o que fazer com o que sente por Brett, mas o homem pretende jogar sujo, pois está disposto a usar um vídeo íntimo entre ele e Eva. Ele quer mostrar ao mundo que Eva um dia já foi sua e isso acaba deixando Gideon possesso. 
Gideon tem que lidar não apenas com seus traumas, mas também com pessoas do seu passado voltando para atormentá-lo. Fora que ele decide - por amor a Eva - procurar um terapeuta para tratar das suas questões não resolvidas, ele quer tentar fazer esse relacionamento dar certo a qualquer custo.

O casal acaba passando por muitos momentos tensos, mas isso parece cada vez deixá-los mais fortes e os personagens vão amadurecendo a cada momento.
A história foi ótima, envolvente e cheia de segredos sendo revelados, o que causou um verdadeiro alvoroço na vida de alguns personagens e fiquei chocada|animada como o rumo que as coisas tomaram. Sem contar que alguns outros segredos aparecem e isso faz com que cada momento as coisas fiquem mais complicadas.

Gosto da escrita da autora e só tenho elogios para tecer apesar de ter ficado bem cética quanto a esse livro, pois antes deveria tratar-se de uma trilogia e acabou virando uma série. 
O livro é carregado de cenas de sexo, linguajar com palavrões e muita tensão sexual. Para quem não curte esse tipo de história recomendo cautela na hora de começar a série, visto que trata-se de um romance erótico. 
Como nos livros anteriores a capa segue o mesmo estilo, a diagramação é simples, porém não deixa a desejar e não me recordo de ter achado qualquer erro na leitura. 

14 dezembro 2016

Resenha: A Garota do Calendário - Fevereiro


Autora: Audrey Carlan
Editora: Verus
Número de páginas: 135
Ano: 2016
Avaliação☆☆
Sinopse: Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street JournalMia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato.
A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil.
Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em fevereiro, Mia vai passar o mês em Seattle com Alec Dubois, um excêntrico artista francês. No papel de musa, ela vai embarcar em uma jornada de descobertas sexuais e lições sobre o amor e a vida que permanecerão com ela para sempre.

Nesse segundo livro da série a garota do calendário, Mia está com um novo cliente e continua trabalhando como acompanhante para pagar o agiota que está ameaçando seu pai por causa de uma grande dívida de jogo. Ela saiu com o coração partido depois de deixar Wes em Malibu, mas ela precisa continuar trabalhando para a tia, só assim ela conseguirá pagar a dívida do pai. 

O novo cliente de Mia é um artista plástico e ele precisa de uma musa, sendo assim após ver a foto de Mia no site de acompanhantes ele sabe que ela é a garota certa para o trabalho, então Mia é contratada por ele. 
Ela parte para uma nova cidade onde irá trabalhar com Alec Dubois, mas em seu primeiro dia Mia acaba torcendo o tornozelo e isso poderia ser um impedimento para o trabalho, mas Alec parece não se importar com o acontecido e deixa Mia tranquila quanto a isso. Ela ainda trabalhará para ele, afinal ele só precisa que ela pose para nua e lhe dê inspiração para pintar suas novas obras. 

Mia acaba sentindo-se atraída logo de cara por Alec, que é um homem muito bonito, além de exalar sensualidade na forma como age ou fala. Isso deixa Mia completamente interessada nele e faz com que logo os dois comecem a interagir intimamente. 
Alec tenta fazer com que Mia se veja linda, que ame cade detalhe em seu corpo e faz de tudo para que ela ame a si da melhor forma possível, mas Mia nem sempre consegue entender isso e tem um longo caminho pela frente para aprender a se amar.

A historia tinha tudo para dar certo, se não fosse o fato de que eu não vi motivo nenhum para Mia interagir sexualmente com Alec. 
Sinceramente não entendi e não vi motivos para eles terem um relacionamento "amoroso". Na verdade achei a Mia muito desesperada para se jogar em cima de qualquer cliente bonito que ela tivesse, afinal por que não se divertir com um homem bonito e esquecer dos problemas? Curtir a vida, trabalhar e ganhar um dinheiro enquanto faz tudo isso?? Mia só quer passar o tempo e aproveitar a vida, mas não consegui ver esse livro como nada além de uma história que envolve prostituição, diferente do que eu senti ao ler o primeiro livro da série. 
Claro que Mia não aceita muito bem quando recebe um dinheiro a mais por uma das cláusulas de seu contrato, o que gera uma briga rápida e tão sem sentido na história que é completamente desnecessária. Visto que a mesma se resolve bem rápido assim como começou. 

Vale ressaltar que a Mia poderia ter aceitado o dinheiro do Wes e não precisaria ser mais acompanhante, mas ela achou que não merecia isso, sem contar que ela queria seguir seu próprio caminho e não precisava que Wes a salvasse, por isso ela seguiu para o próximo cliente (Alec).
Não estou julgando a Mia, mas a história poderia ter muito bem acabado no primeiro livro e ao ler esse segundo eu fiquei bem desestimulada com ela. Sem contar que Alec me irritou muito, pois vivia falando em francês. Não era mais fácil falar no mesmo idioma que a Mia?
Não gostei tanto da história, o rumo poderia ter sido bem melhor e apesar de saber que trata-se de literatura erótica (óbvio que vai ter cenas de sexo), a história poderia ter sido melhor trabalhada e ter uma quantidade menor de sexo. Não sei ainda se continuarei lendo a série, mas estou considerando parar por um momento até ter paciência para ler a continuação.
Não me recordo de ter achado qualquer erro na leitura, a capa segue o mesmo estilo da anterior e a diagramação está ótima. 
Nunca sonhei que a experiência de ser sua musa pudesse me mudar. Mas aconteceu. Você me mudou. Para melhor. Obrigada, Alec, por me mostrar que é bom amar, dar amor livremente e aceitar o amor que me foi dado, mesmo por pouco tempo.

12 dezembro 2016

Resenha: Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter - Os Números Do Amor


Autora: Sarah MacLean
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 352
Ano: 2016
Avaliação☆☆☆
Sinopse: Isabel Townsend não é exatamente o que se espera da filha de um conde. Apesar de ter a pele delicada e de saber se portar como uma dama quando necessário, a jovem também monta a cavalo, conserta telhados, administra a propriedade e cria o irmão caçula desde que a mãe faleceu – tudo isso sem despertar a menor suspeita de que não há um homem sequer para cuidar de sua família.Para o pai dela, que só queria se divertir e gastar dinheiro em jogatinas, pouco importava o que ela fizesse. Porém, quando ele morre, Isabel se vê sem recursos e precisa defender os direitos do irmão, ameaçados pela chegada iminente de um tutor. Assim, não lhe resta saída senão vender sua coleção de estátuas de mármore, o único bem que herdou.
Para sorte sua, um especialista em antiguidades acaba de chegar ao condado. Inteligente e sensual, lorde Nicholas St. John é um solteiro convicto que deixou Londres para se livrar das jovens que passaram a persegui-lo desde que foi eleito um dos melhores partidos da cidade.Em poucos dias, fica claro para Nick que Isabel é a mulher mais obstinada e misteriosa – além da mais interessante – que já cruzou seu caminho. Ao mesmo tempo, ao conhecê-lo melhor, a independente Isabel percebe que há homens em que vale a pena confiar. Enquanto eles põem de lado suas antigas convicções, seus corações se abrem para dar uma chance ao amor.

Isabel Townsend é a filha de um conde, mas diferente das outras filhas de condes que conhecemos por ai, Isabel faz tudo que uma dama não costuma fazer. Ela conserta telhados, monta a cavalo, usa calças masculinas para suas atividades "incomuns" e administra uma casa onde abriga mulheres que precisam de um lugar para ficar. Geralmente as mulheres que Lady Isabel ajuda são aquelas que fogem de maridos violentos ou de outros destinos cruéis.

Lady Isabel tenta de tudo para fazer o seu melhor e cuidar das garotas que ela abriga, mas a chegada de Georgianna acaba mudando tudo isso, pois a jovem é procurada por ninguém menos que Bulan, um antigo nome por qual o Lorde Nicholas St. Jonh é conhecido. Claro que Georgianna não tem culpa de Nick ir atrás dela, mas isso pode até ser uma coisa boa no final das contas!

Lorde Nicholas decide agir como bulan novamente a pedido do irmão de Georgianna que não sabe porque a irmã fugiu de casa, sem contar é claro que o Lorde não aguenta mais andar pelas ruas da cidade e ser perseguido por mulheres. Nick teve seu nome e atributos divulgados em uma revista feminina que tem como o intuito ajudar as moças a conseguirem um bom partido para casar.
Nick não aguenta mais ter que fugir de mulheres que desejam casar-se com ele e decide aceitar o pedido do irmão de Georgianna. É nesse cenário que Nick conhece Isabel. 

O casal acaba encontrando-se de modo brusco e violento, pois Nick salva Isabel de um acidente que poderia tê-la matado. Com isso ela descobre quem ele é, mas ao contrário das demais moças, ela não está atrás de um marido e sim de alguém para avaliar sua coleção de estatuas que ela decide finalmente vender. Apenas com a venda dessas estatuas que ela tanto ama conseguirá o dinheiro necessário para manter não apenas ela como também as meninas que protege, e seu irmão de dez anos, o pequeno Conde de Reddich.
Se o pai de Isabel e de James não tivesse sido um viciado em apostas, talvez os irmãos tivessem um futuro melhor, mas o destino deles é bem diferente já que eles estão praticamente na miséria. 

O casal não é dos melhores, pois Nick não resiste a uma mulher em apuros e acha que precisa o tempo todo proteger a mulher em questão, o que acabou me irritando em algumas situações, para não dizer quase todas. E Isabel além da enorme teimosia, acaba tendo uns rompantes desnecessários em vários momentos. 
Poderia ser uma história melhor, mas a falta de química entre o casal e como a história foi caminhando me incomodou. Por ter gostado muito do que eu vi no livro anterior, eu achava que gostaria da história de Nick na mesma proporção que eu gostei do outro livro, mas não foi esse o caso. 

O final não me agradou tanto quanto eu gostaria. Eu entendo por tudo que cada personagem passou, mas não vi necessidade e muito menos motivo para um romance. Acho que poderia ter sido trabalhado melhor a forma como eles foram atraindo-se um pelo outro, afinal havia alguns dramas desnecessários que acabaram deixando a história maçante em vários momentos. 
No mais foi uma leitura razoável, não encontrei qualquer erro e a diagramação está ótima como sempre. A capa segue o estilo do livro anterior e espero que a próxima história seja melhor que essa. 

09 dezembro 2016

Resenha: Repeteco


Autor: Bryan Lee O'Malley
Editora: Quadrinhos na Cia
Número de páginas: 336
Ano: 2016
Avaliação☆☆☆☆
Sinopse: A vida de Katie vai muito bem. Ela é uma chef talentosa, dona de um restaurante de sucesso e com grandes planos para a vida. De repente, em um único dia ela perde uma grande chance de negócios, sua paquera com um jovem chef azeda, sua melhor garçonete se machuca e um ex-namorado charmoso aparece para complicar ainda mais a situação. Quando tudo parece perdido e Katie já não enxerga mais uma solução, uma misteriosa garota aparece no meio da noite com a receita perfeita para uma segunda chance. E assim, Katie ganha um repeteco na vida e precisará lidar com as consequências de suas melhores intenções.

Katie é uma chef talentosa que vê sua vida mudar de uma hora para a outra quando acorda no meio da noite e encontra uma garota esquisita em cima da cômoda do seu quarto. O que poderia ou não ser um sonho estranho, acaba sendo uma realidade incomum que acaba deixando a vida da chef uma grande bagunça. 

Katie tem um caso com o novo chef do restaurante, Andrew será seu substituto no Repeteco, o restaurante que ela ajudou a fundar com amigos, mas que no fundo não parece fazer Katie feliz como antigamente. Ela precisa de um negócio só dela, onde ela possa se sentir ela mesma.
Com isso em mente ela começa a investir com seu sócio em um local acabado, mas que para Katie tem um grande potencial. 

Katie acha que seu tormento está para acabar e que nunca mais precisará ficar voltando ao Repeteco, mas as obras em seu restaurante parecem não ter fim e ela precisa de mais dinheiro. Em um momento de descuido enquanto ela está beijando o chef que irá substitui-la, uma das garçonetes acaba queimando os braços com óleo quente e os dois acabam se sentindo culpados, pois se Katie não tivesse distraído Andrew, ele não teria colocado a salsinha que Hazel estava procurando no lugar errado e tudo isso seria evitado.


Com toda essa culpa pairando sobre sua cabeça ela volta pra casa e fica pensando que tudo isso poderia ter sido evitado. No meio da madrugada acaba acordando e lembrando da garota da cômoda, e decide olhar o móvel. Depois de muito procurar ela acha uma caixinha com algo que vai mudar a sua vida.
É bem simples: basta comer o cogumelo da caixinha depois de escrever seu erro e tudo irá sumir. Depois de algum tempo é isso que Katie decide fazer, ela anota que não deveria estar com Andrew naquela tarde e depois de comer o cogumelo vai dormir esperando que o melhor aconteça.

É nesse cenário que Katie descobre que o que ela fez realmente mudou o passado, como se ela tivesse reescrito os acontecimentos e com isso ela consegue evitar o pior, mas isso não vai ser fácil assim, pois Katie começa a ficar viciada em consertar seus erros e cada vez que ela mexe com algo do passado algo sombrio começa a despertar no restaurante. 

A história foi uma surpresa para mim, pois diferente de Scott Pilgrim, essa premissa vem carregada de viagem no tempo, misticismo e o humor não é tão no sense como em Scott P. Foi uma verdadeira surpresa e fiquei encantada com como tudo foi ocorrendo, mas senti falta de mais profundidade no relacionamento da Katie com o ex namorado que surge do nada e vamos vendo poucas coisas a não ser os futuros que a personagem manipula, ou seja, não vemos o relacionamento deles sendo trabalhado a fundo, o que faz o final ficar um pouco apressado e sem sentido para mim quando o assunto envolve o Max. Poderiam ter feito a história sem focar muito nesse relacionamento ou ter feito com o foco voltado para ele e bem trabalhado. 

Tirando o item negativo que foi o ex namorado, a história foi divertida, foi rápida e bastante envolvente. Adorei os personagens na medida do possível e queria ter tido mais tempo para conhecer a Hazel porque ela me encantou demais. 
A diagramação está maravilhosa, não encontrei qualquer erro na leitura e com certeza é uma história que vale a pena ser conferida. 

06 dezembro 2016

Resenha: O Coração da Esfinge - Deuses do Egito


Autora: Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 368
Ano: 2016
Avaliação☆☆
Sinopse: Lily Young achou que viajar pelo mundo com um príncipe egípcio tinha sido sua maior aventura. Mas a grande jornada de sua vida ainda está para começar.Depois que Amon e Lily se separaram de maneira trágica, ele se transportou para o mundo dos mortos – aquilo que os mortais chamam de inferno. Atormentado pela perda de seu grande e único amor, ele prefere viver em agonia a recorrer à energia vital dela mais uma vez.
Arrasada, Lily vai se refugiar na fazenda da avó. Mesmo em outra dimensão, ela ainda consegue sentir a dor de Amon, e nunca deixa de sonhar com o sofrimento infinito de seu amado. Isso porque, antes de partir, Amon deu uma coisa muito especial a ela: um amuleto que os conecta, mesmo em mundos opostos.
Com a ajuda do deus da mumificação, Lily vai descobrir que deve usar esse objeto para libertar o príncipe egípcio e salvar seus reinos da escuridão e do caos. Resta saber se ela estará pronta para fazer o que for preciso.Nesta sequência de O Despertar do Príncipe, o lado mais sombrio e secreto da mitologia egípcia é explorado com um romance apaixonante, cenas de tirar o fôlego e reviravoltas assombrosas.

Nesse segundo livro da série Deuses do Egito vamos vendo as consequências do ato final de Amon que aconteceu na história anterior e isso faz com que a vida de Liy fique cada vez mais complicada.
Amon não rompeu a ligação entre os dois e ainda fez algo "proibido", fazendo com que ele não consiga entrar no além devido a falta de seu coração que agora está com a jovem Lily.

Vemos uma garota que está fugindo da sua vida atual, os pais continuam forçando-a a fazer a faculdade que eles querem, ela não consegue ser ela mesma quando está em casa e para mudar um pouco o cenário ela vai visitar a avó e acaba recebendo uma visita inesperada. Anúbis acaba contando o que está acontecendo com Amon e isso faz Lily tomar a decisão de ajudá-lo mesmo contra a sua vontade, pois Amon não quer que a garota corra perigo. 
Lily sente a pulsação de Amon através do escaravelho que carrega consigo e consegue visitar o amado em seus sonhos, porém ela precisa consertar o erro de Amon para que ele não sofra e acabe morrendo definitivamente. Mas, para que isso aconteça ela precisa passar por uma série de testes que podem matá-la. 

A história vai girando em torno de Lily tentando salvar Amon e ele recusando ser salvo para tentar protegê-la. Mas, como Lily é teimosa demais decide resgatar Amon a qualquer custo e vai passar por diversas provações até conseguir o que quer. Essa premissa tinha tudo para dar certo, a mitologia presente na história é enorme e como sou grande fã fiquei empolgada com a continuação, mas fui frustada na leitura.

Creio que a autora não soube trabalhar com a bela história que tinha em suas mãos, ficou com muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo no decorrer da leitura, pois passava de uma situação para outra bem rápido, quase atropelando o acontecimento anterior e me fez ficar bem cansada enquanto lia o livro. A leitura ficou massante e eu já não estava aguentando mais continuar.

Lily acaba sofrendo uma transformação durante a leitura devido a uma de suas provações, o que deixa a história interessante, mas também tem alguns pontos negativos.
Amon fica se recusando a ser resgatado e não quer fazer Lily sofrer e isso foi me cansando. Sem contar que todo mundo começou a se sentir atraído pela Lily fazendo com que quase ninguém tivesse controle sobre seus atos quando estava perto da garota. Essa com certeza foi uma das piores partes, pois fiquei agoniada com nenhum homem conseguindo se controlar perto dela.

Essa leitura foi uma enorme decepção. Foi uma história que eu esperava bem mais e encontrei algo cheio de informação e sem nenhuma emoção, era como se a história tivesse toda sido jogada em cima de mim de qualquer jeito e eu que achasse uma forma de fazer aquilo funcionar.
Realmente quase nada nesse segundo livro me convenceu e não irei ler a continuação, pois infelizmente desanimei demais com a série.
A capa segue o mesmo estilo da anterior, a diagramação está maravilhosa e não achei qualquer erro durante a leitura.